Quantos mistérios cabem no negro olhar teu Para Vanessa Martins DA Maia Quantos mistérios… Cabem no magnânimo… No negro olhar teu? O que tu escondes? No cair da negra noite! E todos foram dormir tranquilamente. *** Amanheceu um novo dia É hora de ganhar as ruas Experimentar a luz do dia Minha querida divinal musa *** Mas quantos mistérios… Podem caber… No negro olhar teu? Por quantos tortuosos caminhos… Percorresses até chegar até aqui? *** Quantos mistérios podem caber… No magnânimo olhos teu? Samuel da Costa é poeta em Itajaí...
Continue a Leitura »