Gilda E. Kluppel Encontrou uma pilha de revistas femininas antigas, entre elas a sua preferida quando jovem. Logo, separa a coleção que estava no sótão da casa, empoeirada e cheirando a mofo, ainda precisa colocar ao sol para conseguir manusear. Depois de livrar-se do cheiro da velharia, curiosa, foi rever as páginas que gostava de ler cinquenta anos atrás. Surpreendeu-se com o que encontrou. Nas revistas, o universo feminino era restrito. Pareciam manuais para que as mulheres concorressem ao título de “rainha do lar” e, assim, pudessem manter um casamento feliz. Encontrou inúmeros conselhos e dicas “valiosas” às esposas sobre o cumprimento de suas tarefas. Não aceitava tantas orientações de como se comportar em determinadas situações. Estarrecida exclamou: “Meu...
Continue a Leitura »