Origem do ambientalismo como movimento social

Roberta Celestino Ferreira1

publicado em 21/12/2009 como www.partes.com.br/socioambiental/rocelestino/ambientalismo.asp

 

RESUMO

Roberta Celestino Ferreira é Mestranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente – TROPEN/PRODEMA/UFPI. Sob orientação da Profª. Drª. Maria Dione Carvalho Morais.

O movimento ambientalista surgiu de forma difusa e desordenada em seus primeiros momentos. A vontade de se levantar contra as ameaças feitas à Natureza, fez com que surgisse aqui e ali grupos esporádicos que aos poucos foram se organizando e constituindo os movimentos sociais que hoje são conhecidos. Possuindo representantes em quase todo o mundo os movimentos ambientalistas incorporam o desejo de corrigir as formas brutais com que o homem vem tratado a natureza nos últimos anos, sobretudo com a expansão industrial e o arrefecimento das ciências tecnológicas que cria, por sua vez, cada vez mais lixo, como é o caso dos sacos plásticos, pets, baterias de celulares sem utilidade, entre outros. Assim a necessidade de movimentos ambientalistas torna-se premente, com vistas a tentar um relacionamento entre o homem e natureza afirmando sua possível coexistência. 

Palavras-chaves: Ambientalismo, Movimentos sociais, Natureza.


I. Introdução: Sobre a origem do ambientalismo como movimento social

Nos últimos anos a agressão contra a Natureza tem desencadeado movimentos contra as ações depreciativas do homem com relação ao planeta. De modo mais concreto, tem-se que o modelo econômico baseado na produção industrial tem levado a sociedade a possuir uma consciência destituída da importância que o meio ambiente tem para a humanidade. Sendo que o recrudescimento dessa inconsciência tem refletido de forma desastrosa no trato da Natureza pelo homem.

Embora essa seja uma realidade, existem grupos de pessoas sensibilizadas com as ações predatórias pela qual passa a Natureza e buscam alternativas de relacionamento, onde a coexistência entre homem e meio ambiente seja possível. Esses ambientalistas têm se organizado e ganhado importância na medida em que mais e mais movimentos são reconhecidos na dimensão sociopolítica. Como forma de movimento instituído e reconhecido na dimensão política pode-se apontar as ONG’s que tem trabalhado a conscientização da sociedade sobre a importância da conservação do meio ambiente para a sobrevivência das espécies, sobretudo da espécie humana.

Frente a essa observação cabe dizer que o presente artigo tem como objetivo descrever a origem do ambientalismo como movimento social. Nesse sentido, traça breve contexto sobre o ambientalismo e suas raízes para daí enfocar o ambientalismo como movimento social. Para tanto, adotou-se como metodologia a pesquisa bibliografia, buscando na literatura especializada subsídios que pudessem ajudar a responder a problemática expressa no estudo em questão, ou seja: qual a origem do ambientalismo como movimento social?

2. O Ambientalismo e Suas Raízes

A despeito do que se possa imaginar o ambientalismo não surgiu pronto. Sequer teve um começo claro, definido. Indo mais longe deve-se salientar que: “Não houve um acontecimento claro que inflamasse um movimento de massas, nenhum grande orador ou profeta que surgisse para incendiá-las[…]” (MCCORMICK, 1992, p. 21).

Sendo assim, pode-se dizer que o ambientalismo surgiu de modo difuso, em épocas diferentes, locais diferentes, devido a motivos diferenciados. Nessa perspectiva, deve-se ter em mente que o termo ambientalismo ora expresso deve considerado:


[…] como todas as formas de comportamento coletivo, que tanto em seus discursos como em sua prática, visam corrigir formas destrutivas de relacionamento entre o homem e seu ambiente natural, contrariando a lógica estrutural e institucional atualmente predominante. (CASTELLS, 2000, p. 143).


Assim, vale assinalar que o ambientalismo tem suas raízes nas várias manifestações realizadas em locais diferentes, onde chegou-se ao consenso de que era necessário organizar grupos destinados a tratar da questão ambiental nas suas várias dimensões. Sendo que essa prática além de ganhar vários adeptos tornou-se instituída e veio a se tornas movimentos nacionais e mesmo internacionais (MCCORMICK, 1992).

3. O Ambientalismo como Movimento Social

Muito embora o ambientalismo não possua raízes definidas, hoje é considerado como um movimento de cunho internacional com representantes por todo o mundo, mostra de que tornou-se um movimento organizado e consistente. Sobre o assunto, pode-se dizer que:


Se nos propuséssemos a avaliar os movimentos sociais por sua produtividade histórica a saber, por seu impacto em valores culturais e instituições da sociedade, poderíamos afirmas que o movimento ambientalista do último quarto deste século conquistou posição de destaque no cenário da aventura humana (CASTELLS, 200, p. 141)


Assim, a despeito das mais variadas formas de movimentos ambientalistas é possível apontar como movimento organizado em prol do ambientalismo as ONG’s. Sendo necessário realçar que a palavra “ONG’s” dada a sua penetração como movimento social organizado tornou-se “[…] termo da moda, principalmente em relação a ECO-92, para simbolizar o espaço de participação da sociedade civil organizada” (CHERRER-WARREN, 2001, p. 161). Nesse caso, tem-se que a existência das ONG’s como movimentos ambientalistas organizados representando a sociedade civil tem sido bem aceito no contexto do ambientalismo, sobretudo quando estão centradas nas mediações de caráter educacional, político, de assessoria técnica, prestação de serviços e apoio material e logístico, no sentido de desencadear transformações micro e macro sociais, no que se refere ao ambientalismo global.

4. Metodologia

Nesse artigo foram utilizados dados referentes à bibliografia especializada para que se possa reforçar a análise prevista em questão. Foram utilizados métodos de observação empírica com a investigação primando pela informação obtida junto à literatura pertinente especializada, como significando uma busca pelos conhecimentos que norteiam a formação da problemática aqui expressa sobre a origem do ambientalismo como movimento social. Com dados coletados, procurou-se uma ou mais formas de características do processo de origem do ambientalismo.


5. Conclusão

Compreendendo que o ambientalismo é um movimento em prol da Natureza, onde grupos organizados procuram apontar formas de relações de coexistência entre o homem e o meio em que ele vive, conclui-se que o movimento ambientalista não tem origem definida, mas difusa atendendo a motivos e localidade diferentes, porém tendo como cerne a preservação do meio ambiente.


6. Referências

CASTELLS, M. O “verdejar” do ser: o movimento ambientalista; In: o poder da identidade. São Paulo: Paz e Terra, 200º, pp. 141-168.

CHERRER-WARREN, I. ONG’s na América Latina: trajetória e perfil. In: VIOLA, J. E. et al. Meio ambiente, desenvolvimento e cidadania: desafios para as ciências sociais. São Paulo: Cortez, 200, pp. 161-180.

MCCORMICK, J. As raízes do ambientalismo. In: Rumo ao paraíso: a história do movimento ambientalista. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1992, pp. 21-41.

1 Mestranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente – TROPEN/PRODEMA/UFPI. Sob orientação da Profª. Drª. Maria Dione Carvalho Morais.

 

Post Author: partes