Por Gilberto da Silva*

Fragmento da capa de O Rosto e a Máquina

A PAULUS lança O rosto e a máquina: O fenômeno da comunicação visto pelos ângulos humano, medial e tecnológico, de Ciro Marcondes Filho que busca formatar uma Teoria da Comunicação livre dos “vícios” da Sociologia, da Filosofia, da Antropologia ou da Ciência Política. Assim como vários estudiosos da área, Ciro que  professor da USP, deseja uma Nova Teoria da Comunicação feita e discutida no ‘campo’ próprio da Ciência – um saber específico, uma área de conhecimento específica – e não nas chamadas Ciências Aplicadas.

Segundo Ciro, “nas antigas formas, ao se estudar a comunicação, fazia-se sociologia, ciência política, estudos antropológicos, todos eles muito importantes e necessários, mas não comunicação propriamente dita”. Este rótulo  é usado nas escolas internacionais como a de Chicago, Birmingham, de Frankfurt, de Toronto, de Moscou. Para o autor este rótulo reproduz chavões e abordagens equivocadas. “Nossa proposta é revolucionária neste sentido: ela trabalha na constituição de um campo de saber específico, de uma área do conhecimento própria”, completa.

Ciro Marcondes Filho é pesquisador de conceito 1A do CNPq, criador do Princípio da Razão Durante, a base da Nova Teoria da Comunicação, que propõe um saber específico e original para a área de Comunicação, assim como um procedimento de pesquisa próprio, o metáporo.

O autor. Ciro Marcondes Filho, sociólogo, jornalista, doutor pela Universidade de Frankfurt, com pós-doutorado pela Universidade de Grenoble (França); publicou mais de 20 obras nas áreas de comunicação, jornalismo, televisão e novas tecnologias. Atualmente é vice-chefe do Departamento de Jornalismo e Editoração da ECA-USP e detentor da Cátedra Unesco de Divulgação Científica.

Nesta obra o ponto de partida é a afirmativa que a velha disciplina Teoria da Comunicação trabalha com rótulo antigo, obsoleta e não em sintonia com a nova Era Digital. O livro O rosto e a máquina: O fenômeno da comunicação visto pelos ângulos humano, medial e tecnológico é o volume I da Nova Teoria da Comunicação e nele o autor introduz conceitos, simples, para leigos definindo o que é a comunicação humana, a comunicação de massa e internet realiza um retorna às teorias clássicas da comunicação e seus pensadores.

Diante do trajeto histórico o autor nos apresenta Barthes (aquele que ocupou-se com os signos, os sistemas de oposições e as funções simbólicas), Derrida (o homem da descontrução e do desmonte das estruturas tradicionais) , Foucault (o arqueólogo do pensar de forma diferente), o pós-estruturalista Deleuze, Adorno, Benjamin, Habermas (e todos os componentes da chamada Escola de Frankfurt e críticos da Indústria Cultural), Maturana (autopoiese – sistema autônomo fechado, autorreferente e que se constrói a si mesmo), Luhmann (de quem Ciro traduziu A Realidade dos Meios de Comunicação pela PAULUS), Husserl e Kamper entre outros.

Independente de cerrar fileiras na crença e que a comunicação é uma teoria própria ou se ela é “luhmanniamente” improvável a comunicação, algo indispensável, ou seja, sem ela qualquer ser humano não poderia, nem conseguia relacionar-se e até mesmo viver, a leitura da obra em questão torna-se um valioso portal para quem estuda ou se interessa pelos estudos de comunicação.

O Livro:

Título: O rosto e a máquina – O fenômeno da comunicação visto pelos ângulos humano, medial e tecnológico – Nova Teoria da Comunicação – Vol. 1
Autor: Ciro Marcondes Filho
Coleção: Comunicação
Acabamento: Costurado
Formato: 13,5 cm x 21 cm
Páginas: 184
Área de Interesse: Comunicação.

*Gilberto da Silva é editor da Revista Partes

Compartilhe esse texto

Share to Google Buzz
Share to Google Plus
Share to LiveJournal
Share to Yandex