Palavras azuis, versos claros

Palavras azuis, versos claros
Por Gilberto da Silva

publicado em 08/03/2006

Projeto Palavras Azuis
Blumenau. Editora Nova Letra, 2005. Volume 4.
ISBN 85-7682-066-8
informações: Terezinha Manczak
manczak@terra.com.br

Recebi da Ana Marina Godoy, sempre zelosa, caprichosa e dedicada, um livro de poesias e prosas com o suave nome Palavras Azuis.
Recebo poucos livros –  o que é uma pena, assim como por vários motivos, estou escrevendo pouco – e isto não vale a pena. O livro faz parte de um belo projeto levado pelos escritores de Blumenau.

São 25 autores (entre eles, Ana Marina) reunidos por Terezinha Manczak e Eduardo de Alencar.

De Ana Marina, “Transparência de Nervuras em retalhos de cetim” (Alinhavada, p. 17) que saiu da fria Curitiba, para mais ao sul no Rio Grande continuar a escrever maravilhas. Mas aproveito e digo, não vá “indo parar nas águas de Istambul” (Soneto do Antes, p. 16).

As prosas, boas, apetitosas, rápidas e os poemas curtos, leves. Vale a pena ler.

Já que não sou santo, destaco o poema Diferença de Sexos, de Neida Wobeto (p.60):
O homem e a mulher são diferentes.
Ele penetra e ela permite.
Ele pensa e ela presente.
Ele pisca e ela pulsa.
Ele manda e ela maneja.
Ele impõe e ela implora.
Ele é a espada e ela é o escudo
mas será que esses detalhes
são diferenças
ou são complementos
de duas metades
para completar um inteiro?”

 

 Estava devendo esta foto para ilustrar. É uma foto de um cartaz feitos por alunos de uma escola municipal de Blumenau, Santa Catarina, Brasil. Feita em 17 de novembro de 2005, os alunos prestam uma homenagem a Ana Marina Godoy.

Post Author: partes