Interiorização do ensino superior

Interiorização do Ensino Superior no Amapá
Ronaldo da Silva

Resumo: Este artigo objetiva discutir o Programa de Interiorização do ensino superior público. Para tanto, apresenta o Programa de Interiorização da Universidade Federal do Amapá, no período de 1999-2004, como uma política social que teve como proposta fundamental garantir o direito social na área educacional nos municípios de Laranjal do Jarí e em Oiapoque, no Amapá.
Palavras-chaves: Ensino superior. Inclusão educacional. Região Norte. Universidade.

Abstract: This article present a brief discussion of the Program for Internalization of higher education. It presents the Program for internalization of the Federal University of Amapá, in the period 1999-2004, as a social policy proposal for to ensure the fundamental social right in education in the municipalities of the Laranjal do Jari and Oiapoque, in Amapá.
Keywords: Higher education. Educational inclusion. Northern Region. University.

Introdução
A interiorização do ensino superior é um caminho de acesso ao conhecimento, em que as universidades buscam, por meio de parceria com a população a ser beneficiada, um maior fluxo de informações em prol de uma sociedade, nos aspectos das suas reais necessidades. Essa troca de informações e de socialização do conhecimento, dentro da expansão da universidade, possibilita renovar a sua própria estrutura organizacional e suas ações no sistema educacional.
As universidades disseminam o conhecimento desde a apresentação dos conhecimentos científicos até as mais complexas formas de interação na família, nos grupos sociais, nas mais diversas fases da vida profissional dos acadêmicos. As instituições de ensino superior compõem um sistema orgânico, implicando princípios, normas e diretrizes organizacionais, pedagógicas e curriculares que orientam a educação do cidadão.
A interiorização do ensino superior interessa tanto à sociedade como ao Estado, garantindo ganhos de qualidade e produtividade na região. No atual momento, as universidades exercem um papel de fundamental importância para a formação de quadros de profissionais de nível superior em diversas áreas. Parte-se da ideia de que o recurso humano é estratégico na implantação da inovação produtiva, cabendo-lhe a função gerencial e de inovação. Agora se acentua a ideia de que a interiorização do ensino superior é necessária para a formação de indivíduos capacitados para o mercado de trabalho.
Entendemos que a cidadania deve se entendida como a capacidade de competir de forma igualitária entre as pessoas, pois se pensa que um maior nível de competitividade por parte do setor industrial brasileiro, melhorando a escolaridade dos trabalhadores, faz com que o país ganhe em termos de desenvolvimento organizacional, cultural e econômico. A melhoria e expansão do processo educacional reforça a competitividade do Brasil no mercado internacional.

1 Interiorização na região norte
Devido a grande extensão da região norte do Brasil, e por apresentar dificuldades de acesso de transporte, saúde, saneamento básico e principalmente educação, e também por apresentar uma maior concentração de sua população nas capitais, fatores relevantes mais que diferenciam a região norte de outras regiões do Brasil.
No campo da educação são encontrados altos índices de analfabetismo, estrutura educacional precária, profissionais da educação desmotivados, atuando no sistema educacional da região, que infelizmente agravam o sistema educacional da região norte. Diante dessa situação de dificuldades que as capitais amazônicas apresentam no sistema educacional, as instituições de ensino superior nortistas se destacam por exercerem um papel de caráter social de cidadania, focadas em ações para diminuir os desequilíbrios de avanços técnico-científicos e nas ações sociais nacionais e internacionais.
As instituições de ensino superior públicas e privadas estão cada vez mais presentes no desenvolvimento da região, assumindo a responsabilidade na ampliação de ações de ensino, pesquisa e extensão, inclusive com ações nas regiões interioranas. De fato, as instituições de ensino superior da região norte buscam o aumento da expansão das suas atividades acadêmicas, aumento do numero de vagas, ampliação dos cursos de graduação, especialização, mestrado e doutorado, com o intuito de atender as demandas da população nortista, que por suas características peculiares são muito carentes de projetos na área do ensino superior.
Diante do exposto, as instituições federais de ensino superior da região norte têm buscado parcerias no andamento das ações de interiorização desde a década de 80, apesar das dificuldades encontradas, como a falta de recursos financeiros, carência de técnico-administrativos e docentes. Com os programas de interiorização na região norte, busca-se contribuir com o crescimento da região para o desenvolvimento socioeconômico, adaptado às necessidades regionais de cada Estado.
Antes dos programas de interiorização, as populações interioranas brasileiras encontravam dificuldades para ingressarem numa universidade pública. A implantação dos programas de interiorização das universidades federais abriu uma porta de acesso a uma titulação de uma graduação em nível superior. Nesse sentido, o avanço do ensino superior por meio da interiorização das universidades começa a ganhar objetividade a partir do momento que são criadas oportunidades com o surgimento de novos campi universitários em várias localidades brasileiras.
Do ponto de vista do acesso a uma graduação, e especificamente a formação do cidadão para o exercício de uma profissão, é importante considerar que os programas de interiorização das universidades propõem o acesso a um modelo includente de desenvolvimento igualitário, eficiente e dinâmico de ensino. A interiorização possibilita ao cidadão do interior a democratização do ensino superior, sendo, na realidade, uma ação voltada para a inclusão social que possibilita a permanência do homem no interior e dá a esse cidadão uma maior competitividade econômica com o homem dos centros urbanos, diminuindo assim as desigualdades regionais entre os municípios.

2 Interiorização do ensino superior no Amapá
A Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) tem historicamente restringido suas atividades regulares à cidade de Macapá, capital do Amapá. A população interiorana amapaense preserva os valores e as tradições amazônidas e pode com seus saberes realimentar a universidade na busca de sua identidade com a região norte do país.
O 1º Programa de Interiorização da Universidade Federal do Amapá, no período de 1999 a 2004, foi uma ação desenvolvida com recursos próprios da instituição. Os gestores responsáveis pela implantação do processo, com o objetivo de oferecer uma estrutura de qualidade no Campus Norte, em Oiapoque, e no Campus Sul, em Laranjal do Jarí, migraram recursos financeiros de outros programas com a finalidade de dar sustentabilidade às atividades de interiorização da UNIFAP.
Teve como parceiros nesta ação o Governo do Estado do Amapá, por meio da Secretaria de Estado da Educação (SEED) e as Prefeituras de Laranjal do Jarí e a do Oiapoque, no Estado do Amapá. Buscava-se resgatar os compromissos da instituição com a população interiorana local, por meio da expansão do ensino superior de modo a otimizar a utilização de seus recursos na produção de efeitos multiplicadores de conhecimento.
Com o 1º Programa de Interiorização, a UNIFAP lançou-se um acelerado processo de reestruturação e integração do ensino superior no Estado do Amapá, e compreender a importância da expansão da Universidade Federal do Amapá é entender que o Campus Sul e o Campus Norte não representaram apenas os municípios de Laranjal do Jari e Oiapoque, mas toda a sociedade circunvizinha da região interiorana. Cada um desses campi atendeu uma média de trezentos professores do quadro do Estado e das Prefeituras que foram qualificados em nível superior.
As ações executadas pela UNIFAP no decorrer de todo o processo de interiorização demonstrou que o projeto de interiorização foi considerado uma prioridade pela instituição, tendo contribuído para o desenvolvimento de toda a região circunvizinha no setor da economia, trabalho, cultura e no fortalecimento da UNIFAP no cenário nacional e internacional.
A UNIFAP ofereceu cursos de graduação de Letras, Matemática, Geografia, Historia e Pedagogia. Os cursos realizados exigiram a construção infraestrutura física para comportar os alunos durante cada etapa do processo de interiorização.
Assim é percebido que o 1º Programa de Interiorização da UNIFAP contribuiu para a modernização dos municípios de Laranjal do Jarí e Oiapoque e propiciou a consolidação e expansão da UNIFAP em suas finalidades e vocação de instituição de ensino superior voltada para a realidade do povo amapaense.

Considerações finais
Os programas de interiorização das universidades públicas devem ser desenvolvidos em conjunto com outras instituições com o objetivo de superar as dificuldades e implantar a expansão das universidades em prol de comunidades interioranas. Como já foi visto, as ações de interiorização da UNIFAP, em Laranjal do Jarí e em Oiapoque, proporcionaram o desenvolvimento de uma política educacional a nível superior comprometida com a sociedade local.
Conclui-se que a UNIFAP tem cumprido sua função de promover aos indivíduos a formação em nível superior. Diante dessa afirmativa, é oportuno acrescentar que a existência da UNIFAP se faz mediante a garantia do direito à educação a nível superior para todos, não apenas para quem está na capital do Estado do Amapá, mas também para todos os moradores das regiões circunvizinhas. Portanto, por meio da interiorização, a UNIFAP proporcionou uma melhor socialização de conhecimentos, diminuindo a exclusão social, que é uma mudança imprescindível para a conquista de uma melhor qualidade de vida da população, de um modo geral.

Referências
BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil, de 05 de outubro de 1988, atualizada até a emenda constitucional de revisão nº 06 de 07 de junho de 1994 e até a emenda constitucional nº 64 de 04 de fevereiro de 2010. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao.htm>. Acesso em: 28 mar. 2010.
______. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: <www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm>. Acesso em: 28 mar. 2010.
UNIFAP. Relatório de gestão do exercício de 2004. Macapá: UNIFAP, 2005.

Como citar este artigo:
SILVA, Ronaldo. Interiorização do ensino superior no Amapá. P@rtes, São Paulo, setembro. 2010. Disponível em:<http://www.partes.com.br>. Acesso em:

Post Author: partes