Cultivares da Embrapa incentivam a cultura do abacaxi no Tocantins

Integrar produção, mão-de-obra e meio ambiente, reduzindo o uso de inseticidas e aumentando o lucro do produtor. Em linhas gerais, esses são os princípios da Produção Integrada (PI) do Abacaxi, que vem apresentando bons resultados no Tocantins, onde a colheita da fruta prossegue até o fim deste mês. O trabalho é coordenado pelo pesquisador Aristoteles Pires de Matos, da Embrapa Mandioca e Fruticultura (Cruz das Almas – BA), Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

“Começamos em 2004, com a adesão de apenas um produtor. Hoje já são 43”, conta Matos. A principal cultivar utilizada no projeto é a BRS Imperial, desenvolvida pela Embrapa Mandioca e Fruticultura e comercializada por viveiristas licenciados pela Embrapa Transferência de Tecnologia (confira a relação abaixo). A cultivar é resistente à fusariose, a principal doença do abacaxizeiro no Brasil, o que contribui para reduzir o uso de agrotóxicos, um dos pilares da Produção Integrada.   

A BRS Imperial apresenta frutos com polpa amarela, elevado teor de açúcares e excelente sabor, indicados tanto para o consumo in natura quanto para a industrialização. Os frutos dessa cultivar apresentam vida de prateleira mais longa do que a das cultivares tradicionais e as características de sua casca favorecem o transporte com menor incidência de danos mecânicos. Além disso, a ausência de espinhos nas folhas facilita o manejo e os tratos culturais.

O plantio da BRS Imperial é indicado para as principais regiões produtoras do Brasil, principalmente em condições ambientais similares às dos Tabuleiros Costeiros da Região Nordeste.

Opções – Outra cultivar indicada para as mesmas regiões e desenvolvida pela Embrapa Mandioca e Fruticultura é a BRS Vitória, também resistente à fusariose e sem espinhos nas folhas.

A BRS Vitória apresenta bom desenvolvimento e crescimento e seus frutos, quando maduros, têm excelente qualidade para o mercado, com polpa branca, elevado teor de açúcares e sabor agradável. Com formato cilíndrico e casca de cor amarela, eles pesam em torno de 1,5 Kg, podendo ser destinados tanto para o consumo in natura como para a agroindústria.

Já o abacaxi BRS Ajubá – também desenvolvido pela Embrapa Mandioca e Fruticultura e comercializado por viveiristas licenciados pela Embrapa Transferência de Tecnologia – é indicado para regiões mais frias, especialmente o Vale do Rio Uruguai, no noroeste do Rio Grande do Sul. Assim como as cultivares BRS Imperial e BRS Vitória, a BRS Ajubá é resistente à fusariose e não apresenta espinhos nas folhas.

Zoneamento – Originário do Brasil e típico de regiões tropicais e subtropicais, o abacaxizeiro produz melhor em locais com temperaturas mais altas (o ideal é em torno de 24°C) e onde há chuvas constantes (entre 1.000 e 1.500 mm por ano). O fruto tolera situações extremas, como a temperatura mínima até 5°C e precipitações anuais de 600 mm, condições que afetam diretamente o seu crescimento.

Em áreas de sequeiro, o plantio do abacaxi deve ocorrer no fim do período seco/início das chuvas. Em áreas irrigadas, o plantio pode ser feito o ano todo. O ciclo do cultivo do abacaxi varia conforme a região escolhida. No sul do país, a cultura tem um ciclo de 24 meses (do plantio à colheita), enquanto que em regiões localizadas mais próximas à linha do Equador esse período é reduzido para 18 meses.

Mais informações:

Embrapa Mandioca e Fruticultura
Rua Embrapa, s/nº
Caixa Postal 007
CEP 44380-000 – Cruz das Almas – BA
Fone: (75) 3312-8048 – Fax: (75) 3312-8097
Site: www.cnpmf.embrapa.br
E-mail: sac@cnpmf.embrapa.br

Embrapa Transferência de Tecnologia – Sede
Parque Estação Biológica – PqEb
Av. W3 Norte (final), Ed. Sede, Térreo
CEP 70770-901 – Brasília, DF
Fone: (61) 3448-4570 – Fax: (61) 3448-4511
E-mail: sac.snt@embrapa.br

Informações sobre onde adquirir sementes e mudas:

Escritório de Negócios da Embrapa Transferência de Tecnologia em Campinas
Avenida Dr. André Tosello, 209 – Cidade Universitária
Caixa Postal 6062, CEP 13083-970
Campinas, SP
Telefone: (19) 3749-8888 – Fax: (19) 3749-8890
Site: http://www.campinas.snt.embrapa.br/

Viveiristas licenciados

BRS Imperial
SBW do Brasil Agrifloricultura Ltda.
Rod. SP-107, Km 32, CEP 13825-000
Holambra, SP
Telefone: (19) 3902-4041
Site: www.sbwbrasil.com.br

Roger Orville Kolp
Eunápolis, BA
Telefone: (73) 9985-1153
E-mail: rogerkolp@hotmail.com

Instituto Biofábrica de Cacau
Av. Mário Padre, 327, Góes Calmon
Itabuna, BA – CEP 45600-000
E-mail: atendimento@biofabricadecacau.com.br
Fones: (73) 3617-5295 / (73) 3689-6065

BioClone Produção e Comércio de Mudas Ltda.
Fazenda Famosa s/n – Sitio Gravier
CEP 60000-000 – Icapui, CE
Fones: (85) 3032-1066 / (85) 3391-7273
Site: www.bioclone.com.br
E-mail: contato@bioclone.com.br

BRS Ajubá

Clona-Gen Comércio de Mudas de Plantas Ltda.
Joinvile, SC
Fones: (47) 3439-6607 / (47) 3433-0379
Site: www.clona-gen.com.br
 
Texto
Eduardo Pinho Rodrigues – Mtb/GO: 1073
Embrapa Transferência de Tecnologia
E-mail: eduardo.rodrigues@embrapa.br
Fone: (61) 3448-1822     


 

 

Post Author: revistapartes