HIPPOCRATE-cinemafrances

HIPÓCRATES
(Hippocrate: Diary of a French Doctor –
França -2015)
Nair Lúcia de Britto
 
Mesmo nas comédias, o cinema francês tem sempre a preocupação de abordar um tema sério que leve o espectador à reflexão. Este filme dirigido por Thomas Liltes tem cenas dramáticas comuns de acontecerem

Hippocrate-RedaKateb-atorpremiadopelofilme

 num hospital; eu não o caracterizaria, portanto, como comédia.
A história começa com a chegada de Benjamin (Vicent Lacoste) a um Hospital onde ele estréia como médico; por influência do pai dele (Jacques Gamblin), que é médico e diretor da ala onde o estagiário vai trabalhar.
Sua primeira experiência na profissão o deixa abalado e sua autoconfiança comprometida. Mas ao conhecer Abdel (Reda Kaleb), médico residente, mais experiente, sente-se mais confortável. Abdel o apoia em situações complicadas e a relação dos dois torna-se um misto de amizade, uma bela parceria e solidariedade.
O filme mostra uma realidade dura na qual, geralmente, preferimos não pensar. Também aponta os conflitos emocionais de um jovem que decide abraçar essa profissão difícil e muito exigente. Além de uma vocação verdadeira, um médico deveria, além do conhecimento crescente,  obedecer apenas a ética e o amor extremado ao próximo. Mas as circunstâncias exigem dele também muita paciência para  encarar a falta de estrutura hospitalar;  leis frias que às vezes faltam com a fraternidade. Paciência para lidar com um orçamento pequeno para os gastos necessários e a falta de leitos que leva o hospital apressar as vagas para os novos pacientes.

HIPPOCRATES-Vicent  Lacoste-interpretaomedicoresidenteBenjamin

O filme mostra que ser médico é uma profissão muito árdua; tanto quanto necessária. Por isso ele merece ser mais valorizado; assim como toda a equipe que os acompanha.

E, sobretudo, mostra que as leis referentes a área médica precisam ser mais humanas para com os seus profissionais e  seus pacientes. Que urge mais conscientização diante do devotamento médico; e mais amor e justiça  para com o sofrimento  humano.
Reda Kaleb ganhou o premio Cesar 2015 como melhor ator coadjuvante.       
Nair Lúcia de Britto é poeta e jornalista

Nair Lúcia de Britto é poeta e jornalista

Compartilhe esse texto

Share to Google Buzz
Share to Google Plus
Share to LiveJournal
Share to Yandex