Turismo cultural: um novo olhar para o Brasil

Turismo cultural: um novo olhar para o Brasil

Raquel Ribeiro de Souza Silva*

 

RESUMO

Raquel Ribeiro de Souza Silva – Doutoranda em Geografia – Universidade Federal do Paraná (UFPR). Bacharel em Turismo pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). E-mail: unesp2004@yahoo. com. br

Considerando o atual crescimento do segmento denominado turismo cultural no Brasil, o objetivo deste artigo é abordar esta atividade turística como via de valorização do patrimônio material, imaterial e natural das comunidades receptoras, considerando a possibilidade de desenvolvimento econômico, social e cultural destes locais. Utilizou-se como procedimento metodológico a pesquisa bibliográfica e documental.

Palavras-chaves: Cultura, Patrimônio, Visitação, Comunidade, Desenvolvimento.

Cultural tourism: a new look at Brazil 

ABSTRACT

Considering the current growth of the segment called cultural tourism in Brazil, the aim of this article is to address this tourism type as a way of valuing the tangible heritage, natural heritage at receiving communities, considering the possibility of economic, social and cultural development at these sites. As the methodological procedure it was used literature and documents research. 

Keywords: Culture; Heritage; Visitation; Community; Development.

INTRODUÇÃO

Historicamente, o conceito de cultura para os ingleses e franceses traduzia a construção de tudo o que a Europa ensinou ao mundo ocidental no processo de colonização, enquanto que para os alemães cultura tinha como significado toda a construção coletiva e diversa com que cada povo edificava a sua vivência particular (MENESES, 2004).

A junção destas noções díspares, mas complementares, fez a cultura tornar-se para nós hoje tudo o que se constrói na vivência coletiva, fruto de difusões de cultura distintas e de criações e novas saídas para problemas cotidianos (MENESES, 2004).

Considerando o crescimento do segmento denominado turismo cultural no Brasil, o objetivo deste artigo é abordar esta atividade turística como via de valorização do patrimônio material, imaterial e natural, bem como uma possibilidade de desenvolvimento econômico, social e cultural para as comunidades receptoras. Para tal será realizada uma abordagem descritiva utilizando como procedimento metodológico a pesquisa bibliográfica e documental (DENCKER, 1998).

TURISMO CULTURAL NO BRASIL

O Ministério do Turismo define como turismo cultural as atividades turísticas relacionadas à vivência do conjunto de elementos significativos do patrimônio histórico e cultural e dos eventos culturais, que valorizam e promovem os bens materiais e imateriais da cultura brasileira (BRASIL, 2010a).

Esta modalidade turística destaca-se das demais por possuir como principal atrativo os aspectos da cultura humana tendo por finalidade a valorização da história, do cotidiano, dos saberes de uma comunidade tanto por parte dos visitantes como por parte dos visitados (BARRETO, 2000).

Estes aspectos culturais podem ser representados por intermédio de patrimônios de caráter material, imaterial e natural, o que inclui tudo aquilo que constitui um bem apropriado pelo homem, com suas características únicas e particulares (PINSKY; FUNARI, 2003).

De acordo com a pesquisa sobre a caracterização e o dimensionamento do turismo doméstico no Brasil, realizada pelo Ministério do Turismo, o turismo cultural ocupa o terceiro lugar no ranking de motivação para a realização de viagens domésticas (BRASIL, 2010a). Um estudo sobre a demanda turística internacional também aponta a cultura brasileira como principal motivação de viagens a lazer realizadas no país (BRASIL, 2010b).

Esse grande interesse do turismo pelos diversos patrimônios brasileiros pode ter um significado positivo à medida que contribuem para a proteção e recuperação destes, além da divulgação de sua importância estimulando, assim, a inserção destes bens na dinâmica sócia retirando-os da condição de descaso.

Surge assim uma necessidade de que haja um real entendimento da importância do significado desses bens, para evitar que o patrimônio se torne um mero objeto de consumo (SCIFONI, 2006).

Neste contexto, a interpretação do patrimônio figura nas discussões sobre patrimônios e também encontra espaço no segmento do turismo cultural, considerando o desafio de “ensinar” o visitante, por meio de informações sobre a história do local, tornado o patrimônio mais do que um objeto de mera contemplação e sim um meio de conhecer a cultura e a identidade a partir da percepção do local visitado (CHIOZZINI, 2013).

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O turismo cultural possui a capacidade de gerar não apenas renda para o local em estudo, mas também é capaz de disseminar conhecimento por meio do reconhecimento e interpretação do patrimônio, possibilitando trocas de experiência entre a comunidade local e o visitante tornando possível o desenvolvimento e a transformação do espaço urbano e regional.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BARRETO, M. Turismo e legado cultural: As possibilidades do planejamento. Campinas, SP: Papirus, 2000.

BERTONCELLO, R. Las práticas turísticas e sus implicâncias sócio espaciales. In: CORIOLANO, L. N. M. (org). Turismo com ética. Fortaleza: UECE, 1998, p. 57-75.

BRASIL. Turismo cultural: orientações básicas. 3. ed. Brasília: Ministério do Turismo, 2010a.

BRASIL, Ministério do Turismo. Estudo da demanda turística internacional 2004 – 2008. Brasília: Ministério do Turismo, 2010b.

CHIOZZINI, D. Turismo cultural e educação patrimonial mais próximos. Patrimônio: Revista eletrônica do IPHAN. Disponível em: <http://www.labjor.unicamp.br/patrimonio/materia.php?id=147>. Acesso em: 09 abr. 2013.

DENCKER, A. F. M. Métodos e técnicas de pesquisa em turismo. 8. ed. São Paulo: Futura, 1998.

LEIPER, N. Tourist attraction systems. Annals of tourism research, v. 17, n. 3, p. 367-384, 1990.

MENESES, U. T. B. A paisagem como fator cultural. In: YÁZIGI, Eduardo. (org). Turismo e paisagem. São Paulo: Contexto, 2002.

PARANÁ. Secretaria de Estado do Turismo. Estudo da demanda turística litoral – 2000 a 2006. Curitiba, 2008. Disponível em: <http://www.turismo.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=691>. Acesso em 09 fev. 2013.

PINSKY, J.; FUNARI, P. P. (org.) Turismo e patrimônio cultural. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2003.

SCIFONI, S. A construção do patrimônio natural. 294 f. Tese (Doutorado em Geografia). Departamento de Geografia, USP, São Paulo, 1996.

* Doutoranda em Geografia – Universidade Federal do Paraná (UFPR).  Bacharel em Turismo pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). E-mail: unesp2004@yahoo. com. br

 

Post Author: partes