Educação ambiental na Guarda Mirim de Irati-PR: uma experiência com a extensão universitária no curso de Geografia da Unicentro

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GUARDA MIRIM DE IRATI-PR: EXPERIÊNCIA COM A EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA NO CURSO DE GEOGRAFIA DA UNICENTRO

 

Zaqueu Luiz Bobato[1]

Wanda Terezinha Pacheco dos Santos[2]

 

Resumo 

Zaqueu Luiz Bobato é professor do Departamento de Geografia da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) campus de Irati-Pr. Doutorando em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre em Geografia Gestão do Território pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Licenciado em Geografia pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro). E-mail: zaqueudegeo@gmail.com

O projeto de extensão da Universidade Estadual do Centro-Oeste-UNICENTRO “Trabalhando a Educação Ambiental na Guarda Mirim de Irati – PR” é desenvolvido no município iratiense em parceria com a Prefeitura. O projeto congrega crianças e adolescentes em período de contraturno escolar com a finalidade de contribuir para a formação intelectual, moral, civil e física, assim como a sua adequada inserção no meio familiar e social. O projeto conta com o desenvolvimento de trabalhos práticos de professores e alunos dos departamentos pedagógicos dos cursos de Geografia, Matemática, Pedagogia, Engenharia Florestal e Engenharia Ambiental. Destaca-se que o trabalho em questão apresenta a inserção do curso de Geografia no projeto, dado o fato que, no ano de 2012 e 2013, acadêmicos e professores do Departamento de Geografia (DEGEO/I) desenvolveram na Guarda Mirim atividades relacionadas a Educação Ambiental, tratando em especial da problemática do lixo e da poluição do meio ambiente. 

Palavras-chave: Extensão, educação, ensino, cidadania.

Resumen 

El proyecto de extensión de la Universidade Estadual do Centro-Oeste – UNICENTROTrabalhando a Educação Ambiental na Guarda Mirim de Irati – PR” es desarrollado en la ciudad iratiense en colaboración con la alcaldía. El proyecto reúne a niños y adolescentes en el período contrario al de la escuela a fin de contribuir para la formación intelectual, moral, civil y física, así como su inserción adecuada en el entorno familiar y social. El proyecto incluye el desarrollo de trabajos prácticos de profesores y estudiantes de los departamentos educativos de Geografía, Matemáticas, Pedagogía, Ingeniería Forestal e Ingeniería Ambiental. Se señala que el trabajo en cuestión presenta la inclusión del curso de Geografía en el proyecto, dado el hecho de que, en 2012 y 2013, académicos y docentes del Departamento de Geografía (DEEO/I) desarrollaron en la Guarda Mirim actividades relacionadas con la educación ambiental, abordando en particular la cuestión de los residuos y de la contaminación ambiental. 

Wanda Terezinha Pacheco dos Santos -Professora do curso de Geografia do DEGEO/I da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO). Possui Pós-doutorado pelo IG/UNICAMP em Geociências Aplicadas ao Ensino. Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2003). Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1994). Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (1982). E-mail: wanda.pachecosantos@gmail.com

Palavras clave: Extensión, educación, enseñanza, ciudadanía.

 

Introdução 

A Associação de Moradores do Bairro Rio Bonito (AMBRB) de Irati criou a Guarda Mirim no ano de 2002. Desde sua criação mais de 600 adolescentes participaram recebendo uma formação cívica, patriótica e também voltada para acessar o primeiro emprego. Na área de atuação da Guarda Mirim, estendida por vários bairros onde predominam famílias de baixa-renda, o risco social é agravado por problemas de desemprego, evasão escolar, falta de estrutura adequada para atividades físicas, recreativas e a proliferação do consumo de drogas.

 Em 2010 com recursos do Banco do Brasil via o Fundo da Infância e Adolescência–FIA, a Guarda Mirim passou a desenvolver suas atividades sob um novo formato. Destaca-se que os objetivos do projeto Guarda Mirim são os seguintes: Manter um contraturno escolar, onde as atividades práticas e as reflexões desenvolvidas complementam e ampliam os conhecimentos dos currículos escolares; Promover o desenvolvimento pessoal, profissional e sociocultural de adolescentes de comunidades populares para que possam acessar sua primeira experiência de trabalho formal via Lei de Aprendizagem; Mobilizar e orientar a sociedade e as empresas para que incorporem novas práticas de contratação e formação de “jovens” para o mundo do trabalho; Orientar iniciativas públicas, comunitárias e privadas para que prestigiem e incorporem práticas e estratégias produtivas localmente sustentáveis, com fundamento na economia solidária; Educar, orientar, zelar pela saúde e elevação da autoestima das crianças e adolescentes incluídas no projeto e seu contexto de origem; Colaborar para um melhor ajustamento do adolescente na família, na escola e na comunidade preparando-o para suas futuras funções de agente de transformação social; Promover, conjuntamente, educação ambiental e tecnológica – através de atividades teóricas e práticas – dando condições aos integrantes do projeto de atuar como multiplicadores junto às comunidades.

 Evidencia-se que o Banco do Brasil, em 2014, pelo 4º ano consecutivo aportou recursos para execução do Projeto Guarda Mirim, levando em consideração os resultados alcançados. São recursos de renúncia fiscal (imposto de renda), repassados à Guarda Mirim através do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Irati-CMDCA, cuja aplicação é fiscalizada pela Prefeitura Municipal e Tribunal de Contas do Estado do Paraná–TCE.

 Aponta-se que a Guarda Mirim por estar vinculada a uma associação de moradores de bairro, foi, muitas vezes, prejudicada no sentido de se habilitar a receber ajuda de órgãos públicos, tanto municipais, estaduais ou federais. Dessa forma, sensibilizando a sociedade, em junho de 2012, um movimento popular constituiu a Guarda Mirim de Irati-GMIRIM, como personalidade jurídica própria. Em seguida, elegeu a sua primeira diretoria no dia 21/06/2012, quando foi também aprovado o seu estatuto. Na mesma ocasião, para garantir o futuro da nova entidade, foi proposto a criação de um Conselho Municipal da Guarda Mirim, a ser constituído por representantes de todas as secretarias municipais e pessoas interessadas em promover a inclusão social de adolescentes, com a missão de auxiliar, prover e fiscalizar a nova Guarda Mirim.

O mesmo projeto, aprovado pela Câmara Municipal e sancionado pelo Prefeito, criou também o Fundo Municipal da Guarda Mirim, que passou a receber recursos de subvenções públicas e de outras fontes para garantir a continuidade das ações sociais da instituição GMIRIM. Esclarece-se que a Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) desenvolve projetos pedagógicos dando auxílio a coordenação da Guarda Mirim.

No caso do curso de Geografia da Unicentro de Irati, este desenvolveu trabalhos pedagógicos relacionados a educação ambiental. Portanto, com o objetivo de sensibilizar os alunos da importância da educação ambiental, através de ações que inspirem atitudes práticas que possam se transformar em modelos a serem seguidos socialmente, o projeto de educação ambiental desenvolvido junto aos alunos da Guarda Mirim de Irati – PR intencionou desenvolver atividades pedagógicas com crianças e adolescentes no contra turno do horário escolar.

A proposta de professores e acadêmicos do curso de Geografia (2012/2013) foi trabalhar através de oficinas, com as temáticas do lixo e da poluição. Elucida-se que foram realizadas palestras, saídas de campo, gincanas para conscientização ambiental, entre outras atividades. No entanto, essas atividades não foram aplicadas como “soluções prontas” para as deficiências ambientais e sociais do município de Irati, mas como um caminho possível a ser trilhado e construído junto com os saberes dos alunos que participaram dos encontros (oficinas).

Procedimentos metodológicos  

 A elaboração deste artigo deu-se a partir da sistematização dos resultados obtidos após a realização dos trabalhos do projeto Guarda Mirim nos anos de 2012 e 2013, assim como de revisão bibliográfica, leituras de projetos que abordam a temática da educação ambiental.

Educação Ambiental na Guarda Mirim 

As temáticas relacionadas às questões ambientais tanto em pesquisas nas universidades ou em Organizações Não Governamentais-ONG’s, empresas, associações de bairros, meios de comunicação, entre outros, fazem com que as discussões, práticas e concepções sejam bastante diversificadas. Assim, não podemos dizer que a educação ambiental não acontece, ela acontece de diversas maneiras, por diferentes sujeitos numa pluralidade de concepções teóricas e práticas e se configura num campo aberto de produção e saberes.

Diante da necessidade de ser realizado um trabalho reflexivo e prático envolvendo a educação ambiental, os professores do curso de Geografia da Unicentro, campus de Irati envolvidos no projeto da Guarda Mirim, estabeleceram como proposta criar por meio de oficinas, estratégias que permitissem aos alunos a compreensão da importância da educação ambiental no dia-dia dos mesmos.

Ao abordar a importância da educação ambiental no contexto escolar Dal Pont (2003, p. 553) destaca que “um trabalho de educação e meio ambiente precisa apontar temas/problemas do dia-a-dia que tenha algum significado para aquele que está envolvido no processo da oficina”. No caso das oficinas desenvolvidas nos anos de 2012/2013, estas foram trabalhadas a partir do contexto ambiental do município. Para tanto, ocorreram da seguinte forma: criou-se uma equipe de três alunos (acadêmicos do curso), logo, a equipe preparou uma oficina de 12 horas para ser aplicada com os alunos de contraturno do projeto Guarda Mirim de Irati.

Destaca-se que a equipe preparou e executou a oficina nos anos de 2012 e 2013 sob a supervisão e acompanhamento dos professores do curso de Geografia envolvidos com o projeto. No ano de 2012 a oficina de 12 horas fora aplicada no mês de setembro, já no ano de 2013 a oficina foi trabalhada no mês de outubro. No ano de 2012 um número de 20 alunos em contraturno (alunos que estudavam em colégios do município no turno vespertino e que, portanto, participavam do projeto Guarda Mirim no turno matutino), cursaram a oficina de educação ambiental. No ano de 2013 foram 23 alunos de contraturno que participaram da oficina no turno matutino.

 Elucida-se que a oficina nos anos de 2012 e 2013, teve os seguintes objetivos: sensibilizar os alunos da importância da educação ambiental no dia-a-dia; mostrar aos alunos como o lixo pode ser transformado e reaproveitado; ensinar aos alunos qual a forma correta de separar os diferentes tipos de lixo.

A preparação e execução da oficina levou em consideração o seguinte pensamento: “os alunos da Guarda Mirim ao participarem da oficina, estarão formando seu caráter e se sociabilizando. Nesse contexto teremos a inserção da consciência ambiental, com ações práticas que inspirem atitudes práticas de forma ambientalmente corretas, que se transformem em modelos a serem seguidos em sociedade”.

Visando despertar a consciência ambiental ministrou-se num primeiro momento uma palestra informativa aos alunos, abordando temas como a coleta e separação do lixo, a importância de dar o destino correto ao lixo com apresentação de slides a respeito do tema, fotos e vídeos. Foram dedicadas sete horas de reflexões em sala (textos, desenhos, imagens, vídeos) que abordaram questões ambientais no âmbito do município no qual os alunos residiam.

Para encerrar a oficina fez-se uma saída de campo com os alunos até a “Flona de Irati” (Floresta Nacional de Irati). Tal saída de campo fora realizada objetivando despertar nos alunos a percepção do ambiente em sua forma mais “natural”, sempre enfocando a importância da inter-relação homem-natureza. A saída de campo instigou os alunos a refletirem a importância da educação ambiental para a preservação e manutenção dos recursos naturais tanto para o presente, assim como para as gerações futuras.

Considerações finais 

O projeto com a Guarda Mirim tem dado importantes contribuições para o processo de formação dos alunos que dele frequentam em contraturno. Em reunião com os pais dos alunos participantes do projeto, estes destacaram que os filhos têm mostrado melhorias no desempenho escolar, assim como na vivência do dia-dia em casa. O curso de Geografia contribuiu para com o projeto nos anos de 2012 e 2013 direcionando trabalhos de educação ambiental.

Constatou-se que ao ser trabalhado temas levando em consideração a realidade do município onde os participantes residem, estes foram bem aceitos pelos alunos. Para Dal Pont (2003, p. 553) “um trabalho de educação e meio ambiente precisa apontar temas/problemas do dia-a-dia que tenha algum significado para aquele que está envolvido no processo da oficina”. Dessa maneira, foi com esse pensamento que se planejou e desenvolveram-se as atividades com o público alvo da Guarda Mirim de Irati.

Destaca-se que ao ser percebida a importância que o projeto tem para com os alunos participantes, o curso de Geografia tem dado continuidade aos trabalhos. Para tanto, no ano de 2014 ampliou-se os temas a serem trabalhados.

Aponta-se que o projeto também contribui para o processo de formação dos acadêmicos do curso, pois a inserção dos grupos de acadêmicos no contexto de “ensino/aprendizagem” permite que os mesmos reflitam e lancem estratégias didáticas, processos estes que são indispensáveis para sua formação de “professores de Geografia”.

Referências

Guarda Mirim. Estatuto da Guarda Mirim de Irati – Pr, 2012.

DAL PONT, Karina Rousseng. “A cidade não pára a cidade só cresce”: relato de uma oficina de educação e meio ambiente. Anais do VI Congresso de Ecologia do Brasil. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará. 2003.

 

[1] Professor do curso de Geografia do DEGEO/I da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO). Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre em Geografia “Gestão do Território” pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).  Licenciado em Geografia pela Universidade Estadual do Centro-Oeste, (UNICENTRO) campus de Irati – PR. E-mail: zaqueudegeo@gmail.com.br

[2] Professora do curso de Geografia do DEGEO/I da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO). Possui Pós-doutorado pelo IG/UNICAMP em Geociências Aplicadas ao Ensino. Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2003). Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1994). Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (1982). E-mail: wanda.pachecosantos@gmail.com

Post Author: partes