Equidade de gênero é indispensável para desenvolvimento sustentável, defende ministro

Carolina Gonçalves*

Repórter da Agência Brasil
Brasília – O ministro de Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse que a equidade de gêneros é indispensável para o desenvolvimento sustentável. “O documento final da Rio+20 em negociação inclui numerosas referências à questão de gênero. Várias dessas referências têm consenso entre os países. Outras questões são mais difíceis, como a transversalidade da questão de gênero e a exigência da eliminação de políticas discriminatórias que ainda existem em muitos países, em função de culturas diferentes”, disse o ministro durante um debate sobre o papel das mulheres na implantação de um novo modelo de desenvolvimento e a participação desse segmento na Rio+20.
“O Brasil vai buscar conciliar posições. Como bandeira brasileira estaremos sempre na vanguarda para alcançar os resultados mais ambiciosos possíveis”, garantiu o ministro.
Patriota lembrou que o papel das mulheres nessa construção já está previsto em importantes acordos internacionais, como a Declaração do Milênio e a Agenda 21, resultado da Rio92. O ministro das Relações Exteriores defendeu que a temática “esteja incluída de forma integral nos debates da conferência”. Nos eventos paralelos, estão previstos debates, como o Fórum das Mulheres. No dia 21 de junho, está prevista a realização da Cúpula das Mulheres Chefes de Estado.
A ministra de Meio Ambiente, Izabella Teixeira, voltou a afirmar que a Rio+20 é uma “conferência de partida e não de chegada, como foi a Rio 92”. “Trabalhamos anos para consolidar documentos. Agora, vamos partir para buscar futuro melhor e a mulher tem papel fundamental nesse processo.”
A ministra anunciou ainda que o governo vai divulgar amanhã (31), no Rio de Janeiro, um estudo com foco no consumo sustentável que reforça o reconhecimento da importância do papel da mulher nesse processo. “A pesquisa mostra que é possível influenciar consumo a partir das mulheres. E ninguém está falando para que deixem de consumir, mas para consumir melhor, sem armadilhas do marketing do asterisco. Outro ponto é que tem um campo enorme para trabalhar a questão dos negócios sustentáveis tendo a mulher em destaque”, adiantou.
A pesquisa “Mulheres e consumo: cenário atual e tendências futuras”, foi realizada pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) em parceria com empresas privadas. O estudo é qualitativo e foca na relação entre consumo de massa e sustentabilidade, com o obejtivo de subsidiar a estratégia de programas educacionais sobre consumo consciente e responsável.
*A matéria foi ampliada às 14h31   //  Edição: Lílian Beraldo

Post Author: partes