Cultura

Elza Soares arrasou nas Olimpíadas 2016

ELZA SOARES ARRASOU NAS OLIMPÍADA 2016 Nair Lucia de Britto       Elza Soares uma das mais consagradas cantoras brasileiras deu um belo espetáculo nas Olimpíadas de 2016, durante sua abertura, por sinal, maravilhosa. Foi uma sábia e justa lembrança convidá-la entre outras estrelas, para representar o Brasil.     Na sua difícil trajetória de vida, mostrou-se sempre não só uma grande cantora, mas também uma mulher forte e guerreira, que não se deixou abater pelas dificuldades e nunca desistiu dos seus sonhos. Nasceu na favela da Moça Bonita, em Padre Miguel (atual Vila Vintém). Seu pai era um operário e violonista e sua mãe lavava roupas para fora, para ajudar a família. Com apenas 12 anos de idade, o...
Continue a Leitura »
Cinema

Tallulah

Tallulah (EUA – 2016) Nair Lúcia de Britto   Um filme que surpreende a cada ação. De início o tema parece ser banal: uma história para distrair, de uma jovem descabeçada, chamada Lu (Ellen Page), que mora numa caminhonete e se contenta com uma vida de aventuras inescrupulosas, para sobreviver; e um namorado tão bonito como inconsequente… Até que os dois se desentendem.   Depois disso, ela recorre aos seus métodos rotineiros para matar a fome. Entra num hotel e quando bate à porta de uma hóspede, ela se depara com uma mulher mais desajuizada do que ela,  cuja irresponsabilidade põe em risco a vida da própria filha, um bebê de dois anos. Se passando por babá, Lu resolve...
Continue a Leitura »
Cultura

Todo mundo erra

TODO MUNDO ERRA Nair Lúcia de Britto Todo mundo erra   Eu errei, tu errastes   Ele errou…   Todo mundo erra   Mas a gente só berra   Quando o erro é do outro   Quando somos nós que erramos   Nós não enxergamos   Porque o espelho só mostra   O que queremos ver…   E prosseguimos errando   Até que o erro nos cause dor…   Todo mundo erra   Errar é humano   Mas persistir no erro   É desumano!       Eu errei, tu errastes, ele errou   Vamos nos perdoar?   E nos comprometer   Daqui pra frente…   Sermos mais inteligentes   Procurarmos acertar   Evitarmos errar Para nos amarmos mais...
Continue a Leitura »
Crônicas

Remédio ou veneno?

Nair Lúcia de Britto  Depende muito da forma como você usa esses medicamentos. Por exemplo, você acredita nas propagandas que dizem alto na sua cabeça: Tome isso para aquilo, tome aquilo para isso… E assim vai! Não pode dar bom resultado, sabe por quê? Porque antes de tomar qualquer remédio é preciso ser muito necessário, ou melhor, extremamente necessário. E não por causa de uma dor de cabeça qualquer que, com um pouco de paciência, passa com um simples lenço úmido sobre a testa, um descanso, um pouco de silêncio. Se não passar então é preciso procurar saber a causa e matar o mal pela raiz. Uma dor de cabeça tem mil motivos e, se você não eliminar o...
Continue a Leitura »
Crônicas

O quinto elemento ou a quinta força?

Margarete Hülsendeger O universo nos torna humildes. A natureza esconde muitos de seus mistérios mais interessantes. Mas os cientistas são arrogantes o suficiente para achar que podem solucioná-los. Lisa Randall (Batendo à porta do céu) Em 1997 estreava “O Quinto Elemento”, um filme escrito e dirigido pelo francês Luc Besson. Em seu elenco, Bruce Willis, Gary Oldman, Milla Jovovich, entre outros. Na produção, os quadrinistas Jean Giraud e Jean-Claude Mézières e no figurino, o estilista Jean-Paul Gaultier. A trama ocorre em 2263 quando uma ameaça alienígena só poderá ser evitada pela conjugação de quatro pedras sagradas, representando os quatro elementos – água, ar, fogo e terra – além do quinto elemento, corporificado pela extraterrestre Leeloo (Milla Jovovich). O personagem...
Continue a Leitura »
Crônicas

A banca de jornal

Gilda E. Kluppel Ele, dono de uma banca de jornal, no centro da cidade, costuma analisar as pessoas pelos jornais e revistas que compram. Sempre gostou de leitura, herdou do pai a banca de jornal, instalada em um ponto estratégico da cidade. Precisou diversificar as vendas, conforme a necessidade do mercado, ampliou a variedade de produtos, de refrigerantes até guarda-chuvas, transformando a banca em uma loja de conveniência. Culpa a internet pela diminuição da venda de jornais e revistas, agora os leitores apressados necessitam apenas de informações atualizadas e sintéticas. Mantêm expostas, num quadro de vidro, as capas de revistas antigas “O Cruzeiro”, “Manchete” e “Grande Hotel”. Aprendeu a se interessar por leitura ao frequentar, quando criança, a banca...
Continue a Leitura »
Crônicas

Uma vida injustificada

Uma vida injustificada Mara Rovida*   Ana Maria era média, mediana, talvez medíocre, não no sentido pejorativo. Mas era certamente dessas pessoas que não têm grandes destaques para se gabar. Da estatura ao desempenho nas atividades escolares, sempre esteve nem muito lá, nem muito cá. Sabia o suficiente para passar na média ou pouco acima. Não estava entre as beldades do bairro, mas, quando bem arrumadinha, conseguia chamar a atenção do pretendente. De meio assim em meio assim, foi crescendo e se descobrindo parte de outra média ainda maior. Ser mulher é, na média, uma sucessão de justificativas. Foi assim que a moça nem magra nem gorda, nem alta nem baixa foi se percebendo logo que saiu do colégio....
Continue a Leitura »
Cinema

Little boy – Além do Impossível

LITTLE BOY – Além do Impossível El Gran Pequeno – EUA-México/2015   Nair Lúcia de Britto   Pepper (Jakob Salvati) é um garoto de oito anos de idade, que mora em O’Hare, Califórnia, na década de 40. Ele adora o  pai, James (Michael Rapaport), com quem tem uma grande afinidade e com quem compartilha as alegrias e fantasias relacionadas ao mundo infantil. E, assim, sua infância transcorre alegremente, com seu parceiro e melhor amigo: o pai.   Mas a felicidade do garoto desmorona quando o seu pai é obrigado a deixar sua família para lutar na Segunda Guerra Mundial. Uma grande tristeza toma o coração do menino que, além da dor da ausência do pai, tem de suportar ser constantemente...
Continue a Leitura »
Crônicas

O Yin e o Yang da Física

O YIN E O YANG DA FÍSICA Margarete Hülsendeger A única diferença entre as ciências “rigorosas” (a física, a matemática) e as “conjecturas” (a história, a moral a política) é que das primeiras podemos obter uma segurança normal para nossas provisões, e das segundas seguranças relativas, pois se conhecêssemos todos os elementos e as forças em jogo, seríamos como a divindade. Jorge Luis Borges (Livro dos sonhos) Em 1947, aos 62 anos, um dos pais da Mecânica Quântica, o físico dinamarquês Niels Bohr, recebeu, do rei da Dinamarca, a condecoração do Cavaleiro da Ordem dos Elefantes, uma das mais antigas da Europa. O agraciado com a honraria deve escolher um brasão que permanecerá durante a cerimônia oficial ao lado...
Continue a Leitura »
Crônicas

Na hora do cafezinho

Gilda E. Kluppel Ela considerava normal uma piadinha aqui ou uma brincadeira ali, até então percebidas como inofensivas, sobre as mulheres. Que mal poderia existir em algo dito com o objetivo de provocar risos? No ambiente de trabalho, durante as confraternizações e principalmente na hora do cafezinho, evidenciava-se esse comportamento. Não apenas por parte de alguns homens, mulheres também reproduziam os comentários, que maculam a dignidade feminina, sem sequer notarem. Muitas vezes, críticas maldosas a respeito de outras colegas de trabalho, não tão próximas do grupo. Existia um mal-estar, afinal, caso não estivesse presente, ela poderia ser o alvo seguinte. Em certas ocasiões, constrangia-se com as piadas mais apimentadas sobre as mulheres, ria mesmo assim, um sorriso amarelo, para...
Continue a Leitura »
Cultura

Clarice e os seus mistérios

Gilda E. Kluppel                                                                                                                Seus mistérios… Contidos em personagens O sublime eu de Clarice Este eu que se tornou universal Quando penetrou nas entranhas da alma. Complexa e instigante Do ovo e a galinha Espantosa lucidez De saber que não poderia alterar a realidade Apenas conversar consigo mesma Lembrando que mais nos conhecemos Quando não tememos a solidão. A resposta do mistério entregou aos outros E o outro dos outros era o eu de Clarice Na busca da revelação desse mistério Aceitamos mais facilmente nossa condição de falíveis Sem acatar fórmulas ditas como certas de vida. Soube se libertar e viajar para as profundezas do íntimo, Onde poucos ousaram ir E de lá nos trazer alívio para nossas doses...
Continue a Leitura »
Crônicas

Propaganda também deve educar

PROPAGANDA TAMBÉM  DEVE EDUCAR Nair Lúcia de Britto A meu ver, o Boticário faltou com o bom-senso na propaganda do Dia dos Namorados, neste ano de 2016. Ou seja: Um belo rapaz está sentado calmamente à mesa de uma lanchonete. Inesperadamente surge uma linda jovem e lhe oferece um presente. É uma caixa contendo um “Malbec Noir”. É uma fragrância inspirada em grandes vinhos e perfeita para quem quer deixar sua marca, diz o Boticário. Diante do presente, o rapaz se encanta, toma a moça em seus braços e eles se beijam calorosamente, enquanto uma música italiana, suave e romântica, ecoa no ar. Até aí, muito lindo, muito romântico… O problema é quando o beijo termina, eles se entreolham e o rapaz...
Continue a Leitura »
Crônicas

Os fantasmas da Ciência

OS FANTASMAS DA CIÊNCIA Margarete Hülsendeger A ciência tira a sabedoria das pessoas e costuma convertê-las em fantasmas carregados de conhecimentos. Miguel Unamuno Você acredita em fantasmas? E em bruxas? Não. Talvez. No primeiro, mas não no segundo. Vice-versa. Não tem a menor ideia de onde estou querendo chegar. Para não deixá-lo mais nervoso, farei uma última pergunta: você sabia que a Física acredita em fantasmas? Chocado? Não fique. Seu mundo ou o mundo que você conhece, está seguro, pois quem defende a existência de tais “entidades” é a Mecânica Quântica. Sim, aquela área da Física que poucos entendem e na qual ocorrem fenômenos absurdamente esquisitos e surreais. Um desses estranhos eventos chama-se “entrelaçamento quântico”. Imagine dois irmãos: um...
Continue a Leitura »
Gilda E. Kluppel

Desejo de Tolo

Desejo de Tolo Gilda E. Kluppel Tolos ambicionam o poder, e aos inocentes restam as lágrimas, nem em seus piores pesadelos podem imaginar, as competições repugnantes em palavras imundas. Clausuram sentimentos encerram as amizades, iniciam as parcerias, unem-se aos assemelhados, ocupam os espaços, demarcam territórios e consolidam acordos para abrigar os indesejáveis. Enfileiram as pessoas, como cartas de um baralho sobre a mesa, para tecer julgamentos espúrios, descartam os inconvenientes que podem ser recolhidos numa próxima rodada. Caem as máscaras, na face a madeira bruta, sem verniz para disfarçar. Espectros se levantam, sombras predominam, desonram os honestos e a virtude é humilhada. Sepultam ideais, revestem-se de autoridade e mudam atitudes. Invertem a moral, espalham sofrimentos e se regozijam na...
Continue a Leitura »
Crônicas

Tio Roberto

Dia 30 de maio é aniversário de um tio muito querido… Meu tio Roberto. Era a pessoa mais alegre que conheci. Muito inteligente, ótimo construtor de casas, em Santos. Muito ativo, muito festeiro… acho que nunca vi meu tio Roberto triste ou mau-humorado.   Tio Roberto era lindo!.. As moças do seu tempo diziam que ele se parecia com Clark Gable, um ator de muito sucesso na época; e galã do filme “E o Vento Levou”.   Quando eu era criança, todos os dias, eu corria da casa do meu avô, na Rua Osvaldo Cruz, 298, (casa que meu próprio tio construiu) para a casa dele; para assistir “Alô Doçura!”, um seriado de autoria de um dos grandes autores...
Continue a Leitura »
Colunistas

Conectados

Conectados Gilda E. Kluppel   Talvez esteja muito distante do mundo conectado, mas salta aos olhos a ligação, até mesmo afetiva, dos jovens com seus smartphones. Quem perguntar quantas mensagens de texto eles são capazes de enviar, em um dia, pode também se surpreender: mais de cem! Isto acontece durante o período diurno, noturno e até de madrugada. A troca de mensagens, que não escolhe hora e ocasião, penetra inapropriadamente na escola, durante as aulas. Alguns alunos não resistem à tentação de conferir as novidades recebidas. Os aparelhos são fáceis de camuflar e o alerta vibratório passa desapercebido. A digitação do texto acontece embaixo das carteiras, junto com canetas em penais, em bolsos de casacos, atrás de um livro,...
Continue a Leitura »
Colunistas

Condutopatia, um grave problema de ordem social

CONDUTOPATIA, UM GRAVE PROBLEMA DE ORDEM SOCIAL Nair Lúcia de Britto O termo “Condutopatia” foi criado pelo psiquiatra forense Guido Arturo Palomba, referência na Psiquiatria Forence; e que há mais de quarenta anos se dedica a definir os perfis psicológicos de criminosos. A diferença que existe entre o psicopata e o condutopata é que o psicopata não tem a mínima empatia com as outras pessoas. Enquanto que o condutopata vive no meio social, ama e é amado, estuda e leva uma vida normal enquanto ceifa a vida do seu próximo; explica o psiquiatra. E considere-se como “próximo” os pais, os filhos, parentes, amigos e demais pessoas com quem ele convive. Apesar de ter um comportamento aparentemente normal, o condutopata...
Continue a Leitura »
Cultura

A beleza salvará o mundo

A BELEZA SALVARÁ O MUNDO Nair Lúcia de Britto A arte é a expressão da beleza. E “A beleza salvará o mundo”, disse Lev Nikolácvitch Mickin, cientista e pensador russo; relembrado pelo filósofo búlgaro, Tznetan Todov, em uma palestra transmitida, tempos atrás, pela Tevê Cultura. Sendo a arte a pura expressão do belo e um dom divino dado ao homem como instrumento para educar  e fazer a humanidade evoluir; a fim de fazer despertar os sentimentos e as emoções mais puras (que fazem ponderar e refletir) é responsabilida do artista jamais se esquivar do seu verdadeiro sentido. Os artistas recuperaram o Ministério da Cultura através de uma reivindicação popular ao Governo Federal. Por sua vez, o governo federal atendeu a...
Continue a Leitura »
Crônicas

Em defesa do atleta João Paulo do Nascimento

EM DEFESA DO ATLETA PARALÍMPICO JOÃO PAULO DO NASCIMENTO Nair Lúcia de Britto Segundo notícias do site do Uol, a queda de sua cadeira de rodas, do atleta paralímpico João Paulo Nascimento, na passagem da tocha olímpica, em Anápolis, no dia 4 de maio de 2016, foi muito mal interpretada por internautas que o acusaram injustamente de falso cadeirante. A atleta do halterofilismo Marcia Menezes defendeu o companheiro. “Só quem tem mais contato com o esporte paralímpico sabe dos inúmeros tipos de deficiência que não impedem que sejam ativos.” No caso da atleta, por exemplo, ela tem sequela de poliomilite na perna direita, e se tivesse caído teria o mesmo reflexo de se reerguer sozinha, como fez João Paulo...
Continue a Leitura »
Colunistas

A faxina como terapia

A FAXINA COMO TERAPIA Margarete Hülsendeger O cultivo da tranquilidade é um método extremamente eficiente para alcançar qualidades de elevada consciência. Dalai Lama Relaxar apresenta, segundo o dicionário Houaiss, oito diferentes significados: “dispensar do cumprimento de, perdoar, debilitar, corromper-se, enfraquecer-se, deixar de exigir, negligente, procurar repouso”. No entanto, na linguagem do dia-a-dia quando a palavra “relaxar” aparece em uma conversa, geralmente, é na sua oitava forma, ou seja, representando a busca por momentos de recreação nos quais se procura diminuir a tensão nervosa e a ansiedade. Nesse sentido, pode-se dizer que existem várias formas de relaxar, tudo dependendo do perfil da pessoa. Há aqueles que se sentem absolutamente relaxados quando estão atrás do volante de um automóvel – “sem...
Continue a Leitura »