Como o lazer pode ser ferramenta para o desenvolvimento pessoal dos turistas?

Como o lazer pode ser ferramenta para o desenvolvimento pessoal dos turistas?
por Cristiane Loechelt Kogle

Ano IV n.44 -abril de 2004 como www.partes.com.br/ed44/turismo.asp

 

Nos momentos de lazer o turista poderá acrescentar à sua viagem momentos que contribuam para o crescimento pessoal. As práticas de lazer planejadas podem proporcionar às pessoas momentos especiais, que acrescentem autoestima e bem-estar para as pessoas, melhorando a qualidade de vida, a saúde, desenvolvendo a criatividade, resgatando e descobrindo valores culturais e espirituais. Durante as atividades desenvolvidas no tempo livre podem ser encontradas alternativas que valorizem o lazer. Sugerir novos modelos e hábitos de comportamento na vida pessoal dos turistas é uma ferramenta de grande importância para os profissionais da área de lazer. Criar momentos especiais, quando o indivíduo tem a chance de entregar-se de livre vontade; aproximar as pessoas de si, do seu espírito e das pessoas que dividem o mesmo ambiente.

No mundo atual, o pós-moderno, conquistamos a distância entre territórios e até no espaço, entretanto, as relações interpessoais se apresentam problemáticas. A escada de degraus do psicólogo americano Maslow também pode ser aplicada no turismo. Maslow distingue cinco degraus que todo ser humano tenta transpor: a satisfação das necessidades vitais; a necessidade de segurança; a necessidade de amor e de afeição; a necessidade de ser reconhecido e apreciado; a necessidade da autorrealização e da expansão pessoal. “Pegar o turista pelas mãos” nos momentos de lazer e aproximá-lo de momentos positivos e alegres, pode vir a mudar a visão que se tem em relação a viajar. Quando o turista perceber que suas necessidades de repouso não são puramente físicas, que necessita repousar emocionalmente se tornará mais exigente.

O lazer pode ser capaz de transformar desejos e belas palavras em realidade? Segundo Nuno Cobra, professor de qualidade de vida na área de Recursos Humanos do Programa de Educação Continuada em Administração para Executivos – USP-MBA, podemos vir a propor aos indivíduos um resgate das raízes de vencedores, sugerir o entender de “Que a vida é uma passagem gloriosa de uma oportunidade imperdível. Nada vale a pena se não puder usufruí-la em todo o seu esplendor e encantamento, por isso pense longe, pense alto e dignifique seu direito de viver completo e completamente liberto”. Agenda Nuno Cobra, 2004.

Todos os caminhos oferecidos em direção ao interior pessoal tende a fortalecer as pessoas que, a cada dia, se mostram, em ampla maioria, mais próximas de um abismo criado pela própria sociedade. A partir do livro “Análise Estrutural do Turismo”, de Mário Beni: “Para o homem contemporâneo, o descanso é uma necessidade, é a oportunidade de encontrar a si, seu semelhante e a natureza. Ele tem necessidade vital de sair da cidade, porque está cada vez mais desumanizada”. Aprender a viver com sabedoria exige autodisciplina: partir das intenções para a prática de forma agradável é um desafio a ser conquistado através das novas práticas de lazer. Proporcionar à sociedade um desenvolvimento saudável, com mais saúde física e mental é possível com a criação de novas linhas de raciocínio, definindo o que é prioritário e descartando a hipótese de que estamos sempre competindo.

Pensando com muita objetividade, utilizando de forma produtiva e positiva as dificuldades e estabelecendo ações para superá-las, podemos definir o que queremos como resultado final.
A necessidade urgente de definir qual o sentido da vida e a definição de novos ideais colocam o tempo livre como alternativa; a insatisfação parece tomar conta das pessoas em todos os níveis da vida. O lazer pode acrescentar qualidade de vida e equilíbrio biopsicológico aos turistas, à comunidade autóctone e aos profissionais da área. “Quase todos os estudos feitos sobre a modificação da escala de valores em nossa sociedade têm um ponto em comum: o tempo livre está no centro das preocupações da vida, ele se tornou o verdadeiro motor da evolução das mentalidades. O tempo livre é o tempo de viver, por excelência”. (Krippendorf, 2003, p.116). Na sociedade contemporânea, muitas pessoas redescobrem o tempo e se conscientizam que não é ganhando mais dinheiro e consumindo mais que, obrigatoriamente, aumentará o seu bem estar e que se multiplicarão as oportunidades de expansão pessoal.

Para auxiliar a desvendar o desconhecido mundo interior de cada indivíduo é necessário muita coragem e persistência. Segundo o especialista em lazer Horst Opaschowski mudanças de orientação como tornar o tempo livre um meio de expansão, acentuar o prazer de viver, viver intensa e ativamente, viver o “aqui e agora” e o crescente interesse pela vida natural determina um novo estilo de vida. As técnicas de lazer poderão transformar vidas, acrescentar novos interesses, lembrar às pessoas que ser feliz é possível, que a
capacidade que temos de se emocionar é positiva. Levar as pessoas ao encontro consciente das suas perguntas que continuam sem respostas. Aprender que a vida e o mundo são finitos tornará qualquer viagem inesquecível.

Cristiane Loechelt Kogler é estudante da 4a. fase do curso de Turismo e Lazer da Universidade Regional de Blumenau (FURB)

Post Author: partes