O uso dos recursos tecnológicos no ensino médio das escolas públicas de Macapá

A INTEGRAÇÃO DAS MIDIAS NO USO

 LABORATORIO DE INFORMATICA: O uso dos recursos tecnológicos no ensino médio das escolas públicas de Macapá – Ap.

Leila Nazaré dos Santos Passos*

Resumo: O artigo tem por objetivo apresentar uma discussão que analisa de que forma os professores do ensino médio estão realizando em suas didáticas, metodologias e aulas a integração das mídias tecnológicas no uso laboratório de informática. Foi feita pesquisa de campo com 40 alunos do 1.º ano do ensino médio da Escola Estadual Prof. Gabriel Almeida Café. Constatou-se com a maioria que os professores utilizam o LIED, o computador, televisão, data show, caixa de som, microfone e telão são os recursos mais usados nessas aulas.

Palavras chave: Integração, Mídias, Informática.

Abstract: The article aims to present a discussion that examines how high school teachers are doing in their teaching, methodologies and lessons integration of technological media in the computer lab use. Field research was conducted with 40 students of the 1st year of high school at the State School Prof. Gabriel Almeida Café. It was found that with most teachers use LIED, computer, television, data show, speaker, microphone and screen are the most commonly used features in these classes.

Keywords: Integration. Media. Computer.

1 Introdução

O artigo analisa o tema a integração das mídias no uso do laboratório de informática no ensino médio da Escola Estadual Prof. Gabriel Almeida Café apresentando estudos sobre a busca pelo prazer de aprender com recursos tecnológicos.

Nas últimas décadas a sociedade mundial vive na onda do mundo globalizado e da nova era dos avanços tecnológicos informacionais, neste contexto, o homem é influenciado pela a velocidade do acesso às informações, e às constantes mudanças nas estruturas sociais, influenciadas pela Tecnologia da Informação e Comunicação. Essa realidade tem feito os alunos buscarem acesso as novas mídias, fazendo-os ultrapassarem as barreiras domésticas e estarem mais presentes no contexto pedagógico, utilizadas com a finalidade de atingir metas de melhoramento do nível educacional, de inclusão digital e social (Castells, 2012). Eis, o que estão promovendo o que Castells (2012) chama de “revolução da tecnologia da informação”, que interligou a sociedade em rede com uma cultura da virtualidade real construída a partir de um sistema de mídia onipresente, interligado e altamente diversificado.

Dessa forma, busca-se responder a seguinte questão: Como poderá a escola contribuir para que os alunos das turmas do ensino médio possam fazer uso das novas ferramentas pedagógicas do tipo tecnológica?

O estudo tem como hipótese, a afirmação de que os alunos do ensino médio só passarão a usar as novas mídias educacionais com responsabilidade, quando a escola conseguir transformar paradigmas tradicionais e meios de inserção e estratégico dessas mídias no processo ensino aprendizagem. Por este pressuposto, Levy (2000) afirma que não se pode mais considerar a educação baseada unicamente na lógica da linguagem escrita. Hoje, o rádio, televisão, jogos eletrônicos e a internet fazem parte da vida dos estudantes e influenciam comportamentos, culturas, ações e valores. Como também explica Flores (1996), tornar o espaço educativo atrativo ao público jovem requer repensar a educação, oferecendo novas alternativas para que os alunos possam interagir e expressar.

Pretende-se, como objetivo geral, analisar de que forma os professores do ensino médio estão realizando em suas didáticas, metodologias e aulas a integração das mídias tecnológicas no uso laboratório de informática.

Em relação aos objetivos específicos, pretende-se: identificar de que forma promove-se no ensino médio o acesso aos instrumentos tecnológicos modernos; descrever o modo de uso do Laboratório de informática pelos professores do ensino médio; e por fim, evidenciar o significado da mídia, suas potencialidades e limitações de modo a estimular uma visão crítica das mídias disponíveis aos alunos do ensino médio.

O artigo está organizado em tópicos. No primeiro aborda-se a introdução, em seguida a metodologia da pesquisa. No terceiro tópico apresenta-se os resultados e a discussão da pesquisa. Encerra-se com as conclusões e referências.

 

2 Metodologia

Foi utilizada também a pesquisa de campo, a qual se consiste na observação dos fatos tal como ocorrem espontaneamente, detendo-se à observação do contexto social onde, no caso desse artigo, os alunos do ensino estão participando das atividades de laboratório de informática (Marconi; Lakatos, 2008).

A pesquisa ocorreu com amostra de 40 alunos de duas turmas do 1.º ano do ensino médio da Escola Estadual Prof. Gabriel Almeida Café, situada à Av. FAB, n.º 91, na cidade de Macapá. O que representa estatisticamente 47% do universo de alunos entrevistados. Participaram respondendo um questionário contendo três perguntas fechadas, cada uma contendo cinco opções de respostas previamente elaboradas pela autora do artigo. Além disso, efetuou-se visita á escola campo, observando o espaço do laboratório de informática (LIED) e as práticas docentes em seu conteúdo.

Os dados obtidos foram analisados sob o enfoque da abordagem quantitativa, por meio de estatísticas, porcentagens e gráficos de barras.

 

3 Discussão

Nesse momento, pretende-se apresentar, sob a forma de gráficos, a tabulação dos resultados obtidos com os questionários aplicados a amostra de 40 alunos do 1.º ano do ensino médio.

Gráfico 1. Uso do LIED pelos professores.

Fonte: Autora (2015).

         De acordo com as respostas obtidas pelos questionários aplicados, exposto no Gráfico 1, pode-se observar que 80% dos alunos disseram que sim, os professores utilizam o LIED, 10% disseram que não e 10% disseram que às vezes.

         Estes dados demonstram que os professores utilizam o laboratório de informática em suas práticas pedagógicas. É uma utilização baseada na continuidade da abordagem que é realizada dos conteúdos em sala de aula. Os professores utilizam o espaço com a finalidade de tornar o processo ensino aprendizagem facilmente recepcionado pelos alunos e tornando o processo mais enriquecido, dinâmico e criativo.

         Na escola, nessas aulas, os recursos tecnológicos do laboratório são utilizados para os processos avaliativos das disciplinas, pois os professores levam seus alunos para desenvolverem suas pesquisas, elaborarem, e apresentá-los como avaliação no processo ensino aprendizagem.

Gráfico 2. Recursos tecnológicos mais usados pelos professores

           Fonte: Autora (2015).

 

Pelo que se observou-se no Gráfico 2, descobriu-se que cerca de 40% dos alunos citaram o “computador” como recurso de maior utilização na sala de informática, 35% dos alunos, mencionaram os “retroprojetores” são recursos de utilização para exposição de conteúdos por parte dos professores. Por sua vez, 25% dos alunos, a “televisão” representa um dos mais usuais dentre os principais recursos tecnológicos utilizados.

Gráfico 3. Mídias presentes no LIED que auxiliam no processo ensino-aprendizagem.

           Fonte: Autora (2015).

         Pelo que observa-se no Gráfico 3, cerca de 40% dos alunos citaram “computadores” como a principal mídia do LIED. Em seguida destacaram a “Televisão” (20%), Datashow (10%), Caixa de Som (10%), Microfone (10%) e Telão (10%).

A Informática na Educação tem evoluído bastante nos últimos anos, principalmente pelo desenvolvimento de ambientes/ sistemas cada vez mais interativos.  Além dessa interação, a possibilidade de utilizar tecnologias distribuídas, permitindo assim, alunos adquirirem conhecimentos mesmo situados longe dos grandes centros (Padilha; Jácome, 2014).

Os alunos sabem que a informática é uma das formas de ser abrir para atualização profissional, ampliando o conhecimento para o mercado de trabalho, que consequentemente irão inseri-los no primeiro emprego, na melhora das condições econômicas. E assim, estarão portanto participando da rede do conhecimento que tem surgido no século XXI, como bem explicado por Nepomuceno (2007) ao afirmar que as comunidades se inserem quando passam a se apropriar das ferramentas interativas disponíveis nos ambientes de rede.

Assim sendo “a utilização das tecnologias de informação e comunicação, mesmo as mais modernas precisam se relacionarem, intimamente, à operacionalização da metodologia adotada” (Bulhões, 2001, p. 35).

 

4 Conclusões

Na realidade escolar objeto de pesquisa deste trabalho, constatou-se que durante as aulas a utilização de mídias tem sido realizada de modo importante, sendo visto elemento essencial do sucesso educacional, destacando-se como facilitadoras do aprendizado profissional do professor e do aluno.

         Os professores utilizam o laboratório de informática, com finalidades distintas, entre as quais se destacam: auxiliar na construção do conhecimento, facilitar a compreensão dos conteúdos, fazer os alunos pesquisarem os conteúdos ministrados e construírem suas produções em forma de pesquisa, para servirem como mecanismos a serem avaliadas em seminários expositivos, apresentações grupais e relacionar os programas computacionais no aprendizado das disciplinas ministradas.

Conclui-se que, o desafio maior está no uso coerente das tecnologias existentes no interior escolar, nos quais percebe-se, na sociedade emergir mecanismos tecnológicos e midiáticos diariamente inovadores. Portanto, todas as ferramentas tecnológicas existentes no ambiente escolar pesquisado já fazem, paulatinamente, parte do cotidiano educacional de professores e alunos. O que por ventura, poderão ocorrer, são novos desafios pedagógicos, onde os docentes, alunos, técnicos e comunidade escolar utilizem adequadamente, tais recursos informacionais em seu cotidiano, competindo à escola apontar direções do uso destes e outras inovações tecnológicas existentes na escola que favoreçam a construção do conhecimento e da cidadania.

Referências

BULHÕES, Paulo N. S. As novas tecnologias de Informação e comunicação (TIC’ s) no ensino de Administração: opiniões de professores e alunos do curso de Administração da UFRN. In: XII ENANGRAD (2001: São Paulo). Anais. SP: ANGRAD, 2001.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. 6 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2012.

FLORES, Angelita Marçal. A Informática na Educação: Uma Perspectiva Pedagógica.  Santa Catarina: Universidade do Sul de Santa Catarina, 1996.

LEVY, P. As Tecnologias da Inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. São Paulo: Editora 34, 2000.

MARCONI, M.A e LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

NEPOMUCENO, C. O conhecimento em rede: como implantar projetos de inteligência coletiva. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

PADILHA, T. P. P; JÁCOME, T.F; O uso de técnicas de modelagem de agentes em ambientes educacionais.  Laboratório de Inteligência Computacional do Centro Universitário Luterano de Palmas (CEULP). Disponível em: <http://lsm.dei.uc.pt/ribie/docfiles/txt2003729192912paper-226.pdf>. Acessado em: 8 nov. 2014.

* Professor da rede pública de ensino do Estado do Amapá. Graduado em Licenciatura em Pedagogia. Especialista em Gestão Pedagógica. Pós-graduanda em Mídias na Educação pela Universidade Federal do Amapá. E-mail: leila.passos.ap@gmail.com.

Post Author: partes