MIMI – Um amor pra toda vida!

MIMI – Um amor pra toda vida!

Nair Lúcia de Britto

Na alegria e na tristeza

Na saúde e na doença

Na fartura ou na pobreza

A minha gata siamesa

Está sempre do meu lado

Com certeza

Não se importa

Se sou feia ou bonita

Se acordei alegre ou ranzinza

Tudo ela perdoa!

Lembro-me daquele dia

Que quase tropecei nela

Andando com pressa pelas vielas

E ruas da cidade

Não a vi, bem no meio da calçada

Tão miúda, tão mirrada…

No meio dos transeuntes e buzinas

De carros e motos, apressados

Quando a vi,  levei um susto

– Oh! Meu Deus, pobrezinha…

Quase pisei nessa gatinha!

Peguei-a no colo,

Para não ser atropelada

Perguntei aos pedestres que passavam

– Quem quer uma gatinha?

– Quem quer salvar sua vidinha?

Os transeuntes sorriam…

E balançavam a cabeça

Em sinal de negativa

– Que é que eu faço?

Não posso ficar com ela

Já tenho um gato bravo

Que não aceita companhia

E tenho compromissos exigidos

Pela tal burocracia…

Mas aqui ela não fica!

E decidida…

Juntei-a à pasta de documentos

Dentro da sacola que eu levava…

Entrei num local público

Disfarçando o conteúdo da sacola

Que começou a miar…

O Segurança me olhou desconfiado

–Boa tarde! – cumprimentei, amável

E fui subindo as escadas

Sentei na sala de espera

Mas o miado bem baixinho…

Continuava…

– Que miado é esse?

Perguntou-me a chefia

Olhei pros lados…

E com um ar bem inocente, respondi:

– Não sei de nada!

De volta à rua, subi num ônibus

E, para evitar problemas,

Procurei um assento distante

Mas qual o quê !!!

O miado prosseguia

E o motorista, de cara bem brava,

Olhou pra trás…

Aqui tem algum gato?

– Não, não… é lá fora

E olhei pela janela

A tarde era bela…

Mas um tanto tumultuada!

Afinal, chegamos em casa

E a gatinha, depois de tanta lida.

Que era pra ficar só um dia

Está comigo até hoje

E é a minha melhor amiga!

Post Author: partes