Memórias de um amor eterno

Maria Isabel S. Oliveira

publicado em 23/10/2007

 

Tua presença sempre me acompanhará

Embora tua voz não tenha mais a mesma intensidade.

Teu sorriso sempre me animará

Embora me falte tua serenidade.

 

Descobri tarde as inutilidades da vida.

Uma delas foi ficar tanto tempo longe de você

Contarei então dos amores de criança

Que sempre teve medo de perder você.

 

Você partiu, mas seu amor será eterno.

Ouço sua voz sempre que ouço o vento.

Da  minha porta em que sentias a brisa

Uma resposta espero, toda vez que sento.

 

Tento em vão te ver

No passar das horas.

Chamas–me tão peculiarmente

Que já não parece apenas memória.

 

Teu colo ainda me esquenta…

Embora meu coração despedaçado sangre de dor.

Há dias mais longos e tristes

Maria Isabel Soares Oliveira. Graduada em Letras – UEMA. Pós-Graduada em Docência do Ensino Superior- Instituto São Franciscano – IESF. Profª. do Ensino Fundamental da Rede Municipal de São Luís. U.E.B. Profº José da Silva Rosa.

Depende do aperto do abraço, e do teu calor.

 

A saudade sempre me aperta o peito

Te  sinto tão perto, mas não posso te tocar

Teu abraço…

Teu sorriso…

Tua força…

Teu jeito de me amar.

 

Nossas conversas quentes…

Hoje… Só me vêm as lágrimas

Tento dizer-te tantas  coisas…

Mas meu peito… A “caneta” engasga!

Post Author: partes