Alunos da globalização: nova sociedade e o papel do professor

Thiago Vieira da Cunha Pereira1

publicado em 03/12/2009 como <www.partes.com.br/educacao/alunosdaglobalizacao.asp>

 

Resumo

Thiago Vieira da Cunha Pereira é Estudante do último semestre do curso de Geografia Licenciatura na UFPEL e do primeiro semestre de Ciência da Computação UFPEL. E-mail: rrbrasil@hotmail.com

Neste artigo é abordado o surgimento de uma nova forma de percepção das ideias e do conhecimento, dando-se através desta premissa a existência de uma nova sociedade dentro da sala de aula, alunos que aqui serão chamados pela expressão alunos da globalização, são estes discentes do século XXI que já nascem ligados e interagindo com os meios tecnológicos, principalmente as tecnologias de informação e comunicação (TICs). Visa também, demonstrar o papel do professor perante a essas transformações, colocando em evidencia a importância da percepção do professor em relação aos alunos da globalização.

Palavras-chave: Sociedade, Globalização, Papel Professor, TICs, Educação.

Resumen

Este artículo aborda el surgimiento de una nueva forma de percepción de las ideas y el conocimiento, dando por esta premisa la existencia de una nueva sociedad dentro del escuela, los estudiantes que aca serán llamados los estudiantes de la globalización, son estas los estudiantes de lo siglo XXI que nacen conectadas e interactuar con la tecnología, especialmente tecnología de la información y la comunicación (TICs). Visa también, esto trabajo demostrar el papel del maestro en la cara de estos transformacion, destacando la importancia de la percepción del profesor a los estudiantes de la globalización.

Palabras claves: sociedad, globalización, la ponencia del profesor, TICs, Educación.

Introdução

Atualmente, as pessoas estão cada vez mais dependentes do uso das tecnologias de informação e comunicação (TICs) para desenvolverem suas tarefas cotidianas contemporâneas, isto pode ser comprovado no eminente uso da televisão, eletricidade, computadores, internet e outros pela sociedade.

Durante o período de estágio obrigatório do curso de geografia, fico claro a enorme integração das crianças e adolescentes com as TICs, essas possuindo uma facilidade enorme no manuseio das ferramentas tecnológicas.

Este fenômeno ocorre, pois com o crescimento da globalização, surgi uma nova forma de interação social e de percepção do conhecimento, conhecido pelos autores da área como tercer entorno, possibilitando este, a existência da nova sociedade que conhecemos hoje.

Tercer entorno e a nova sociedade

No começo da existência humana havia duas formas de percepção do mundo, o espaço natural, o qual interpretava as questões de sobrevivência e natureza e posteriormente o espaço urbano, onde começo a consolidação de organização da sociedade atual. A sociedade viveu nestas duas perspectivas de mundo durante anos, até que nas ultimas duas décadas surgi um novo espaço, conhecido como tercer entorno ou ciberespaço, este é um novo ambiente social em escala global, onde podemos desenvolver muitas das atividades do mundo real com características do mundo imaginário, é basicamente um espaço onde quase tudo é possível, onde as limitações territoriais e o tempo desaparecem, mundo o qual liga as pessoas, formando uma nova sociedade independente de cultura e localização geográfica.

• Não há distâncias;

• Através da internet temos praticamente acesso a informação do mundo inteiro em tempo imediato;

• As sensações e percepções são mediadas por aparelhos, como monitores, alto-falantes e mouse.

O tercer entorno é um novo espaço-tempo social. Seu ambiente não é físico e as suas informações transitam num ritmo muito acelerado em comparação com os espaços naturais e urbanos. Esse é uma aplicação da realidade, com novos espaços não físicos para a interação social, é um espaço eletrônico e representacional, é um novo espaço para interação social, onde pode ocorrer todo tipo de atividade: entretenimento, trabalho, comércio, arte, expressão de emoção e sentimentos, e onde as pessoas “andam” livremente por estes espaços onde a natureza se converte em tele-natureza, onde a geografia deixa de ter limites e territórios (GRAELLS, 1998.).

Com o surgimento do novo espaço de saberes, surgi também a nova sociedade, pois Echeverría desconsidera diferenças raciais e culturais, ele explora a raiz da estrutura do relacionamento entre os homens, que são os sentidos, o que permite identificar espaços de relações iguais para as diversas pessoas, mesmo estas diferenciando-se em quaisquer outros aspectos.

Assistir televisão, acessar a internet ou até mesmo falar ao telefone, são coisas normais nos dias de hoje, a nova sociedade já está totalmente adaptada à forma e a velocidade pela qual as informação transitam. De acordo com Graells (1998) a sociedade da informação foi consolidada com o eminente crescimento do acesso a internet, sendo este a maior forma de virtualização do espaço e de quebra dos conceitos geográficos no que refere-se tempo, espaço e território.

Papel do professor

Com o exercício do estágio que pude perceber a importância do professor estar consciente dessa ideia de nova sociedade, pois fica há uma nova forma de construção do conhecimento, que é através do tercer enterno.

O papel do professor é romper com a escola tradicional, onde o aluno é visto como uma folha em branco, tendo o professor como função de passar o conhecimento. O docente vai ser um eterno aprendiz.

“Já agora ninguém educa ninguém, como tampouco ninguém se educa a si mesmo: os homens se educam em comunhão, mediatizados pelo mundo” (FREIRE, 1970, p. 79).

De acordo com a citação acima, podemos perceber a necessidade da construção do conhecimento.

“As mudanças provocadas pela incorporação das novas tecnologias ao processo ensino-aprendizagem já fazem parte da maioria dos discursos didáticos, mas na ação pedagógica poucas mudanças são observadas”(ALMEIDA e ALMEIDA,1999, P.73).

Com esta afirmação, podemos observar que as tecnologias já estão presente em sala de aula, no entanto, a ação pedagógica não é há mudanças, pois existe um paradigma na educação onde as tecnologias de informação e comunicação são usadas apenas como recursos didáticos, deixando de aproveitar através de uma prática pedagógica a nova forma de percepção dos alunos globalizados, que é o tercer entorno.

Conclusão

É evidente as transformações dos alunos do século XXI, sendo então necessário a atualização do professor no modo de ensinar. Hoje em dia, alunos levam para aula, acessórios tecnológicos como mp3, celulares com câmeras e até notebooks, então, por que ao invés de proibir o uso desses, não os utilizamos no aprendizado em sala de aula?

Portando, há necessidade não só do professor se atualizar para esta sociedade, como também a atualização da formação de professores, que continua com os moldes para um ensino tradicional.

Referência bibliográfica

ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de; ALMEIDA, Fernando José de. Aprender construindo: a informática se transformando com os professores. Brasília: Secretaria de Educação a Distância, MEC, 1999. v. 1. s.n. p.

ECHEVERRÍA, J.. Los señores del aire: Telépolis y el Tercer Entorno. Barcelona: Destino, 1999.

GRAELLS, Pere Marquès. Uso Educativos de internet (El tercer mundo). 1998.

Paulo Freire, Pedagogia do Oprimido. 6ª edição (Paz e Terra, Rio de Janeiro, RJ, 1970, 1979), p.79.

1 Estudante do último semestre do curso de Geografia Licenciatura na UFPEL e do primeiro semestre de Ciência da Computação UFPEL. E-mail: rrbrasil@hotmail.com

Como citar este artigo:

CUNHA, Thiago Vieira. Alunos da globalização: nova sociedade e o papel do professor. P@rtes (São Paulo). V.00 p.eletrônica. Dezembro de 2009. Disponível em <>. Acesso em _/_/_.

Post Author: partes