Cena do filme: Bem-Vindo a Nova York, com Gerard Departieu caracterizado como Mr. Devereaux, o poderoso presidente de uma instituição bancária internacional, em viagem a Nova York, que é denunciado por assédio sexual pela camareira do hotel.

Cena do filme: Bem-Vindo a Nova York, com Gerard Departieu caracterizado como Mr. Devereaux, o poderoso presidente de uma instituição bancária internacional, em viagem a Nova York, que é denunciado por assédio sexual pela camareira do hotel.

Aparecida Luzia de Mello*

 

Era época da copa do mundo. Naquele dia o Brasil jogaria no período da tarde. Na empresa quase todos se vestiam a caráter – roupas da cor verde, amarela, azul e branco.

Ela, que sempre estava vestida formalmente já que recebia e fazia muitas visitas a clientes da empresa, pois era gerente comercial também aderiu à moda.

Colocou uma calça jeans azul, camisa branca, blazer amarelo e uma cartola verde, embora a roupa fosse discreta, sem decotes ou agarrada demais, lhe deu um ar mais descontraído e jovial. Logicamente pela euforia do dia, seu rosto estava iluminado, todos estavam mais alegres, sorridentes e ansiosos ao mesmo tempo.

No período da manhã todas as atividades profissionais transcorriam normalmente. Inclusive inspeções de qualidade.

Por volta das 10 horas da manhã chegou o inspetor de uma multinacional que consumia serviços de mão de obra da indústria. O profissional titular da multinacional estava em curso e em seu lugar chegou um substituto.

O responsável pelo setor da indústria a ser inspecionada apresentou-se, cumprimentou-o e o levou até sua sala, convidou-o a sentar-se e tomar um café para um breve bato papo.

 

Alguns momentos depois eis que a executiva necessitou de algumas informações e resolveu ir até a fábrica. Lá chegando foi direto a sala de qualidade, ao perceber que havia visita externa, pediu licença para interromper e cumprimentou formalmente os dois.

O gerente de qualidade apresentou-a ao inspetor da multinacional e lhe perguntou em que poderia ser útil. Ela rapidamente conversou sobre o assunto de seu interesse, pediu desculpas pela interrupção, agradeceu, despediu-se educadamente e retirou-se.

 

O inspetor novato então diz:

-: puxa que mulher! Ah se eu “pego ela” eu faço isto, faço aquilo, e mais isto, e isto também, e depois faço… e por ai foi…

O gerente deixou que ele falasse tudo que ele quisesse e o ouviu em silêncio. Depois de enaltecer todas as peripécias que ele faria com ela. O gerente que tinha se limitado a ouvi-lo sem fazer nenhum comentário, disse-lhe:

-: pois é eu faço tudo isto com ela e algumas coisas a mais, todas as noites.

O sujeito arregalou os olhos, entre guloso e surpreso, com aquela cara de como você conseguiu?!? Me dá a dica! Eu também quero comer… Seu olhar brilhava… E então o gerente completou:

-: Ela é minha mulher!

 

Detalhe: A inspeção que nem havia começado, terminou ali! O sujeito carimbou os documentos, assinou-os, separou as etiquetas com o termo APROVADO, entregou-as ao gerente e sumiu.

O garanhão virou piada entre seus pares no setor de inspeção da Multinacional, pois lá chegando teve a ousadia de discutir com o colega que fora substituir por não lhe ter avisado que na empresa visitada havia um casal! Oras, oras…

 

Aparecida Luzia de Mello é  Advogada, Mestre em Políticas Sociais, Pós-Graduada em Gestão e Organização do 3º Setor, Psicogerontologia e Memórias. Palestrante, professora, dirige o PEEM Ponto de Encontro e Estudo da Maturidade, voluntária da 3ª Idade e Recanto do Idoso Nosso Lar.  cidamell@uol.com.br

Aparecida Luzia de Mello é Advogada, Mestre em Políticas Sociais, cidamell@uol.com.br

* Mestre em Políticas Sociais.

E-mail: cidamell@uol.com.br

Compartilhe esse texto

Share to Google Buzz
Share to Google Plus
Share to LiveJournal
Share to Yandex