Prefeitura reorganiza 45 linhas de ônibus na Zona Leste

SPTrans realizará a partir deste sábado 16 alterações de itinerários, 14 seccionamentos, dez substituições, quatro alterações de numeração ou nome, além da criação de uma nova linha nas regiões de Cidade Tiradentes, São Mateus e Carrão

 

A Prefeitura inicia neste sábado (26) a reorganização de 45 linhas de ônibus da chamada Área 4, nas regiões de Cidade Tiradentes, São Mateus e Carrão, na Zona Leste. A SPTrans promoverá 16 alterações de itinerário, 14 seccionamentos (divisão de uma linha em mais), dez substituições, quatro trocas de nome ou número e a criação de uma nova linha. Os itinerários de trólebus não serão alterados.

Segundo a SPTrans, cerca de 200 mil pessoas utilizam as linhas que serão reorganizadas e cerca de 30% dos usuários terão alguma mudança em seu trajeto.

As linhas eram operadas pelo Consórcio Leste 4 até o início deste mês, quando foi decretada a caducidade do contrato por falhas no serviço prestado, com paralisação do atendimento de usuários. Parte da frota utilizada nas linhas será substituída por veículos maiores e mais confortáveis, propiciando mais oferta de lugares. Durante as últimas semanas, foram distribuídos mais de 250 mil folhetos nas linhas que seriam reorganizadas, além de informativos do ‘Jornal do Ônibus’ afixado nos coletivos e também, banners instalados nos terminais que receberão os novos itinerários.

“A população da região estava muito mal atendida. Então, aproveitamos essa situação para a reorganização necessária para melhorar o atendimento e as medidas serão feitas para isso”, afirmou a diretora de planejamento da SPTrans, Ana Odila de Paiva Souza.

Veja as linhas reorganizadas e as opções para os usuários 

Reorganização

As medidas fazem parte de um projeto de reorganização do transporte coletivo de ônibus na cidade para que o sistema se torne mais eficiente. A idéia é de que o sistema seja reorganizado com linhas mais curtas, feitas por permissionários (microônibus) e com intervalos mais curtos para fazer o transporte dos bairros periféricos, integrando em terminais com linhas que trafegam em grandes eixos estruturais, com veículos maiores de grande capacidade, rodando em corredores exclusivos.

Desde o início do ano, a Prefeitura já implantou 224,6 km de faixas exclusivas, superando o número previsto (220 km) para dezembro. O Programa de Metas 2013-2016 prevê ainda a construção de 150 km de corredores até 2016.
”Na prática, o usuário terá um serviço que ele pode contar, porque hoje ele quebra, não vem, e os intervalos não são regulares. Ele vai ter veículos maiores e melhores, velocidade mais rápida e ganhar tempo de viagem”, explicou a diretora da SPTrans.

Integração
O projeto prevê reorganizar as 1,3 mil linhas atuais em cerca de 900 novos itinerários, sendo 380 estruturais e 520 locais, o que não significa menos opções de deslocamento. No caso da alteração nas 45 linhas da Zona Leste, o usuário ganha 90 opções diferentes com os mesmos trajetos passando pelos terminais São Mateus, Carrão, Cidade Tiradentes e na Estação de Transferência de Itaquera, onde pode tomar outras linhas, sem pagar nova tarifa.

Antes da criação do Bilhete Único, apenas 15% dos usuários optavam por se deslocar em dois ou mais linhas e, atualmente, 50% das viagens são integradas. Os ônibus da cidade transportam 7 milhões de passageiros por dia e são responsáveis por 71% de toda a demanda de transporte coletivo da capital.

“O usuário está acostumado a usar a mesma linha por muito tempo e a expectativa de fazer uma integração o deixa inseguro, porque ele tem a imagem de que na troca de um ônibus para outro, vai demorar. A reorganização serve justamente para evitar isso, aumentando a frequência de ônibus nos pontos e evitando as filas de coletivos”, explicou Ana Odila.

Post Author: revistapartes