Defesa Civil Nacional terá estoques estratégicos para atender pessoas atingidas por desastres

Cada região do país contará com um Centro de Distribuição. Os Correios serão responsáveis pelo transporte e armazenagem dos materiais

Brasília, 17/07/2013 – Para amenizar os danos materiais e humanos de vítimas de desastres, o secretário nacional de Defesa Civil, Humberto Viana, e o presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, Wagner Pinheiro de Oliveira, assinaram, nesta quarta-feira (17), o contrato que criará os Estoques Estratégicos de Assistência Humanitária. Ao todo, serão desenvolvidos cinco centros de distribuição de materiais para atender pessoas atingidas por qualquer tipo de desastre. A ação é inédita no Brasil e atenderá todos os municípios do país.
Inicialmente, os estoques serão instalados em Manaus (AM), Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro (RJ), Recife (PE) e Brasília (DF), mas poderão ser expandidos para outras regiões futuramente. Os centros armazenarão kits de limpeza, higiene pessoal e alimentos, além de garrafas de água mineral e kits dormitório, que podem atender até cinco pessoas de uma mesma família. Os Centros de Distribuição serão instalados nas cidades ainda no segundo semestre de 2013.
De acordo com Humberto Viana, os estoques estratégicos resolverão um antigo entrave enfrentado pela defesa civil, a logística. “Os implementos que a gente adota nas primeiras 48 horas do desastre, como alimentos, remédios e kits de higiene, dependendo das circunstâncias, a gente poderia levar até dez dias para entregar. Em dez dias, as pessoas já estão fora da emergência. Com esse novo modelo de distribuição, dependendo do lugar, nós podemos enviar em até 24 horas”, explica.
O secretário nacional de Defesa Civil acredita que os Estoques Estratégicos serão utilizados como modelo para outros países, assim como ocorreu com o Cartão de Pagamento de Defesa Civil. O cartão, que transfere recursos para regiões em situação de emergência atingidas por desastres, teve o reconhecimento da Organização das Nações Unidas (ONU). “Eu acredito que esse modelo de logística que inauguramos é tão bom quanto o cartão, só que ele tem uma resposta mais rápida. Ou seja, é o atendimento à população que está precisando”, pontua.
A solicitação de Kits de Assistência Humanitária será feita pelo município ou estado afetado à Secretaria Nacional de Defesa Civil, por meio do Plano de Resposta. A demanda deve ser precedida pelo Reconhecimento Federal de Situação de Emergência ou Estado de Calamidade Pública. Após a aprovação do pedido, os materiais serão retirados dos Estoques Estratégicos e enviados ao solicitante.
Os Correios terão a responsabilidade de manter os Centros de Distribuição. A empresa também realizará a logística de armazenagem, a distribuição, bem como o recebimento de carga, controle de estoque, recebimento de pedidos, embarque da carga, entrega nos locais previstos e gerenciamento de todo o processo.
Assessoria Integração Nacional

Post Author: revistapartes