Criação de Cidade Olímpica em São Paulo

“Nádia Campeão, secretária municipal de Esportes, Lazer e Recreação de São Paulo, e a ex-atleta Magic Paula Gonçalves, diretora do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa do Ibirapuera (COTP), têm audiência com o ministro de Esporte e Turismo, Carlos Melles, às 12 horas desta quarta 27 de junho, em Brasília. Elas vão solicitar apoio financeiro para o projeto de criação da Cidade Olímpica na capital paulista, a se formar a partir da estrutura atual do Centro Olímpico da Prefeitura. O projeto se compõe de três partes:
O Projeto Talento é direcionado a atletas, com o objetivo de possibilitar o máximo desenvolvimento de habilidades e capacidades físicas de jovens de 14 a 17 anos previamente selecionados pelo seu talento esportivo. A proposta é, em quatro anos, formar mil atletas nestas 18 modalidades esportivas: atletismo, basquete, beisebol, boxe, ciclismo, esgrima, futebol, ginástica ritmica desportiva, ginástica artística, handebol, judô, natação, luta greco-romana, tênis, tênis de mesa, triathlon, voleibol e vôlei de areia. O custo deste projeto é de R$ 4 mil por atleta ao ano.
O Centro de Formação Profissional vai atuar na capacitação profissional de pessoas que exercem funções de suporte à realização de espetáculo esportivo e funcionará como a residência dos cursos de medicina, com trabalho de caráter científico e de pesquisa, o que possibilitará o pagamento de bolsas-auxílio por agências financiadoras de pesquisas. Ao término deste período os participantes estarão capacitados a desenvolver trabalhos de qualidade em outras instituições. Serão realizados intercâmbios com outros centros de formação esportiva, nacionais e internacionais. Os recursos necessários estão em torno de R$ 60 mil ao ano.
E, por fim, a Cidade Olímpica, simimilar a parques temáticos, o projeto pretende transformar a área onde hoje se localizam o COTP, a Secretaria de Esportes e o Parque das Bicicletas em um local de vivência de diversas modalidades esportivas reconhecidas no país, com capacidade para receber 5 mil pessoas por dia. O projeto Cidade Olímpica requer a recuperação do COTP e a revitalização de toda a área onde ele vai se desenvolver. Os custos – incluindo reformas elétrica, hidráulica e da cobertura do COTP, recuperação de quadras e da estrutura de concreto, impermeabilização, reforma de piscinas, quadras, campos, ginásio, centro médico e da área administrativa, construção de elevadores e rampas para deficientes – estão estimados em torno de R$ 2,6 milhões.

Post Author: revistapartes