Tem que ser doutor!

Tem que ser doutor!
Por Gilberto Silva

Gilberto da Silva
É jornalista e sociólogo, é editor de Partes.

O MEC (Ministério da Educação) quer alterar o sistema de contratação dos professores universitários. O MEC quer exigir o título de doutor para contratação nas universidades públicas.

A grande questão é saber se essa exigência será uma boa ou não para o aluno e para o professor, por que praticamente o professor não terá contato com a sala de aula enquanto estiver estudando.

O MEC alega que a proposta pretende elevar o nível de exigência dos docentes, como está previsto na Lei de Diretrizes e Bases (LDB), mas que está estudando a proposta.

É necessário esta proposta? O professor já sabe que para progredir na carreira, terá que se titular, fazer mestrado e doutorado –e isto é sentido no aumento de cursos e de pós-graduandos tantos nas universidades públicas como nas faculdades privadas. O mais justo, medido, cabível, seria o docente ir se graduando continuamente enquanto desse suas aulas. Outra disparidade é a oferta de cursos de mestrado fora do eixo Sul/Sudeste.

Um grande risco é termos professores superformas mas sem nenhuma prática nas universidades.

Entretanto, não podemos negar que o ensino superior está em fase de expansão acelerada e que o ensino superior precisa formar professores universitários e aperfeiçoar seus sistemas. Só na última década foram criados mais de 40% de programas de mestrados. Antes de mais nada o governo precisa investir e incentivar as especializações e o mestrado e gradativamente o doutorado.

Post Author: partes