Crônicas

Violência sem fim

      Por Margarete Hülsendeger   Por sutil que seja uma agressão vinda do homem, por indireta, camuflada, por premeditada que seja, revela suas origens inexpiadas. Um pequeno filamento animal vive no menor dos ódios. Gaston Bachelard (A Poética do Espaço)     “ – Por que este homem não é preso antes que o pior aconteça?” – perguntou a mulher na delegacia da polícia. Resposta da delegada: “ – A Lei Maria da Penha não prevê a violência contra a mulher como crime inafiançável. Tudo depende da interpretação do delegado para conceder ou não a fiança.” Interpretação?! Qual será o significado disso? O que é preciso acontecer para que o delegado “interprete” uma situação como sendo de...
Continue a Leitura »
Crônicas

Quando a beleza é forjada

  Margarete Hülsendeger Dizes que a beleza não é nada? Imagina um hipopótamo com alma de anjo… Sim, ele poderá convencer os outros de sua angelitude – mas que trabalheira! Mario Quintana   O verso de Vinícius de Morais, “As muito feias que me perdoem, mas beleza é fundamental” sempre me incomodou, talvez porque acredito tratar-se de um daqueles pensamentos infelizes e superficiais que depõem contra o poeta e a sua decantada sensibilidade. Afinal quem se importa em ver além das aparências sabe que existem diferentes formas de beleza, todas com seus próprios atrativos. No entanto, é preciso reconhecer que nos últimos anos a busca pela beleza externa tornou-se uma verdadeira obsessão. Anúncios na TV, nas rádios, nos jornais...
Continue a Leitura »
Crônicas

Encruzilhadas

Margarete Hülsendeger Nas decisões importantes da vida pessoal, devemos ser governados, penso eu, pelas profundas necessidades íntimas da nossa natureza. Sigmund Freud Ninguém pode dizer que nunca enfrentou pelo menos uma. Até hoje não sei se a vida está cheia delas ou se elas estão cheias de vida. O que sei é simples: elas existem e estão sempre nos colocando a prova. Sim, senhores e senhoras, as encruzilhadas são espaços pelos quais todos nós um dia teremos de passar. E quando me refiro a encruzilhadas, estou falando daqueles momentos de grandes decisões, nos quais temos de escolher, por exemplo, entre ficar ou partir. Momentos de transformação e até de reinvenção que podem nos fazer mergulhar em um mar de...
Continue a Leitura »
Crônicas

A eterna maldição

 Por Margarete Hülsendeger Jamais deves buscar a coisa em si, a qual depende tão somente dos espelhos. A coisa em si, nunca: a coisa em ti. Mario Quintana   Uma manhã, na hora do cafezinho, uma colega soltou essa “pérola”: “Gurias, na hora H, homem não vê celulite e nem barriguinha. A concentração dele está em ‘outro’ lugar”. No dia todas rimos, mas a verdade é que ninguém acreditou. Ou melhor, poucas mulheres conseguem acreditar nesse tipo de afirmação. Muito poucas! Quando olhamos para o espelho nunca realmente nos vemos. E o mais terrível: não importa se a mulher tem 20 ou 60 anos, a reação é sempre a mesma, “Meu Deus, olha esse pneu!” ou “Caraca! O que...
Continue a Leitura »
Crônicas

A eterna maldição

Margarete Hülsendeger Jamais deves buscar a coisa em si, a qual depende tão somente dos espelhos. A coisa em si, nunca: a coisa em ti. Mario Quintana Uma manhã, na hora do cafezinho, uma colega soltou essa “pérola”: “Gurias, na hora H, homem não vê celulite e nem barriguinha. A concentração dele está em ‘outro’ lugar”. No dia todas rimos, mas a verdade é que ninguém acreditou. Ou melhor, poucas mulheres conseguem acreditar nesse tipo de afirmação. Muito poucas! Quando olhamos para o espelho nunca realmente nos vemos. E o mais terrível: não importa se a mulher tem 20 ou 60 anos, a reação é sempre a mesma, “Meu Deus, olha esse pneu!” ou “Caraca! O que vou fazer...
Continue a Leitura »
Crônicas

O caso das estátuas

O CASO DAS ESTÁTUAS Margarete Hülsendeger Há esperanças, só não para nós. Franz Kafka Morro, mas não vejo tudo! Têm coisas que parecem ter saído diretamente de um conto do Kafka. Um belo dia, funcionários da prefeitura de uma cidade do interior – me reservo o direito de preservar o nome do local – receberam uma encomenda inusitada. Tratava-se de três estátuas: uma zebra, um elefante e a imagem, em tamanho natural, do deus do vinho. Esses “monumentos”, quando chegaram na tal cidade, foram descarregadas no pátio da Secretaria de Viação e Obras Públicas e, como mais tarde foi averiguado, custaram aos cofres públicos a bagatela de 24 mil reais. Segundo o que se pôde até o momento apurar,...
Continue a Leitura »
Crônicas

Inveja virtual

Margarete Hülsendeger É mais fácil ter ciúmes de um amigo feliz do que ser generoso para um amigo que esteja na desgraça. Alberto Moravia   Está lá no Houaiss, basta procurar: “inveja, substantivo feminino; 1. Desgosto provocado pela felicidade ou prosperidade alheia; 2. desejo irrefreável de possuir ou gozar o que é de outrem”. Esta lá, preto no fundo laranja desbotado, para quem quiser ler. E se alguém vier com uma conversa de “inveja branca”, não acredite. Isso não existe! Inveja – branca, preta ou roxa – é e sempre será inveja. A questão é que mesmo com a melhor das formações morais, poucos, muito poucos, são imunes a ela. Assim como a generosidade, esse é um daqueles sentimentos...
Continue a Leitura »
comportamento

Contágio

Margarete Hülsendeger A felicidade é uma obra prima: o menor erro falseia-a, a menor hesitação altera-a, a menor falta de delicadeza desfeia-a, a menor palermice embrutece-a. Marguerite Yourcenar O filme “Contágio” foi lançado no final de 2011 e contava com um elenco estelar: Matt Damon, Gwyneth Paltrow, Kate Winslet, Jude Law, Marion Cotillard, Laurence Fiscburne, entre outros. A trama seguia o rápido processo de um vírus letal, transmitido pelo ar e que matava em poucos dias. Uma história assustadora, pois mostrava o quanto a nossa sociedade é frágil e impotente diante de um inimigo silencioso e invisível. No entanto, não se assustem! Apesar dessa introdução sombria, o tema deste texto não é sobre nenhuma ameaça biológica que possa colocar...
Continue a Leitura »
Crônicas

Quando é hora de dizer adeus?

Margarete Hülsendeger Tão bom viver dia a dia A vida, assim jamais cansa… Viver tão só momentos, Como essas nuvens do céu… Mario Quintana Quando se sabe a hora de partir? Quando se aceita que a realidade até agora sentida e vivida não é mais o que se deseja? Quando?! Em um momento estamos presos – sem percebermos ou nos importarmos – a uma rotina que nos esmaga e consome. Em outro, nosso único e dolorido desejo é fugir, deixando para trás todas aquelas pequenas grandes coisas que durante tanto tempo definiram e, muitas vezes, determinaram o nosso modo de pensar e de agir. De repente, questiona-se tudo, em especial, o que fizemos e deixamos de fazer para estarmos...
Continue a Leitura »
Crônicas

Rótulos: cuidado você pode ser o próximo

Margarete J. V. C Hülsendeger Outro dia li a seguinte afirmativa: “Quem lê poesia é mais inteligente”. Confesso que, inicialmente, fiquei sem entender o que o autor dessa frase queria dizer; afinal, afirmação tão categórica deixa de fora milhares de pessoas pelo mundo afora. Será que ele estaria querendo dizer que todos esses milhares de seres espalhados por esse imenso planeta são burros? Não, com certeza não! Uma pessoa inteligente jamais diria tal coisa, principalmente se lê ou escreve poesia. No entanto, essa questão suscitou em mim a seguinte reflexão: como é fácil definir ou rotular os outros, colocando-se, muitas vezes, os nossos gostos como modelo a ser seguido. Parece-me que, hoje, há uma facilidade imensa em estabelecer padrões...
Continue a Leitura »
Crônicas

Uma difícil lição

Margarete J. V. C. Hülsendeger Ninguém deveria acreditar que é perfeito nem se preocupar com o fato de não o ser. Bertrand Russel   “Errar é humano”, afirma um velho ditado popular. “Persistir no erro é burrice”, conclui esse mesmo ditado. Sendo burrice ou não, o fato é que as pessoas erram o tempo todo e acabam lidando com esses erros de formas diferentes. Alguns os encaram de maneira pragmática, como quem diz: “Hoje fui eu, amanhã poderá ser você”. Outros, no entanto, se flagelam, impondo-se um sofrimento sem sentido e desperdiçando uma energia que poderia ser aproveitada em algo mais construtivo. De qualquer maneira, a tensão emocional que, muitas vezes, nos atinge quando percebemos que erramos é imensa....
Continue a Leitura »
Crônicas

Lembrar? Para quê?

    Margarete Hülsendeger     Fisicamente, habitamos um espaço, mas, sentimentalmente, somos habitados por uma memória. Jose Saramago         Nos anos 60 havia um seriado de ficção científica (Star Trek) que costumava iniciar com a seguinte frase: “Espaço, a fronteira final…”. O objetivo era mostrar que apenas fora do nosso planeta encontraríamos aventuras e desafios dignos de serem vividos. Hoje, 50 anos depois, sabemos que ainda há muito a ser explorado e descoberto aqui mesmo no “nosso quintal”. E uma dessas regiões inexploradas encontra-se bem perto de nós; mais especificamente, dentro da nossa cabeça. Estou me referindo ao cérebro. Ele já foi pesado, medido e suas diferentes regiões mapeadas, mas saber, realmente, como é o...
Continue a Leitura »
Crônicas

“O bicho-papão vai pegar!”

Margarete Hülsendeger Todos os homens têm medo. Quem não tem medo não é normal; isso nada tem a ver com a coragem. Jean-Paul Sartre Essa frase foi definida por especialistas, em matéria publicada no jornal, como sendo o erro mais comum cometido por pais, quando o tema é a educação dos filhos. De minha parte, só posso dizer que concordo plenamente! Não há pior erro do que infundir temores sem sentido nas crianças. Aliás, o assunto da matéria era exatamente esse, os medos infantis. No mesmo texto, um psicólogo e psicanalista – Dr. Júlio Cesar Waltz –, ao ser questionado sobre o assunto respondeu: “Como os pais devem agir? Isso é que não sei. Tenho muito medo dessa pergunta,...
Continue a Leitura »
Crônicas

Quando a unaminidade é impossível

Margarete Hülsendeger Os adversários acreditam que nos refutam quando repetem a própria opinião e não consideram a nossa. Goethe Quando alguém se predispõe a dar uma opinião – não importa o assunto – deve estar preparado para receber não só apoio, mas, principalmente, críticas. E se essa opinião for disponibilizada na internet, não tem jeito: é preciso estar pronto para tudo. No entanto, mesmo que essa afirmativa possa parecer um tanto óbvia, ainda existem pessoas que se surpreendem quando seus pontos de vista geram alguma polêmica. Já cansei de ouvir frases do tipo: “Jamais pensei!” ou “Estão exagerando!”. Até entendo a segunda queixa, pois há assuntos que não mereceriam uma opinião, quanto mais um debate. Contudo, é difícil de...
Continue a Leitura »

Terapia dos sonhos

 Margarete Hülsendeger Dormir, dormir… talvez sonhar… Shakespeare (Hamlet) Uma manhã, no intervalo entre as aulas, uma colega, sentando-se ao meu lado, revelou muito séria: - Estou de alta da terapia! – A expressão do seu rosto era um misto de alegria e orgulho mal disfarçado Apesar da surpresa inicial, logo me recuperei e consegui cumprimentá-la dando o devido valor à noticia que ela havia compartilhado comigo. Afinal, não é sempre que as pessoas revelam estar em terapia e, muito menos, que receberam “alta”. Mas a conversa não parou por aí. Já que ela havia se sentido à vontade em falar sobre esse assunto, quis saber os motivos dessa decisão que, segundo ela, fora consensual. A resposta não poderia ser...
Continue a Leitura »
Crônicas

Causa de inveja

    CAUSA DE INVEJA Margarete Hülsendeger “A inveja é assim tão magra e pálida porque morde e não come” já dizia Francisco Quevedo, escritor espanhol do século XVII. Com certeza, esse é um dos sentimentos mais terríveis e amargos que uma pessoa pode experimentar. Não é por nada que a inveja compõe a lista dos sete pecados capitais. No entanto, preciso reconhecer que, não tem muito tempo, estive dominada por esse infame sentimento. Explico. Há algumas semanas, por conta de uma dor persistente nos ouvidos, fui consultar um otorrino. Quando cheguei ao consultório, além da secretária, havia dois outros pacientes, eram dois idosos, um homem e uma mulher. Depois de cumprimentá-los procurei uma cadeira; a única disponível era...
Continue a Leitura »