Comer insetos é uma boa alternativa alimentar

José Carlos de Oliveira, mais conhecido como Casé Oliveira é biólogo, militante ambientalista, conselheiro ambiental do Cades Ipiranga – Conselho de Meio Ambiente e Desenvolvimento Ambiental da região do Ipiranga, na cidade de São Paulo. Casé Oliveira é membro da ASBRACI – Associação Brasileira dos Criadores de Insetos e é um entusiasta da utilização de algumas espécies de insetos para o consumo alimentar humano. O consumo de insetos é muito comum em alguns países asiáticos, mas na nossa terra a luta para transformar a cultura gastronômica é uma tarefa difícil, porém o nosso entrevistado acredita que somente por esta via poderemos enfrentar o grande desafio do planeta que não teria condições ambientais de sustentar um aumento da pecuária tradicional para atender as necessidades de proteínas.

Casé Oliveira no Programa da Sabina sato

Vencer as resistências é muito difícil. Vale informar também que os insetos poderiam ser usados como substituto das rações animais produzidas com base na soja, outro produto cujo cultivo tem alto impacto ambiental.

Gilberto da Silva:  Por que devemos começar a comer/consumir insetos?

Casé Oliveira: A FAO órgão da ONU para a segurança alimentar mundial emitiu um alerta em 2013 sobre a segurança alimentar do planeta, com bases científicas detectou que o crescimento populacional, a distribuição de alimentos de forma desigual e a produção de alimentos são fatores que já comprometem a segurança alimentar do planeta onde mais de 2 bilhões de pessoas já passam fome e este número só tende a aumentar.

E além deste quadro, a produção das carnes tradicionais são um dos fatores principais da degradação ambiental do planeta, com desmatamento para criação de gado, grande consumo de água e grãos (milho e soja) mais de 70% da produção de grãos do país vão para este tipo de produção.

Pensando somente nestes fatores já seria um grande argumento, mais que isto, os insetos são uma excelente fonte de proteínas, aminoácidos e vitaminas. Tem mais proteína que qualquer carne já tradicionalmente consumida.

2.       Qual a posição das entidades governamentais sobre o consumo desses animais?

R: As entidades governamentais já sabem deste alerta e aceitam o consumo, no Brasil tudo ocorre de forma mais lenta, em outras regiões como por exemplo, EUROPA, ÁSIA, AMÉRICA CENTRAL E DO NORTE já são aprovados e consumidos largamente.

3.       O que é necessário para produzir/criar insetos com base na segurança alimentar?

R: É necessário conhecer quais insetos são comestíveis através de entidades confiáveis tais como a ASBRACI Associação Brasileira dos criadores de INSETOS e através de diversos estudos já existentes.

4.       E os perigos das toxinas?

R: Os insetos comestíveis não apresentam qualquer tipo de toxina nociva a saúde humana, recomenda-se que sejam consumidos na culinária e como qualquer outra carne devem-se tomar os cuidados higiênicos no preparo.

5.       Por que pode ser uma alternativa ecológica?

R: Como dissemos anteriormente são uma rica fonte de proteína, ferro, Vitaminas do complexo B, e outros aminoácidos importantes, precisam de pouco espaço para serem produzidos e poucos recursos ambientais tais como água, ração etc, tem uma eficiência de conversão de ração em biomassa superior as culturas tradicionais como por exemplo para se produzir um quilo de proteína de insetos necessita-se de 1.5 de ração, 2 litros de água e nos Bovinos por exemplo para se produzir a mesma quantidade necessita-se de 9 quilos de ração e 8.000 litros de água.

6.       Que trabalho deve ser feito para a minimização da rejeição ao consumo de insetos?

R: Um trabalho de sensibilização quanto aos danos ambientais maiores na produção de outras carnes, falar sobre a fome no mundo e destacar os benefícios e introduzir na gastronomia em geral.

Entrevista realizada por Gilberto da Silva

Post Author: partes