Superempreendedores Brasileiros na XIV Bienal do Rio de Janeiro

Superempreendedores Brasileiros na XIV Bienal do Rio de Janeiro
*por Fábio Azevedo

Neste último fim de semana, conversando com um grupo de amigos, comentei que eu e meus sócios estaríamos presentes na XIV Bienal do Rio de Janeiro, e um deles me perguntou:
Isso parece loucura, como sua empresa sobrevive? Como se ganha dinheiro com histórias em quadrinhos no Brasil?
Feliz com a curiosidade, eu respondi o seguinte:
Dentro do cenário editorial nacional, os últimos anos têm trazido mudanças significativas, e a crise mundial também afetou severamente o mercado de publicações em quadrinhos.
Focado anteriormente na produção de conteúdo para um público majoritariamente infantil, e com poucas opções de títulos e autores, os leitores atuais já possuem maior variedade nas gôndolas de bancas e livrarias do País, contando com títulos que alcançam um maior público juvenil e adulto. Mas esta mudança veio acompanhada de fenômenos que causaram mutações no cenário global e nacional. Megaeditoras e seus títulos tradicionais, foram atingidas em cheio, e adaptações tiveram que ocorrer, para que personagens que arrecadam bilhões de dólares ao redor do mundo, não desaparecessem subitamente do setor de licenciamento.
No Brasil, o reinado de algumas editoras que publicam quadrinhos já beira os 40 anos, mas só agora, algumas delas, estão conseguindo se atualizar, dando novo formato aos seus personagens e publicações, sob pena de perderem definitivamente a atenção do consumidor, caso não se enquadrem no perfil de consumo desta nova e exigente geração.
Muitos ainda associam os personagens e suas histórias em quadrinhos a “coisas de criança”, mas neste mercado, também de “gente grande”, os ídolos de nossa infância valem muitos cifrões, e são sempre horizontalizados de forma multimídia, para que ocupem totalmente este precioso espaço nos seguimentos do comércio e indústria, desenvolvendo um processo de alavancagem que movimenta trilhões de dólares, abarrotando as prateleiras do varejo ao redor do globo.
Neste universo que há muito tempo vive entre ratos, patos, gatos e cachorros falantes, turminhas animadas e muitas aventuras, um seguimento específico ganha mais e mais “poderes” a cada dia, os super-heróis! Movimentando fortemente o setor de entretenimento com produtos para cinema, TV, internet, celulares, games e outras mídias, os superpoderosos personagens são responsáveis por faturamentos astronômicos, e os conglomerados corporativos que os coordenam, não abrem mão de conquistarem cada vez mais espaço no fantástico mundo do entretenimento. Situações que somente são percebidas por alguns, quando anúncios de mega-aquisições são feitos à imprensa mundial, como a realizada na última semana, pela Walt Disney Co., que fechou acordo para a compra da Marvel Entertainment Inc. por US$ 4 bilhões. A Marvel, hoje, é a editora de quadrinhos que publica super-heróis clássicos, como os X-Men, Homem-Aranha, Hulk, e conta com um portifólio de mais de cinco mil personagens. Com esta aquisição, a Disney visa crescer e ampliar a criação de conteúdos e empreendimentos, além de recuperar o espaço perdido em bancas e livrarias, já totalmente tomado pelos inúmeros títulos de super-heróis em todo o planeta, que retiraram das prateleiras, personagens históricos, como Mickey, Pato Donald e Tio Patinhas.
Este macromercado de super-heróis, possui suas raízes nas tão antigas e cativantes histórias em quadrinhos lançadas no início da década de 1900, e consagraram o estilo super-herói a partir de 1938, com o surgimento da revista do super-homem nos E.U.A. Este fenômeno mundial, vem despertando o interesse dos editores brasileiros para uma nova oportunidade, novas tendências mercadológicas que atingem um público enorme, formado por crianças, jovens e adultos, que passam de geração para geração, a sua paixão pelos heróis que povoam o inconsciente coletivo. Construindo assim, consumidores fiéis, que fazem de tudo para possuírem qualquer novidade a respeito de seus ídolos prediletos. Diante disto, podemos perceber, que este é um grande negócio, com vida longa, mas somente os extremamente competentes e persistentes conseguem sobreviver.
Desde muito jovem eu ouvia o seguinte ditado: “O empreendedor quando inicia seu negócio em meio às dificuldades, ‘é um louco teimoso’, mas quando vence e faz fortuna, é um ‘visionário’ que persistiu e acreditou no sonho!” No Brasil o mercado editorial de quadrinhos ainda engatinha. Pois poucos “visionários” entendem a amplitude deste universo, que ainda está virgem por aqui. Mas como diria o poeta, “toda grande jornada começa com o primeiro passo”, e sei que, vários outros “loucos visionários” estão comigo nesta caminhada.
Até agora, foram praticamente 1800 dias de trabalho ininterrupto desde o lançamento dos Guerreiros da Tempestade, grupo de super-heróis genuinamente nacionais, que arrebatou fãs no Brasil e também no exterior, ganharam força no mercado editorial nacional e tornaram-se uma publicação de referência no seguimento, conquistando seu espaço no mundo dos negócios, sendo escolhida como a melhor idéia do ano no setor de licenciamento, durante a feira Brazil Promotion Idea – 2006. Neste evento de dimensão internacional, nossa publicação concorreu com gigantes do mercado como: Universal Pictures; Warner Bros; Globo Marcas, Marvel (ITC América), entre vários outros pesos pesados internacionais. E Recebeu além do 1º e 3º lugares na categoria de marcas, personagens e celebridades, o título de 1ª licença de um universo de super-heróis brasileiros do mercado.
Como Empreendedor e Desenvolvedor deste projeto genuinamente brasileiro, utilizamos todos os nossos superpoderes e conquistamos nosso espaço, e pouco a pouco, estamos escrevendo nossos nomes na calçada da fama do mundo do entretenimento nacional.
A nossa publicação em quadrinhos já conquistou credibilidade e aceitação no mercado com os primeiros super-heróis brasileiros a entrarem no circuito editorial nacional, e chamaram a atenção de Diler Trindade, outro empreendedor “louco e visionário”, um dos produtores mais promissores do mundo, e atualmente o maior produtor cinematográfico do Brasil. Que decidiu transformar os Guerreiros da Tempestade, em um marco para o cinema nacional, pois fará com os personagens, o primeiro longa-metragem animado de super-heróis do País. Trazendo na bagagem mais de vinte anos de experiência, Diler é um dos “loucos visionários” mais importantes do mercado de cinema nacional, e acumula mega sucessos de bilheteria como as produções de: Renato Aragão, Xuxa, Maurício de Souza, entre vários outros cases bem sucedidos.
Outro “louco teimoso e visionário’”, que também enfrentou várias críticas, foi meu sócio e autor dos Guerreiros da Tempestade, Anísio Serrazul. Ele sempre acreditou que um dia veria seus personagens publicados e espalhados pelas bancas de todo o Brasil. E hoje, quando olhamos juntos para nossos resultados, nos orgulhamos de dizer, que os frutos deste sonho estão “voando” por aí, com seus uniformes estilizados, vivendo aventuras fantásticas, defendendo o nosso País de perversos vilões. E em breve, pousarão nas telas de cinema e nas TV’s de todo o Brasil, e ocuparão as prateleiras de todo o varejo mundial.
A espaçonave Guerreiros da Tempestade, que já alcançou altitude de cruzeiro, neste mês, conquista mais um destino, e lança uma edição especial de nossa publicação principal, para isso, convidamos a bordo, mais um parceiro para esta “missão”, a Editora Kelps, do empresário Antônio Almeida, que da mesma forma que toda a equipe dos Guerreiros, também é um “visionário”, conhecido por ser um dos maiores incentivadores da cultura na região centro-oeste do País. Este novo tripulante, leva os Guerreiros da Tempestade para o maior evento literário do Brasil, a XIV Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, que acontece de 10 a 20 de Setembro, no maior centro de convenções da América Latina, o Riocentro. Espaço no qual os Heróis Brasileiros estarão lado a lado, com outros tantos que desbravam e constroem a indústria de entretenimento nacional.
Como Empreendedor e Desenvolvedor do projeto Guerreiros da Tempestade, fico feliz de ter encontrado tantos “loucos” pelo caminho, e junto com eles, fazer parte deste projeto tão gratificante, construindo um dos pilares da indústria de entretenimento nacional. E assim, poder motivar outros “visionários”, que também já ouviram muito sobre “teimosia”, “coisas de criança”, e outros “elogios” do tipo, que só nos servem de matéria prima para a construção de nosso sonho, no qual vislumbramos uma forte indústria de entretenimento brasileira, que empregará milhares de pessoas, terá total incentivo de nossos governos, e irá gerar muitas divisas para o nosso tão talentoso País.
Ainda bem que trabalhamos com super-heróis, vivemos neste “planeta empreendedorismo”, já recebemos nossos poderes “intergalácticos visionários”, e hoje, temos uma equipe superpoderosa, disposta a tudo para concluir com sucesso está fantástica missão!
Afinal pessoal, estou aprendendo que este mercado realmente é para “gente grande”! E nele, somente “loucos” e “teimosos” superempreendedores conquistam espaço e se estabelecem!

*Fábio Azevedo
Empresário, Diretor de Desenvolvimento e Relacionamento com o mercado dos Guerreiros da Tempestade. Escritor, roteirista, professor, palestrante, consultor de negócios na área imobiliária e de franchising. Colunista e articulista, escreve no Brasil e exterior para várias revistas, jornais, sites e portais na internet, sobre vendas, networking, gestão, liderança, franquias, marketing, estratégia, inovação e empreendedorismo.
www.fabioazevedo.net
www.twitter.com/fabioazevedo

Post Author: revistapartes