small-gods

Por Gilberto da Silva

 

“ O problema em ser um deus é que não se tem ninguém para quem orar.”

f6f90933-3e6d-42f9-b0dc-d98628958592 (1)O humor ácido é a tônica utilizada por Terry Pratchett para desenvolver uma história crítica à religião institucionalizada. Como imaginar um deus (Om) que se manifesta na forma de uma tartaruga sendo “uma tartaruga de pernas para o ar é a nona coisa mais patética em todo o multiverso”? É dessa forma que o autor a imagina em Pequenos Deuses, o décimo terceiro livro da consagrada série Discworld, mundo criado por Terry Pratchett para desenvolver seu humor ácido e sua fantasia para falar da realidade.
Para quem ainda não conhece o autor esta é uma oportunidade de entrar nas obras de Terry Pratchett que faleceu em março de 2015, aos 66 anos vitima do Mal de Alzheimer.

 

Para vencer a barreira de viver num corpo de tartaruga, OM precisará, então, contar com o auxílio do noviço Brutha (um catador de melão) para descobrir como recobrar seu poder. E a crença… Imagina um deus em forma de tartaruga tendo que ouvir as barbaridades do clérigo. Quem irá acreditar num deus tartaruga? E não esqueçamos: os homens maus estão presentes na obra… Nesse universo de invenção espetacular conheceremos os deuses que podem ser tão poderosos quanto às crenças de seus seguidores até porque “deuses não gostam de pessoas que não trabalham muito. Pessoas que não estão ocupadas o tempo todo podem começar a pensar”. Pensar é perigoso em qualquer universo. Então que tal viajar para uma cidade (Efebo) de filósofos, mas afinal, o que é um filósofo? disse Brutha. “Alguém que é brilhante o suficiente para encontrar um emprego sem trabalho pesado “, disse uma voz em sua cabeça.” E como fazer para encontrar um? “Por aqui? Jogue um tijolo, eu diria.”

Inventividade, acidez satírico, crítica e fantasia num mesmo Disco Mundo que até parece crer que estamos na Inquisição ou nas trevas da Idade Média onde o mundo é plano e estamos sendo carregados por uma tartaruga, lentamente e filosoficamente. Tudo faz parecer realidade. Mas sempre nos resta uma alternativa.

“O medo é uma terra estranha. Nele, a obediência cresce como milho, em fileiras que facilitam a colheita. Mas, ás vezes, nele crescem as batatas do desafio, que florescem no subsolo.”

 

PEQUENOS DEUSES
• Coleção: DISCWORD
• Autor: PRATCHETT, TERRY
• Tradutor: MANDARINO, ALEXANDRE
• Idioma: PORTUGUÊS
• Editora: BERTRAND BRASIL
• Assunto: Literatura
• Edição: 1
• Ano: 2015

Compartilhe esse texto

Share to Google Buzz
Share to Google Plus
Share to LiveJournal
Share to Yandex