A Gestão escolar: Um fazer democrático ou autoritário?

Nivaldo Siqueira Mergulhão Junior*

Walber Rodrigues da Silva **

 

Resumo 

Graduando em Licenciatura Plena em História pela Universidade Vale do Acaraú – UVA, Especialista em História da Amazônia pelo Instituto Brasileiro de Pós-graduação e Extensão-IBPEX, Graduando em Licenciatura Plena em Ciência Biológicas pela Universidade Federal do Amapá-UNIFAP. <nivaldomergulhao@hotmail.com >.

A presente pesquisa teve como objetivo investigar a importância da Gestão Escolar no processo de Ensino-Aprendizagem, descrevendo processo histórico da educação escolar no Brasil; compreendendo os conceitos de Gestão Escolar em olhar contemporâneo e compreendendo o papel do gestor educacional escolar para a modernidade. Optou-se por uma pesquisa qualitativa e de campo, com o uso de questionário. Constatou-se que a maioria dos participantes da comunidade escolar estão envolvido no processo de gestão participativa. Assim, a pesquisa permitiu maior autonomia aos agentes educacionais e propõe reflexões sobre o papel sociopolítico da educação no ensino participativo e democrático.

Palavras-Chave: Gestão Escolar. Comunidade Escolar. Ensino Participativo e Democrático.

Abstract 

This research aimed to investigate the importance of School Management in the teaching-learning process, as well as the limits and possibilities of participatory management; describe historical process of education in Brazil; understand the School Management concepts in contemporary look and understand the role of school educational manager for modernity. This institution for student government. Soon, the school works in partnership with parents and guardians. Most participants of the school community are involved in the participatory management process. Thus, the research allowed greater autonomy to educational agents and reflects on the socio-political role of education in participatory and democratic education.

Key words: School Manager, PPP and School Community.

Introdução

A Gestão Escolar é um processo que exige muitos debates dentro e fora da escola. Muitas vezes as atitudes tomadas por gestores não beneficiam a participação de todos. São necessários que a administração democrática possua um processo pedagógico e institucional, que sejam os princípios básicos para uma gestão participativa para uma autonomia da comunidade escolar, na qual, o diretor, os professores, alunos e os pais compartilhem um ensino-aprendizagem em busca de objetivos comuns na sociedade.

O tema “A Gestão Escolar: Um fazer democrático ou autoritário?” analisou as atuações dos agentes educacionais na proposta participativa e democrática dos professores, supervisão pedagógica e gestor.

Assim, cabe ao gestor da organização escolar fazer com que essa resistência seja vencida de maneira construtiva, não impondo o novo modelo, mas gerando comprometimento para que seja adotado e cultivado. Nesse sentindo, é necessário argumentar: Qual a importância da Gestão Democrática para processo de ensino-aprendizagem?

A presente de pesquisa possui grande importância para aqueles que estão inserido no contexto escolar. Um dos fatores para a escolha da temática se deu pela nova proposta das escolas atuais em trabalharem no coletivismo para uma educação de qualidade. Para o educador conseguir um ótimo desempenho em sala de aula precisa do auxílio do gestor escolar em muito contribui para a qualidade no processo ensino aprendizagem, garantindo assim um aprendizado satisfatório por parte dos alunos.

A tipologia do estudo foi baseada no modelo de intervenção no contexto da comunidade escolar na qual, o diretor, duas pedagogas e um professor que formam a amostra da pesquisa de campo. A pesquisa de campo é relevante para colher informações importante para relação entre a linha de pensamento de vários autores e nas opiniões dos entrevistados.

 

Gestão democrática-um olhar contemporâneo

Atualmente a grande discussão está na Gestão Escolar que vem construindo um modelo que possibilite uma educação democrática e que a aprendizagem na sala de aula seja de qualidade. Ressalta-se ainda que o conceito varie de acordo com a finalidade de cada grupo social, isto é, a palavra administração podem ter sentido diferentes para uma escola ou empresa.

A participação, em seu sentido pleno, caracteriza-se por uma força de atuação consciente pela qual os membros de uma unidade social reconhecem e assumem seu poder de exercer influência na determinação da dinâmica dessa unidade, de sua cultura e seus resultados. Esse poder é resultante da competência e vontade de compreender, decidir e agir sobre questões que lhe são afetas, dando à unidade social vigor e direcionamento firme (LUCK, 2000, p.14).

De acordo com Dourado (1998, p.65), a gestão democrática é um processo de aprendizado e de luta que vislumbra nas especificidades da prática social e em sua relativa autonomia, a possibilidade de criação de meios de efetiva participação de toda a comunidade escolar na gestão da escola.

A política de gestão democrática no âmbito escolar ganhou destaque em termos de legislação a partir da Constituição Federal de 1988, que a incorpora como um princípio do ensino público na forma da lei.  Porém, muito antes disso, já era estudada e reivindicada por alguns segmentos da sociedade.

 

O papel do Gestor Educacional Escolar para a Modernidade

O relacionamento entre a família e a escola é prioridade para uma educação democrática e participativa. O educador tem um papel importantíssimo na aproximação da família na vida escolar. Por outro lado, a família deve compreender a missão e proposta da escola e conhecer as formas de contribuir com instituição escolar.

Pelo outro lado, muitos profissionais de educação afirmam que jamais teremos novamente uma rede pública de ensino em que educando e educador possui um grande nível cultural e intelectual. No entanto, muitas vezes essas qualidades não podem ser utilizadas por falta de incentivo econômico ou político.

Para Luck (2007, p.36), teremos de caminhar com nossas próprias pernas, levando em consideração a realidade de alunos e professores que temos em nosso país.  Assim como é tacanho culpar a pobreza de nossos alunos pelo fracasso de nossas escolas, também sempre achei canhestro sugerir que precisamos revolucionar a carreira do professor, atraindo um novo (e melhor) público para a área. Pode-se fazer muito mais com o que. Não há aluno que não possa aprender.

A motivação, o ânimo e a satisfação não são responsabilidades exclusivas dos gestores. Os professores e os gestores trabalham juntos para melhorarem a qualidade do ambiente escolar, criando as condições necessárias para o ensino e a aprendizagem mais eficaz, identificando e modificando os aspectos do processo do trabalho, considerados adversários da qualidade do desempenho (ALMEIDA, 2009).

Pode-se dizer que a tomada de decisões sobre todos os aspectos da vida escolar nos ensina a criar uma identidade questionadora, e de análise crítica nas situações do nosso cotidiano, deliberando coletivamente, respeitando as opiniões diferentes, contribuindo para que se exerça uma cidadania plena nos convívios familiares, sociais e profissionais.

Análise e Discussão dos resultados  

O estudo foi realizado na Escola Municipal de Ensino Fundamental Antônio Barbosa no Bairro de Santa Inês, na avenida Pedro Lazarino, em Macapá capital do Estado do Amapá, tendo como os entrevistados, um professor do Ensino Fundamental I, duas pedagogas e o diretor escolar.

A entrevistada “A” falou que “a Gestão Escolar participativa é um tipo de Gestão onde outras pessoas dão opiniões, ou seja, várias pessoas participam com o gestor”. A entrevistada “B’ afirmou que “é quando gestor trabalha de forma que todos possam dar opiniões, ou seja, um trabalho integrado com toda comunidade escolar”. Percebe-se que todos os conceitos de Gestão Escolar estão voltados para autonomia de toda comunidade escolar.

A gestão escolar participativa assenta-se em vários pressupostos, valores inquestionáveis subjacentes em todos os desdobramentos da gestão: a realidade e o conhecimento são construídos socialmente, equidade entre os seres humanos, reconhecimento do valor potencial em cada um deles, e reconhecimento da existência de grupos sociais pluralistas (LUCK, 2005).

A prática social visa uma educação onde todos participem das decisões que visa um processo de ensino-aprendizagem voltado para padrões de qualidade que vai da formação do profissional da educação, bem como, de projetos pedagógicos. De acordo com os dados, 50% dos entrevistados afirmaram que a gestão é importante para o funcionamento da instituição escolar.

O gestor escolar tem como função precípua coordenar e orientar todos os esforços no sentido de que a escola, como um todo, produza os melhores resultados possíveis, no sentido de atendimento às necessidades dos educandos e a promoção do seu desenvolvimento. (LUCK, 2007).

Outro aspecto importante a ser descrito é que a escola possui o Projeto Político Pedagógico-(PPP). O cotidiano da escola tem demonstrado que a mudança não depende apenas da conscientização dos professores, mas, principalmente, do apoio técnico-pedagógico, administrativo e dos pais, refletindo com eles os objetivos comuns da educação, tendo em vista que mudanças na prática docente contribuem para a melhoria do processo ensino-aprendizagem.

Considerações finais

Percebe-se que a trajetória social e história da educação brasileira não deixam dúvidas das mudanças que vem ocorrendo na educação, principalmente na participação de todos os membros da comunidade escolar, em temáticas que abordam sobre o processo de ensino-aprendizagem.

O desenvolvimento de estudos dessa natureza contribui para a ampliação do campo de pesquisa na área de gestão escolar. Apesar de a educação brasileira ter funcionado como um dos veículos de continuísmo da reprodução de tratamento desigual entre os brasileiros, não se pode negar que a família está participando das discussões pedagógicas e educacionais na escola.

A partir da problemática estudada, observou-se a preocupação da gestão escolar em aproximar a família da escola. Outra ação apresentada pela instituição foi apresentar a escola e os funcionários à família. O processo educacional requer de seus administradores a capacidade de articulação e construção do processo, não limitando suas funções, apenas ao controle dos padrões de legalidade. Devem ser capazes de lidar com as relações de poder, presentes no cotidiano, sabendo observar, investigar e interpretar os acontecimentos do universo escolar, aceitando os conflitos como desafios saudáveis, conduzindo-os para o sucesso da ação administrativa.

Nesse sentido, o desafio da Gestão Escolar não se limita apenas a escola e sim a participação dos pais nas decisões. Os dados apresentados nesta pesquisa confirmam um discurso voltado para um democrático e de qualidade. Há certamente ações democráticas e a implantação do projeto político pedagógico-PPP, bem como, a escola possui Grêmio Estudantil. É importante ressaltar, que a maioria das mudanças é benéfica tais como: a participação dos alunos nas atividades e nos projetos elaborados na escola.

O resultado da pesquisa apontou que a formação continuada dos professores contribui para uma proposta democrática na escola; e por último a comunidade escolar participa das decisões escolares.

Constatou-se que a pesquisa mostrou que toda comunidade escolar é responsável pelo desempenho positivo ou negativo dos alunos. O resultado da pesquisa apontou que só é possível quando os profissionais da educação utilizam a escola como um espaço público democrático, uma vez que a concretização das políticas públicas só é possível no momento em que se traduz em práticas sociais.

 

Referências

ALMEIDA, Fernando José. Quem assume o fracasso escolar? Revista Veja. Edição de Outubro. Ano de 2009.

BRASIL. Constituição Federal do Brasil, 1988. Artigo, 205-206. Educação do Brasil. Brasília.

DOURADO, Luiz Fernandez. A escolha de dirigentes escolares: políticas e gestão da educação no Brasil. 1998.

LUCK, Heloísa, Gestão Educacional: uma questão paradigmática. 3ª Ed. São Paulo: Vozes, 2000. (Série Cadernos de Gestão, v. I).

_____________. A escola participativa: o trabalho do gestor escolar. 2.ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

_____________. A evolução da gestão educacional a partir de mudança paradigmática. Programa de Capacitação de Gestores. Secretaria da Educação da Bahia, 2007.

* Graduando em Licenciatura Plena em História pela Universidade Vale do Acaraú – UVA, Especialista em História da Amazônia pelo Instituto Brasileiro de Pós-graduação e Extensão-IBPEX, Graduando em Licenciatura Plena em Ciência Biológicas pela Universidade Federal do Amapá-UNIFAP. <nivaldomergulhao@hotmail.com >.

** Professor do Centro de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão (CPPEX) e do Curso de Bacharel em Teologia da FATECH e Coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas de Avaliação Educacional (GEPAVE); <walberteologo@hotmail.com>.

Post Author: partes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *