Agenciamento e o desenvolvimento do turismo

Diogo Lüders Fernandes[1] Poliana Fabíula Cardozo[2] Ronaldo Ferreira Maganhotto[3]

publicado originalmente em 10/05/2008 como <www.partes.com.br/turismo/poliana/agenciamento.asp>

 


Poliana Fabiula Cardozo é bacharel e Mestre em Turismo (Unioeste/UCS), doutoranda em Geografia (UFPR). Docente da disciplina de Planejamento e Organização do Turismo para a Universidade Estadual do Centro-Oeste (Irati, Pr) e pesquisadora na modalidade continuada na mesma IES.

As agências de viagens são definidas por Acerenza apud Dantas (2002, p. 31) como sendo “empresa que se dedica a realização de acordos para viagens e a venda de serviços avulsos, ou organizados em forma de pacotes, em caráter intermediário entre as empresas chamadas a prestar os serviços e o usuário final, para fins turísticos, comerciais ou de qualquer outra índole.”

Tomando como base esta definição pode-se passar a uma verificação sobre as tipologias das agencias de viagens, no Brasil, a legislação em vigor, ditada pelo EMBRATUR na Lei 6.505 de 15/12/1975 e no Decreto 84.934 de 21/07/1980, regulamenta no país dois tipos de Agências: as agencias de viagens e as agências de viagens e turismo, tal legislação as diferenciam da seguinte forma:

As Agências de Viagens podem operar (planejar, organizar e executar) excursão Nacional (aéreo e rodoviário) e para a América do Sul; e as Agências de Viagens e Turismo podem operar para qualquer parte do mundo. Portanto para a legislação brasileira, ambos os tipos de agências podem operar viagens, o que as diferenciam são as destinações geográficas.

Esta tipologia de agências apresentada anteriormente é uma tipologia oficial, que não absorve totalmente a realidade do mercado nacional e internacional. No caso brasileiro o mercado adota a posição que determina a diferença básica entre Operadoras Turísticas e Agências de Viagens revendedoras, da seguinte forma: as operadoras são empresas que executam os serviços pertinentes à operação (planejamento, organização e execução) e as revendedoras são empresas que revendem os pacotes das operadoras. Mas ao lançar um olhar para o mercado das Agências segundo Tomelin (2001), baseado em Acerenza, podem-se encontrar seis tipos diferentes de Agencias de turismo:

Agências de Viagens Detalhistas: são empresas que não vendem seus próprios produtos, são na realidade revendedoras de viagens e roteiros preestabelecidos do tipo pacote que são elaborados pelas operadoras ou agência de viagens maioristas.

Agências de Viagens Maioristas: tais agências têm como principal objetivo a elaboração de programas de viagens ou organização de pacotes que são repassados às agências detalhistas que vendem tais produtos ao público em geral, na maioria dos casos não vendem diretamente ao público.

Agências de Viagens Tour Operator: a principal diferença entre as Agências Tour Operator e as Maioristas e o fato de que as primeiras operam seus próprios programas de viagens, com seus próprios equipamentos ou subcontratação de operadoras terrestres, no Brasil tais tipos de agências se confundem pois empregam as mesmas funções operacionais.

Agências de Viagens Receptivas: são voltados ao turismo receptivo, muito comum nos principais destinos turísticos do país, estas empresas prestam serviços às operadoras e agências em geral oferecendo serviços de city tour, guias de turismo, transfer, assessoria ao turista, além de possibilitar a compra de passeios e programas diretamente ao turista.

Agências Consolidadoras: tem como função a consolidação de serviços junto às transportadoras aéreas, repassando bilhetes às agências que não possuem credenciamento para este fim.

Agências de Viagens e Turismo Escola: são empresas-laboratórios de instituição educacionais de curso superiores de turismo, legalmente constituídas junto ao EMBRATUR, que desenvolvem ações didático pedagógica e operacionais a fim de atender às necessidades de ensino-aprendizagem para o desenvolvimento de habilidades e competências profissionais do egresso como agente de viagens.

Dito isso, é possível compreender com mais amplitude o mercado das Agências e suas funções, ao atentar para a definição de agência apresentada no início deste texto pode-se observar que as funções das agências está diretamente relacionada à intermediação e à possibilidade de elaboração de pacotes turísticos por parte das agências. Sendo o a primeira, papel fundamental no turismo, a intermediação entre o consumidor e o produto turístico final. Servindo com um canal de distribuição dos produtos e serviços turísticos com o público consumidor.

Caracterizadas como uma prestadora de serviço, as agências segundo Petrocchi e Bona (2003) “orientam as pessoas que desejam viajar, estudam as melhores condições tanto em nível operacional quanto financeiro, e assessoram os clientes acerca da definição dos itinerários.” Este serviço de consultoria de viagens é hoje o grande papel desempenhado pelas agências que tem uma relevante importância para o público em geral, pois nos tempos de hoje os clientes (turistas) são assediados diretamente por uma infinidade de mensagens publicitárias sobre destinos e empresas do trade turístico (hotéis, restaurantes, locais para entretenimento, e outros.), devido às novas tecnologias que tem como característica um grande poder de distribuição de informações e propagandas publicitárias. Dificultando e muito a decisão de selecionar uma localidade ou serviço em determinada localidade. Assim as agências desempenham uma função de assessoria, pois pesquisa, filtra e classifica as informações, cumprindo papéis de facilitadora na decisão quanto a viagens.

Para Tovar apud Dantas (2002, p. 37) “as Agências de Viagens são empresas que se dedicam profissionalmente e comercialmente à mediação e à organização de serviços turísticos.”. Onde a mediação consiste na apresentação do cliente ao produto turístico e a organização representa a elaboração dos pacotes, formados por diversos produtos turísticos avulsos.”

Além da relação com os clientes, a relação das agências com os prestadores de serviços turísticos é de fundamental importância para o funcionamento da agências, que ao comercializar produto de tais fornecedores recebe uma remuneração, um comissionamento, em troca do serviço prestado, a intermediação. No caso do cliente não comprar o produto oferecido no momento de intermediação a agencia funcionará como uma divulgadora do referido serviço, não havendo remuneração para a mesma.

Assim as agências servem para os produtores de serviços turísticos (hotéis, companhias aéreas, empresa de entretenimento e outras) como sendo uma rede de distribuição e de divulgação de seus serviços. Um elo entre as empresas e seu respectivo mercado, agindo como um canal varejista vendendo todos os serviços oferecidos pelas outras empresas turísticas e exercem papel extremamente importante na estratégia de marketing.

Dessa forma percebe-se que a contribuição das Agências para o desenvolvimento do turismo em todo o mundo é indiscutível, já que as mesmas continuamente criam novos produtos, desenvolvem novas técnicas de comercialização, beneficiando com isso a atividade em seu conjunto, mediante seu trabalho de intermediação entre os prestadores de serviços e o usuário final, ou seja, o turista. (ACERENZA, 1990).

 

Referências:

ACERENZA, Miguel Angel. Agencias de viajes: organización y operación. México, D.F: Trillas, 1990

DANTAS, Jose Carlos de Souza. Qualidade do atendimento nas agências de viagens: uma questão de gestão estratégica. São Paulo: Roca, 2002.

PETROCCHI, Mário; BONA, André. Agências de turismo: planejamento e gestão. São Paulo: Futura, 2003.

TOMELIN, Carlos Alberto. Mercado de agências de viagens e turismo: como competir diante das novas tecnologias. São Paulo: Aleph, 2001.

[1] Bacharel e Mestre em Turismo (UEPG/UNIVALI). Docente pesquisador da Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro/Irati) para o curso de turismo. E-mail: diggtur@yahoo.com.br

[2] Bacharel e Mestre em Turismo (Unioeste/UCS); Doutoranda em Geografia (UFPR). Docente e pesquisadora da Universidade Estadual do Cento-Oeste (Irati/Paraná) para o curso de turismo. e-mail: polianacardozo@yahoo.com.br

[3] Bacharel em Turismo (UEPG) e Mestre em Geografia (UFPR). Docente e pesquisador da Universidade Estadual do Cento-Oeste (Irati/Paraná) para o curso de turismo. e-mail: ronaldomaganhotto@yahoo.com.br.

Post Author: partes