Gilda E. Kluppel Ela considerava normal uma piadinha aqui ou uma brincadeira ali, até então percebidas como inofensivas, sobre as mulheres. Que mal poderia existir em algo dito com o objetivo de provocar risos? No ambiente de trabalho, durante as confraternizações e principalmente na hora do cafezinho, evidenciava-se esse comportamento. Não apenas por parte de alguns homens, mulheres também reproduziam os comentários, que maculam a dignidade feminina, sem sequer notarem. Muitas vezes, críticas maldosas a respeito de outras colegas de trabalho, não tão próximas do grupo. Existia um mal-estar, afinal, caso não estivesse presente, ela poderia ser o alvo seguinte. Em certas ocasiões, constrangia-se com as piadas mais apimentadas sobre as mulheres, ria mesmo assim, um sorriso amarelo, para...
Continue a Leitura »