Hoje, de manhã cedo, meu pedreiro passou por aqui. E, engraçado, sua simples passagem me levou a escrever esta crônica. Quer ler? MEU PEDREIRO PASSOU POR AQUI… Meses atrás,  meu pedreiro veio aqui em casa, para consertar uma parede, mas não conseguia trabalhar sossegado. Estava com uma forte renite alérgica que o atacava devido o pó e o cheiro de tinta… com os quais se via obrigado a conviver para ganhar seu pão… O nariz inchado o incomodava, assim como o corrimento nasal. Não tive dúvidas em dar-lhe Própolis. Tomou cinco gotas num pouco de água, de quatro em quatro horas; espançando as horas, conforme a melhora. Quando terminou o trabalho, dei meu vidro de remédio para ele levar pra...
Continue a Leitura »