DSC_4491

Crédito da foto: http://mrg.bz/qNtARR

Gatos Pardos

Gilda E. Kluppel

Ao relento de um céu enluarado

em altas horas da madrugada

gatos pardos andam pelo telhado.

No telhado ouço miados e múrmuros

crias e penugens admiradoras da noite

olhos astutos acostumados com o escuro.

O escuro que atemoriza e assusta

vago por muitos pensamentos

numa noite comprida e injusta.

Injusta por lembrança não vencida pelo tempo

olhos ainda abertos denunciam

preocupações com os próximos momentos.

E neste momento os gatos continuam no telhado

entre pulos graciosos e precisos

em meus pensamentos permaneço acuado.

Acuados e enfeitiçados felinamente pela lua

apreciam a noite tal um afago

não temem brincar pela rua.

Pela rua anda sozinho

esse misterioso e indecifrável gato

segue por qualquer caminho.

Em qualquer caminho pressente o perigo

no silêncio da leveza das patas e garras

se esconde do inimigo.

Do inimigo sabe se resguardar

pela intuição se refaz em sete vidas

não manifesta precipitadas formas de acarinhar.

Acarinhar a alma é o que me resta

repouso os olhos sobre os gatos

por uma cortina entreaberta.

Entreaberta a manhã de mais um dia

tento aprender a não temer pela vida

desfrutando um pouco dessa felina sabedoria.

Gilda E. Kluppel é professora de Matemática do ensino médio em Curitiba/PR, Mestre em Educação pela Universidade Federal do Paraná

Gilda E. Kluppel é professora de Matemática do ensino médio em Curitiba/PR, Mestre em Educação pela Universidade Federal do Paraná

Compartilhe esse texto

Share to Google Buzz
Share to Google Plus
Share to LiveJournal
Share to Yandex