Convergência do curso de Pedagogia em EAD

CONVERGÊNCIA DO CURSO DE PEDAGOGIA EM EAD

 

Gilmar Machado [1] 

 

RESUMO

Gilmar machado – Graduação em Pedagogia – Faculdades Integradas de Ariquemes (2009). Graduação em Analise e Desenvolvimento de Sistemas – Universidade Norte do Paraná (06/2016). Pós-graduado em Apostilamento Estrutura e Funcionamento do Ensino Fundamental – Faculdades Integradas de Ariquemes (2010). Pós-graduado em Educação, Comunicação e Tecnologias em Interfaces Digitais – Faculdade Interativa UNISEB (2011). Pós-graduado em Educação a Distância – Faculdade Interativa UNISEB (2013). Pós-graduado em Mídias na Educação. -Universidade Federal de Rondônia – UNIR (2009 a 2012). pós-graduado em Planejamento Educacional e Docência do Ensino Superior
Faculdades Associadas de Ariquemes – FAAr (2012 a 2013). Cursando Mestrado stricto sensu em Educação – Universidades do Chile: Vision Educacional Chile: Universidade Bernardo O’Higgins (UBO) – Início (10/2016 a ….).

O presente Artigo tem por objetivo discutir, as problemáticas do ensino aprendizagem do mundo moderno. Neste contexto se faz necessário identificar os fatores que são desencadeados pelo universo da tecnologia, buscando fazer uma reflexão sobre as convergências midiáticas na epistemologia da aprendizagem no curso de pedagogia de EAD. Com Estes Postulados busca-se discutir uso das tecnologias como recursos didáticos através convergência no uso dos celulares, radio, tv, câmera digitais, comutadores, internet, aplicativos, materiais impressos e outros, diante da prática pedagógica no dia a dia do profissional de educação onde se faz necessário a convergência do currículo, conteúdo (Disciplina), metodologia, didática, Recursos (material para execução dos conteúdos e tipos de mídias).

Palavras-chave: Tecnologia, Convergência, Mídias, Educação à Distância.

 

ABSTRACT

The present article aims to discuss, the problems of teaching learning of the modern world. In this context it is necessary to identify the factors that are triggered by the universe of technology, seeking to reflect on the media convergence in the epistemology of learning in the course of ODL pedagogy. With these postulates, we seek to discuss the use of technologies as didactic resources through convergence in the use of cell phones, radio, tv, digital cameras, switches, internet, applications, printed material and others, before the pedagogical practice in the day to day of the education professional Where it is necessary the convergence of curriculum, content (Discipline), methodology, didactics, Resources (material for the execution of the contents and types of media).

Key-Words: Technology, Convergence, Media, Distance Education.

INTRODUÇÃO

O presente artigo investiga a relação das convergências midiáticas na educação a distância do curso superior de pedagogia – qual a influência da convergência digitais na aprendizagem dos acadêmicos de pedagogia do polo da Faculdade Educacional da Lapa – FAEL. Em uma pesquisa se deve avaliar cada situação dos componentes que é porta-voz das ações de protagonização dos sujeitos e dos grupos sociais. As convergências, certamente, tem papel primordial na formação cultural de uma sociedade, pois na época da tecnologia da informação, surgem novos conhecimentos a todo instantes. Diante dos avanços tecnológicos e convergência das telecomunicações e o rápido desenvolvimento e popularização da Internet possibilitam uma nova ferramenta para a educação. O fato de possibilitar a integração de imagens, sons e texto faz com que a Internet se configure como uma nova importante possibilidade para o ensino a distância.

Segundo Albuquerque (2000) os surgimentos de novas comunidades sociais como a geração Y ou Z, também chamada geração do milênio ou geração da Internet, essa geração desenvolveu-se numa época de grandes avanços tecnológicos e prosperidade econômica.

Neste contexto, colocam-se alguns fatores que são predominantes para a educação a distância que oferecer cursos de graduação utilizando os vários recursos disponíveis para o ensino a distância, tais como livros, fitas de vídeo, fitas de áudio, telefone, fax, computador, tele e videoconferências, rádio e TV transmissão via satélite ao vivo promovendo um cenário de convergências midiáticas com integração de uma grande quantidade tecnologia.

 

  • CONVERGÊNCIAS MIDIÁTICAS

 

 

As dependências virtuais atingem milhões de pessoas no mundo todo, ela está vinculada as tecnologias onde computadores, programas de mensagens instantâneas e a Internet, ferramentas utilizadas por muitos como meio de lazer ou até trabalho, É importante salientar que a sociedade vive em constante transformação, sejam elas: culturais, sociais ou tecnológicas. Com isso a educação ganha força para que o indivíduo adquira conhecimento e ajude a desenvolver o meio a que ele está inserido. Segundo Albuquerque e Sá (2000) neste início do século 21, observamos novos modos de socialização e integração, como mudança de comportamento sociais através da realidade virtual que surgem rapidamente através das tecnologias e transformações ligadas aos equipamentos que promovem a interatividades de tudo está acontecendo no mundo. A sociedades esta se convergindo em único espaço de interatividades midiáticas, não há mais como contestar que as diferentes mídias eletrônicas assumem um papel cada vez mais importante no processo de socialização, e a educação faz parte desta transformações e mais ainda a pedagogia que sempre este de mão dadas as mudanças sociais e tecnológicas, este processo sempre foi entendido como pedagogia da informação, o processo de socialização das novas tecnologias e as convergências da ação e das transformações das informações em  conhecimentos.

Só o conhecimento, por meio de diferentes linguagens mediadas ou não pela tecnologia, garante a possibilidade de agir e interagir de forma efetiva na sociedade moderna e o distanciamento dos saberes condenam o indivíduo ao isolamento, à discriminação e à exclusão de sua cidadania. (ABREU, 1999, p.12).

As inovações educacionais decorrentes da utilização dos mais avançados recursos técnicos para a educação com o surgimento das Tecnologias de Informação e Comunicação, TIC, mas também as técnicas de planejamento das formas transformadoras da que as novas teorias dos fenômenos sociais que transcende o campo da educação através das novas tecnologias e das tendências das ciências e da técnica nas sociedades industriais modernas. Segundo Takahashi (2000) a educação é o elemento chave na construção de uma sociedade baseada na comunicação e informação e no aprendizado.

Para o desenvolvimento da aprendizagem dos indivíduos e necessário levar em conta a  organização das regiões e países deve-se à desigualdade do acesso aos tipos de tecnologias e de convergências disponíveis para cada contexto social, mas mesmo com uma grande diferença de tipos de tecnologias entre nossas regiões as convergências midiáticas vem acontecendo através da comunicação radio, tv, internet e transmissão via satélite  tem conseguindo transpor e proporcionar a convergência  digitais e midiáticas. Com estas mudanças educar em uma sociedade da informação significa transformar os conhecimentos epistemológicos em transmissão de saber para o uso das tecnologias de informação e comunicação. A mudança de competência metodológica e didática na criação de competências de produção de bens e serviços para promover processo educacional através de tecnologias fundamentadas no conhecimento, por meio dos novos meios e ferramentas de convergências na comunicação, bem como aplicar criativamente as novas mídias, seja em usos simples ou sofisticados. Neste sentido os indivíduos necessitam se condicionar ema “aprender a aprender”, de modo a serem capazes de lidar positivamente com as transformações interligações do processo de convergências estruturais dos saberes pedagógicos e tecnológicos.

Pensar a educação na sociedade da informação exige considerar um leque de aspectos relativos às tecnologias de informação e comunicação, a começar pelo papel que elas desempenham na construção de uma sociedade que tenha a inclusão e a justiça social como uma das prioridades principais. (TAKAHASHI, 2000, p. 45).

Para definir o conceito e a prática da educação a distância é preciso refletir sobre o conceito mais amplo, que é o uso das novas tecnologias e o processo da convergências da informação e comunicação na educação.  As tecnologias chegaram em todos os cantos do mundo até nos cantos mais remotos, com inovações tecnologias muitas delas fascinantes, especialmente aquelas que trabalham com as estruturas simbólicas da sociedade, que através do uso da internet produz mudanças de comportamentos na estruturas sociais.

 

  • PROFESSOR E AS GERAÇÕES X, Y, Z

 

Com as mudanças sociais que vêm surgindo no contexto tecnológico, os professores necessitam estar preparados para interagir e ensinar através dos meios de comunicação, liderados pela Internet que permitem o acesso instantâneo à informação tanto positivas quanto negativas. Os estudantes têm mais facilidade para buscar conhecimento por meio da tecnologia que é colocada à sua disposição.

Para Valente (1999) os professores devem adotar procedimentos didáticos, nesta nova realidade, devem privilegiar a construção coletiva dos conhecimentos, reconhecendo os tipos de grupos sociais existente nas comunidades sociais presentes, mediados pela tecnologia, na qual o professor é mais um participante que intermédia à passagem dos saberes tecnológicos entre a metodologia e didática do professor na sala de aula e onde o propósito é desenvolver a construção do conhecimento com auxílio do uso das novas tecnologias.

O professor passa por uma inovação pedagógica fundamentada nos novos conceitos de mediação cultural e tecnológicos que, com os recursos da informática, levará o educador a ter muito mais oportunidade de compreender os processos de conhecimento epistemológico adquirido pelo aluno e as estratégias utilizadas para aprendizagem com as novas tecnologias. O papel do educador está em orientar e mediar às situações de aprendizagem para que ocorra o desenvolvimento de ideias, e o compartilhamento da aprendizagem colaborativa vai do social ao individual do aluno.

De acordo com Enricone (2004) o professor, pesquisando junto com os alunos instiga e desafia no uso das novas tecnologias, mesmo que para os alunos sejam mais fácil a interatividade deste meio. Para o professor facilita reconhecer fatores de problematização e dos vícios já existente dos meios tecnológicos como: utilização dos celulares para navegar na Internet, escutar música, tirar fotos, gravar imagem e outras opções que as novas tecnologias já dispõem. Isto implica uma análise da mudança do paradigma educacional e da função do professor na relação pedagógica, focalizando as inovações tecnológicas como ferramentas para ampliar a interação.

Para Valente (1997), reconhecer a geração tecnológica na qual está inserido o aluno é umas das funções primordiais para desempenho do trabalho do professor. O termo geração X, Y e Z é classificação de conhecimento tecnológico das classes sociais sobre as novas tecnologias, cada indivíduo faz parte de uma classe social onde são diferenciadas por três níveis de conhecimento que se rotula de geração.

O que faz a diferença é como o professor utilizará esta tecnologia, aproveitando seu potencial para desenvolver novos projetos educacionais. Isto quer dizer que a diferença didática não está em usar ou não os recursos tecnológicos, mas no conhecimento de suas possibilidades, limitações e na compreensão da lógica que permeia a movimentação entre os saberes no atual estágio da sociedade tecnológica (KENSKI, 1998, p.70).

Na geração X, os conhecimentos são básicos e diferem de determinadas tecnologias a exemplo do indivíduo que utiliza o celular apenas ligar para seus contatos sem utilizar os recursos disponibilizados pelo aparelho. Já na geração Y, os conhecimentos são intermediários e de todos os meios tecnológicos ao seu alcance se sabe um pouco podendo fazer a manipulação e utilização de acordo com sua necessidade a exemplo do indivíduo que possui o celular com vários recursos e utiliza para fazer ligações, enviar mensagem, tirar foto, fazer vídeos, utilizar à calculadora, acessar e-mail e outros.

 Para Kenski (1998) a geração Z que vem em processo de transformação buscando adquirir conhecimento avançado sobre as novas tecnologias, onde estão sempre atualizados e atentos às mudanças científicas e tecnológicas, são competitivos e sempre está buscando aprender, dominando a Internet e sistemas de informáticas. Diante do exposto, podemos dizer que o professor depara com todos os tipos de estudantes, os que usam as novas tecnologias para obter informações globais e estar informado sobre tudo, ou um determinado assunto, os que usam somente para seu interesse próprio, baixar e escutar música, jogos, vídeos, os que utilizam para frequentar as redes sociais como, Facebook, Orkut, Sonico, MSN e outras rede sociais, mas também temos os se utilizam de paginas impróprias para menores, dos site e downloads de jogos proibidos e outras ações ilegais na utilização do computador.

Há necessidade de um bom planejamento para que a tecnologia atinja os efeitos desejados. Isto significa que há uma adequada escolha dos recursos e softwares, negociação e estabelecimento de consenso entre os participantes para atender aos interesses de todos, tendo sempre em vista o objetivo maior comum: ensinar e aprender (KENSKI, 1998, p.71).

Em uma sociedade digital em permanente transformação, o professor deve estar preparado para ensinar conceitos morais da Internet e do uso de equipamentos tecnológicos, deve-se utilizar métodos para capacitar seus estudantes a desenvolverem competências para resolver situações complexas e inesperadas e problematizar os mitos das gerações tecnológicas, proporcionando aos seus estudantes o desafio da utilização das novas tecnologias de forma correta e adequada. Incentivar o desenvolvimento de atividade e trabalhos acadêmicos com responsabilidades individuais e coletivas.

 

  • ABORDAGEM PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

Os novos tempos trouxeram consigo potencialidades no campo educacional. Aprender, hoje, é diferente de alguns anos, quando os indivíduos precisavam estar em fileiras, dentro de uma sala de aula, inibidos de expressar-se sobre qualquer assunto repassado pelo professor. Tais potencialidades se aceleram a cada dia com as mídias e seu uso pedagógico no âmbito escolar.

Segundo Martins (2004) o ser humano carece de comunicação para transformar tudo que vê e sente em aprendizagem. Nesse sentido, as novas tecnologias e as mídias proporcionam uma interação entre os indivíduos, capaz de tornar o processo de ensino e aprendizagem uma prazerosa brincadeira.

Como pressuposto educacional atual, assume-se […] que o conhecimento do indivíduo se nutre e se desenvolve no contexto em que atua, que seus saberes são recriados em seu fazer cotidiano, em interação com outros atores sociais e com os signos presentes na sociedade. Assume-se, além disso, que o indivíduo se constitui na totalidade das relações sociais, em espaços que permitam emergir vozes diversas, estimulando o respeito e o diálogo entre os seres ‘únicos’.(MARTINS, 2004, p.26).

Um dos papéis das novas tecnologias nas instituições de ensino virtual ou presencial é estabelecer a interação entre os atores sociais – seres humanos – mencionada por Martins.

Do mesmo modo, o computador e a Internet vêm ao encontro de uma nova maneira de aprender.  A educação a distancia vem romper paradigmas através do uso das novas tecnologias.  Os novos métodos de transmissão de online e via satélite vem modificar educação superior, proporcionando uma flexibilidade na didática de aprendizagem com uso dos meios de comunicação, navegar na Internet para buscar sobre determinado assunto é muito mais que um exercício de pesquisa, é um lazer, um passeio prazeroso pelo mundo da informação.

No entanto, para Faria (1999) todo e qualquer trabalho que envolva as novas tecnologias, em especial o uso do computador e a Internet, exige uma preparação para o acompanhamento dos alunos e a realização do projeto. Os projetos são atividades desenvolvidas onde grupos de alunos são orientados a desenvolver determinado tema. Podem usar todos os recursos que tem direito e acesso, consulta a bancos de dados, a rede Internet, troca de informações, participação de listas de discussões.

  • EDUCAÇÃO EAD

Segundo Cox (2003), alguns casos são evidentes, como educadores são levados a avaliar o nexo cada vez mais importante entre a cultura da mídia e a escolarização pós-moderna, assim como os movimentos em direção à informatização e à tecnologização do currículo através do conceito de convergências.

Para Cox (2003) a tecnologia está cada vez mais presente no espaço educacional, este fato deve a mudança de vida das famílias, as tecnologias, principalmente do computador, os acessos a interatividades de mídias, salas de bate papo, Facebook, Orkut, MSN, Blogs, Chat, e outros acessos que estão presente no através de vários equipamentos tecnológicos como Tablet, Netbook, Notebook, Ultrabook, Computador, Celular smart e outros, tudo isso sendo proporcionado pelo acesso   a internet.

A educação à distancia – EaD é uma forma de ensino que ganhou forças após a elaboração da lei nº 9.394/96, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), com o intuito de desenvolver práticas que torne possível a educação ser passada a todos. A educação a distância possibilita a aproximação, ou melhor, o encurtamento da distância que há para um país que nem o Brasil de grande expansão territorial. Com isso, as pessoas que estão envolvidas nessa forma de ensino, têm contato com outros tipos de pensamento e cultura; outra realidade da que se vive apenas no seu meio.

No processo de informatização de qualquer atividade de ação humana, as primeiras perguntas a serem feitas aos futuros usuários das máquinas de processar são: quais as tarefas componentes de suas atividades e como essas são efetuadas sem o auxílio da informática? Assim se intenta verificar de que maneira os computadores podem ser empregados na situação em estudo (COX, 2003, p.55).

As convergências midiáticas no processo educacional trazem como perspectiva uma utilização da informática na educação, caracterizando-se principalmente pela a educação a distancia aonde produção de sistema de plataformas educacional vem predominando na ação e   interação com estudante,  através da Educação à distancia – EaD que está transformando  a sociedade a partir do momento que oferece acesso formação (superior, pós-graduação) a pessoas com problemas de acessibilidade, tempo e distância, por exemplo, para se dedicar aos estudos. Porém, a sociedade moderna exige constantes reciclagens, aperfeiçoamentos, atualizações das ideias e concepções.

O mundo sofre constantes mudanças principalmente tecnológicas e isso exige que as pessoas estejam aptas a se adaptarem a elas. A tecnologia foi fundamental para o crescimento da EaD. Desde o ensino através do correio até a internet, passando pelo rádio e TV, a sociedade vem mudando as suas concepções de transmissão de conhecimento.

  • ENSINO APRENDIZAGEM EAD

Segundo Takahashi (2000)  a cada dia, devido ao crescimento exponencial da tecnologia, a informação é transmitida de forma mais rápida e com maior alcance populacional. Na ação pedagógica da educação EaD, tem como ponto fundamental transmissão de aulas no uso emergente das tecnologias midiáticas no uso da internet e transmissões via satélite dos conteúdos educacional, também surgem os programas de interação do estudantes como plataformas de atividades educacionais, proporcionando ao indivíduo uma interação a fórum, chat, vídeo, editoração de texto, resolução de questionários e participação nos conteúdos de aprendizagem, onde proporcionam uma convergências no contexto tecnológico. Neste sentido Podem se usar todos os recursos que tem direito e acesso, consulta a bancos de dados, a rede Internet, troca de informações, participação de listas de discussões. Nessa forma desenvolver as convergências faz parte do processo transformador da didática na ação através das tecnologias para educação a distancia.

Os meios de comunicação e as tecnologias disponíveis dão as condições de formar, atualizar, qualificar, requalificar, reconverter profissionalmente as pessoas no decorrer de toda uma vida. Ou seja, através da educação aberta, continuada e a distancia ou educação virtual interativa, que contém em seu seio a semente da democratização e da transdisciplinaridade, pode-se, de forma articulada com a educação presencial, atender às amplas necessidades e desafios educacionais dos mundos da escola, do trabalho, da cultura e da cidadania (ABREU, 1999, pag.12).

O estudante de EAD tem que ser auto didático para estimular o desenvolvimento intelectual, raciocínio e solução de problemas, baseados numa abordagem pedagógica interdisciplinar e apoiados em projetos de aprendizagem e em ambientes e ferramentas de colaboração e constituir uma abordagem pedagógica que estimule o desenvolvimento de cidadãos com novas potencialidades para fazê-lo, compreender, refletir e inventar recursos, de forma que os conhecimentos construídos possam ser utilizados na melhoria do seu cotidiano e dos grupos sociais a que se liga.

Os cursos de formação de professores como as licenciaturas necessitam de injeção enérgica, mas muito ponderada, de uso de tecnologias de informação e comunicação, para contemplar a formação de professores familiarizados com o uso dessas novas tecnologias. (TAKAHASHI, 2000, p. 49).

Os professores têm que possibilitar ao educando o desenvolvimento de sua capacidade de aprender a aprender. A educação à distância tem que promover os princípios de estimular o indivíduo, proporcionar a autonomia de buscar compreensão, multidisciplinares e interdisciplinares dos conteúdos fundamentados no aprender fazendo, experimentando, criando, investigando, num processo conjunto de coautoria do sistema cognitivo de aprendizagem.

  • ANÁLISES E RESULTADOS

Pesquisa realizada no polo presencial de educação a distância da Faculdade Educacional da Lapa – FAEL com transmissão das aulas via satélite para turmas com média de cinquenta alunos do curso de Pedagogia, sendo acompanhada por tutor de sala formado na área e com pós-graduação em Metodologia do Ensino Superior, a instituição disponibiliza de internet WIFI e laboratório de informática para elaboração das atividades no portal de acesso do acadêmico.

Para entender a influência do uso das convergências midiáticas é conveniente começar a entender a sociedade envolvente nos preceitos das novas tecnologias. Isto significa compreender que o uso das tecnologias vincula-se às mudanças que ela provoca na sociedade. Esta é uma construção histórica, isto é, para entender o fenômeno proporcionado pelas mudanças que a sociedade produziu sobre a ação das novas tecnologias, pois todo fenômeno deve ser contextualizado para não parecer auto referenciado, como se ele existisse por si próprio.

Segundo Albuquerque (2000) o avanço tecnológico aconteceu muito rápido sem que houvesse preparação e conhecimento suficiente para observar as distorções ideológicas e paradigmas existentes durante o processo de transformações tecnológicas das classes sociais.

Desta forma iniciou-se uma análise que partiu da realidade educacional da instituição de ensino, utilizada nesta pesquisa, onde se busca atender de uma forma consciente, as mudanças sociais dessa nova classe de estudantes. Na verdade, a instituição de ensino foi o palco utilizado para a realização de parte deste trabalho que abrange a pesquisa objetiva, ou seja, ocorreu à observação de fatos, a coleta de dados e, finalmente, a análise de observação diante do estudo de caso realizado para interpretação desses dados, com base numa fundamentação teórica consistente, objetivando compreender e explicar o problema pesquisado.

As análises desta pesquisa buscam então descrever a complexidade de determinada hipótese ou problema, analisando a interação de certas variáveis, compreendendo e classificando os resultados obtidos na instituição. A realidade pesquisada é tida como fonte direta de dados e a preocupação maior é com o processo e não apenas com os resultados e o produto; os dados são analisados indutivamente, buscando-se essencialmente o seu significado.

CONSIDERAÇÕES FINAIS 

Ao concluir esta pesquisa para a transformação deste artigo, pode-se considerar de grande importância os achados ligados ao tema no que se refere a Convergência do Curso de Pedagogia em EAD na ações de ensino aprendizagem através das novas tecnologias e as convergências midiáticas, a partir do destaque dos teóricos e pressupostos aqui referenciados que deram a possibilidade de se redimensionar através da importância dos aspectos interativos no uso das novas tecnologias e convergências midiáticas.

Este trabalho permitiu uma análise onde aponta os fatores que são predominantes para o período de adaptação no uso das mídias no sistema educacional do professor e do acadêmico, onde as mudanças metodológicas e didáticas buscam  promover os princípios de estimular o indivíduo, proporcionar a autonomia de buscar compreensão, multidisciplinares e interdisciplinares do conteúdos fundamentados no aprender fazendo, experimentando, criando e investigando novas ações para transmitir o conhecimento e proporcionar aprendizagem significava.

Este processo de pesquisa nos conduziu ao encontro de novos paradigmas que devem ser observados e pesquisados nos cursos de metodologia e didáticas do ensino superior, como as distorções ideológicas e paradigmas existentes durante o processo de transformações tecnológicas das classes sociais, ou seja, as problemáticas e dificuldades no uso das tecnologias dos indivíduos sem acesso ou que se recusam as inovações dos novos conceitos de mediação cultural e tecnológicas através do uso dos aparelhos eletrônicos e sistema de informáticas.

No decorrer do estudo bibliográfico dos pressupostos aqui acometidos, temos alguns aspectos que ficaram muito evidentes que servem também como sugestões para temas de artigos como: A importância da organização curricular com uso das novas tecnologias; Planejamentos de ensino alienado a convergências midiáticas e a realidade social. Neste contexto se faz necessário, que sejam difundidos cada vez mais os assuntos sobre o uso das novas tecnologias e as convergências midiáticas no ensino aprendizagem, para que seja objeto de pesquisa entre os acadêmicos.

REFERÊNCIAS  

ABREU, Maria Rosa e col. Incluindo os excluídos: Escola para Todos. Experiências de Educação à Distância no Brasil, UNESCO; Brasília, 1999.

ALBUQUERQUE, Afonso & SÁ, Simone Pereira. Hipertextos, jogos de computador e comunicação.  Porto Alegre: Revista FAMECOS, p.83-93, dez. 2000.

ARAÚJO, Carlos Henrique; LUZIO, Nildo. SAEB – Avaliação da Educação Básica: em busca da qualidade e eqüidade no Brasil. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2005.

BELLONI, Maria Luiza. O que é mídia-educação. 2 ed., Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2005.

COX, Kenia Kodel. Informática na educação escolar. Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2003.

ENRICONE, Délcia (Org.). Ser Professor. 4 ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

FARIA, Maria Alice. Como usar o jornal em sala de aula – novas tecnologias. Contexto: São Paulo, 1999.

HUIZINGA, Johan. Homo Ludens. O jogo como elemento da cultura. São Paulo: Ed. Perspectiva: 2001.

KENSKI, Vani. Novas tecnologias: o redimensionamento do espaço e do tempo e os

impactos no trabalho docente Revista Brasileira de Educação, n. 8, p. 58-71, Brasília,

mai/ago., 1998.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática – Coleção Magistério. 2º Grau. Série Formação do Professor. São Paulo: Cortez, 1994.

MAGALHÃES, Luzia Eliana Reis e ORQUIZA, Liliam Maria.  Metodologia do Trabalho Científico: elaboração de trabalhos. Curitiba: Fesp, 2002.

MARTINS, Maria Cecília. Programa de Formação Continuada em Mídias na Educação. Módulo Introdutório: Integração de mídias na educação. São Paulo, Ed. MEC, 2004.

SILVA, Edna Lúcia da; MENEZES, Estera Muszkat. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação 3. ed. Florianópolis: Laboratório de Ensino a Distância da UFSC, 2001.

TAKAHASHI, Tadão. Sociedade da informação no Brasil -Livro verde. Brasília: Ministério da Ciência e Tecnologia, 2000.

VALENTE, José. O uso inteligente do computador na educação, Pátio, ano 1, n. 1, p. 19-21, Porto Alegre, mai/jul. 1997.

_________. Informática na Educação: uma questão técnica ou pedagógica? Pátio, ano 3, n. 9, p. 20-23, Porto Alegre, mai/jul., 1999.

[1] Graduação em Pedagogia – Faculdades Integradas de Ariquemes (2009). Graduação em Analise e Desenvolvimento de Sistemas – Universidade Norte do Paraná (06/2016). Pós-graduado em Apostilamento Estrutura e Funcionamento do Ensino Fundamental – Faculdades Integradas de Ariquemes (2010). Pós-graduado em Educação, Comunicação e Tecnologias em Interfaces Digitais – Faculdade Interativa UNISEB (2011). Pós-graduado em Educação a Distância – Faculdade Interativa UNISEB (2013). Pós-graduado em Mídias na Educação. -Universidade Federal de Rondônia – UNIR (2009 a 2012). pós-graduado em Planejamento Educacional e Docência do Ensino Superior
Faculdades Associadas de Ariquemes – FAAr (2012 a 2013). Cursando Mestrado stricto sensu em Educação – Universidades do Chile: Vision Educacional Chile: Universidade Bernardo O’Higgins (UBO) – Início (10/2016 a ….).

Post Author: partes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *