Estudos sobre a História da Educação demonstram que a família foi historicamente assumindo responsabilidades diferenciadas no cuidado e educação das crianças. Nessa linha, Oliveira (2010) destaca que arranjos alternativos para prestar esse cuidado às crianças pequenas foram culturalmente construídos, e envolveram usos diversificados de redes de parentesco nas sociedades primitivas, desde “mães mercenárias” presentes desde a Idade Antiga, além de arranjos mais formais realizados em instituições construídas para este fim, e que delineavam as condições para o desenvolvimento infantil segundo a forma como entendiam este desenvolvimento, a partir das concepções existentes sobre a maneira como o destino social da criança atendida era pensado...
Continue a Leitura »