Cultura

Elza Soares arrasou nas Olimpíadas 2016

ELZA SOARES ARRASOU NAS OLIMPÍADA 2016 Nair Lucia de Britto       Elza Soares uma das mais consagradas cantoras brasileiras deu um belo espetáculo nas Olimpíadas de 2016, durante sua abertura, por sinal, maravilhosa. Foi uma sábia e justa lembrança convidá-la entre outras estrelas, para representar o Brasil.     Na sua difícil trajetória de vida, mostrou-se sempre não só uma grande cantora, mas também uma mulher forte e guerreira, que não se deixou abater pelas dificuldades e nunca desistiu dos seus sonhos. Nasceu na favela da Moça Bonita, em Padre Miguel (atual Vila Vintém). Seu pai era um operário e violonista e sua mãe lavava roupas para fora, para ajudar a família. Com apenas 12 anos de idade, o...
Continue a Leitura »
Cinema

Tallulah

Tallulah (EUA – 2016) Nair Lúcia de Britto   Um filme que surpreende a cada ação. De início o tema parece ser banal: uma história para distrair, de uma jovem descabeçada, chamada Lu (Ellen Page), que mora numa caminhonete e se contenta com uma vida de aventuras inescrupulosas, para sobreviver; e um namorado tão bonito como inconsequente… Até que os dois se desentendem.   Depois disso, ela recorre aos seus métodos rotineiros para matar a fome. Entra num hotel e quando bate à porta de uma hóspede, ela se depara com uma mulher mais desajuizada do que ela,  cuja irresponsabilidade põe em risco a vida da própria filha, um bebê de dois anos. Se passando por babá, Lu resolve...
Continue a Leitura »
Cultura

Todo mundo erra

TODO MUNDO ERRA Nair Lúcia de Britto Todo mundo erra   Eu errei, tu errastes   Ele errou…   Todo mundo erra   Mas a gente só berra   Quando o erro é do outro   Quando somos nós que erramos   Nós não enxergamos   Porque o espelho só mostra   O que queremos ver…   E prosseguimos errando   Até que o erro nos cause dor…   Todo mundo erra   Errar é humano   Mas persistir no erro   É desumano!       Eu errei, tu errastes, ele errou   Vamos nos perdoar?   E nos comprometer   Daqui pra frente…   Sermos mais inteligentes   Procurarmos acertar   Evitarmos errar Para nos amarmos mais...
Continue a Leitura »
Cultura

Literatura de Cordel, Cultura e Ensino: a Diversidade Cultural no Âmbito Educacional

Publicad0 originalmente em 02/04/2012 no link : <http://www.partes.com.br/educacao/artigos/literaturadecordel.asp>   Silvio Profirio da Silva* RESUMO: O ensino, em uma perspectiva geral, tem presenciado a consolidação de profundas mudanças nas práticas pedagógicas presentes no cenário educacional. Uma dessas mudanças diz respeito à inserção de diversos aspectos da cultura popular no âmbito educacional. Em específico, a inserção de diversos gêneros textuais que lançam mão de fatores culturais. Este trabalho tem como objetivo abordar os subsídios  da Literatura de Cordel para levar para o universo escolar novas possibilidades de cunho metodológico relacionadas à diversidade cultural. PALAVRAS-CHAVE: Literatura de Cordel; cultura; ensino.   RESUMEN: La enseñanza, en una perspectiva general, tiene visto la consolidación de profundos cambios en las prácticas docentes presentes en el...
Continue a Leitura »
Comunicação

Jornalismo, trânsito e diálogo no espaço urbano. É possível?

O trânsito representa o que há de mais caótico nas grandes metrópoles, é o cenário que parece condensar drasticamente o conflito e as disputas que marcam a vida urbana. Nas ruas e avenidas da cidade, as pessoas se digladiam para ir e vir usando o transporte coletivo público ou as formas individuais e privadas de mobilidade. Dessa necessidade que se impõe diariamente a milhões de pessoas surge uma realidade permeada por desavenças, violência e mortes. O trânsito brasileiro apresenta números, entre mutilados e mortos, semelhantes aos de uma guerra civil. Muito tem sido feito para amenizar essa realidade, mas seria possível pensar num espaço público menos violento ou o seu oposto, isto é, um trânsito amistoso onde as pessoas...
Continue a Leitura »
Cultura

Acerca dos Conceitos de Cultura e Educação: Uma Mirada a partir do Pensamento de Ángel Díaz de Rada

Publicado originalmente em 06/08/2012 o link;<http://www.partes.com.br/educacao/artigos/culturaeeducacao.asp> Cristiano Guedes Pinheiro*   Resumo Este trabalho reflexiona acerca dos conceitos de cultura e educação. Busca, a partir do pensamento do antropólogo espanhol, Ángel Díaz de Rada, perceber a aproximação entre as duas temáticas. Se o objeto principal de teorização do autor é a cultura, é nos entremeios de seu pensamento e de sua escrita que será pontuado e trazido à baila a questão da educação. Por fim destaca-se a necessária distinção entre o conceito de educação e escolarização, no sentido de apontar que cultura e educação, enquanto expressões da ação social, são produzidas cotidianamente, com ou sem a presença da escola. Palavras-Chave: Cultura; Educação; Díaz de Rada; Escola.     Resumen Este...
Continue a Leitura »
Cultura

Alguns aportes para pensar a Cultura

Iara Machado Vivemos uma crise social, econômica e política, mas, sobretudo, cultural, pois a Cultura perpassa toda e qualquer ordem social e suas representações. Desta forma faz-se necessário que ela seja reconceitualizada como uma dimensão (e não uma esfera separada de outras) que perpassa toda a vida: as formas de ser, de saber e a natureza. Para tanto é preciso ver a Cultura como: Filosofia, pois esta devolve à cultura o seu sentido de valor, através do qual, as questões estéticas interrompem o processo mercadológico, à medida que devolve o sentido às expressões coletivas, resgatando assim, a dimensão simbólica da política. Pois produz formas de viver, pensar e imaginar a vida de forma alternativa à ordem mercadológica que se...
Continue a Leitura »
Cinema

Little boy – Além do Impossível

LITTLE BOY – Além do Impossível El Gran Pequeno – EUA-México/2015   Nair Lúcia de Britto   Pepper (Jakob Salvati) é um garoto de oito anos de idade, que mora em O’Hare, Califórnia, na década de 40. Ele adora o  pai, James (Michael Rapaport), com quem tem uma grande afinidade e com quem compartilha as alegrias e fantasias relacionadas ao mundo infantil. E, assim, sua infância transcorre alegremente, com seu parceiro e melhor amigo: o pai.   Mas a felicidade do garoto desmorona quando o seu pai é obrigado a deixar sua família para lutar na Segunda Guerra Mundial. Uma grande tristeza toma o coração do menino que, além da dor da ausência do pai, tem de suportar ser constantemente...
Continue a Leitura »
Cultura

Visita ao museu de arte moderna em Nova York

Por Ana Luisa Borba Minha noite estrelada   Em meio a muitas andanças pelas escadas do MoMa (The MuseumofModern Art), e à horas de análises de obras de arte, fotografias, Kahlo, Dalí, Picasso, Gauguin, Monet, e muitos outros artistas que não é possível recordar, deparo-me com um burburinho de pessoas se empurrando freneticamente, olhos se arregalando, vários “com licença” em ao menos cinco línguas diferentes, que logo me chamam a atenção. Sem nada a perder, e fugindo do frio de -2º de NYC, vou com minha mãe para ver o porquê de tanto estardalhaço. Noite. 1889. Vicent Willen Van Gogh. Não era para menos, estava ali, bem à frente de todos, “A Noite Estrelada”. Tiro minhas fotos como qualquer um naquele lugar, e salvo em  quatro app’s diferentes para...
Continue a Leitura »

Do poder da palavra

DO PODER DA PALAVRA ADÉLIA BEZERRA DE MENESES Em “As 1001 Noites”, Sheherazade vence a morte e o poder, propiciando a cura através de um discurso vivo, corpóreo “As 1001 Noites” em geral nos chegaram através de antologias infantis. Conhecemos as  Histórias: “Sindbád, O Marujo”, “Aladim e a Lâmpada Maravilhosa­”, “O Pescador e o Gênio”  etc. Mas tais antolo­gias acabam por privar o leitor do plano geral da obra – a estrutura de encaixe dos contos, embutido uns dentro de outros- e, sobretudo, da poderosa figura da Shehera­zade, que vence a morte através da Literatura. Tra­ta-se da maior apologia da Palavra, de que se tem conhecimento. E analisar o papel da contadeira de histórias significará abordar o problema das...
Continue a Leitura »
Cultura

VIda

VIDA Nazaré, 12-07-1999 Estava tudo seco Os homens, os bichos e as plantas Todos morrendo de sede. De repente, nuvens pesadas Desabaram sobre o sertão. E a chuva caiu E a terra pariu O seu hino de amor. REG-277358L500F18 Min.cult.-Br...
Continue a Leitura »
Cultura

Clarice e os seus mistérios

Gilda E. Kluppel                                                                                                                Seus mistérios… Contidos em personagens O sublime eu de Clarice Este eu que se tornou universal Quando penetrou nas entranhas da alma. Complexa e instigante Do ovo e a galinha Espantosa lucidez De saber que não poderia alterar a realidade Apenas conversar consigo mesma Lembrando que mais nos conhecemos Quando não tememos a solidão. A resposta do mistério entregou aos outros E o outro dos outros era o eu de Clarice Na busca da revelação desse mistério Aceitamos mais facilmente nossa condição de falíveis Sem acatar fórmulas ditas como certas de vida. Soube se libertar e viajar para as profundezas do íntimo, Onde poucos ousaram ir E de lá nos trazer alívio para nossas doses...
Continue a Leitura »
Gilda E. Kluppel

Desejo de Tolo

Desejo de Tolo Gilda E. Kluppel Tolos ambicionam o poder, e aos inocentes restam as lágrimas, nem em seus piores pesadelos podem imaginar, as competições repugnantes em palavras imundas. Clausuram sentimentos encerram as amizades, iniciam as parcerias, unem-se aos assemelhados, ocupam os espaços, demarcam territórios e consolidam acordos para abrigar os indesejáveis. Enfileiram as pessoas, como cartas de um baralho sobre a mesa, para tecer julgamentos espúrios, descartam os inconvenientes que podem ser recolhidos numa próxima rodada. Caem as máscaras, na face a madeira bruta, sem verniz para disfarçar. Espectros se levantam, sombras predominam, desonram os honestos e a virtude é humilhada. Sepultam ideais, revestem-se de autoridade e mudam atitudes. Invertem a moral, espalham sofrimentos e se regozijam na...
Continue a Leitura »
Contos

Ninguém pode explicar nem a Lapa Nem a Lida, num conto curto

por Zeh Gustavo   ao Paulinho da Viola que acompanha todos os sambistas   Tenso. Desfavorável. Um abafa num Rio de outono-inferno, calor alegremente soturno, derrete-miolos. A cidade exala qual açougue. No matadoidos do caldo urbano assa nossa carne misturada, rastegue somos todos andrajos na cidade-sítio de bairros-baldeações com seu trânsito de veículos débeis sob siglas pelos quais desfiamos nosso rosário de pés-rapados e bolsos extorquidos. E aquela, mais uma guigue por se fazer. Prato do dia: ensopado de restolhos. A direção: a velha senhorita-patrona, dona Lapa. Maneca e suas responsas, a superpesarem nos quengos. E nos braços que lutam pela sobrevivência musical num pano de fundo quase findo, horizonte vindouro é magro. Pedestais, dois mics, um pequeno amplificador...
Continue a Leitura »
Cultura

Narinas interditas

  Gilberto da Silva   Preparam nossos sentidos para a repulsa ao outro, nosso narizes selecionados para sentir repulsa do cheiro das ruas, dos guetos, das vielas, das quebradas. E vem a humilhação, a degradação, o abandono. Fim do cheiro da terra, fim do cheiro do povo. Assim nos tornamos estranhos…. De estranhos para inimigos: um passo! Da aturação social para a sentença de morte: uma linha! Assim nos tornamos ferramentas dos propagandistas do ódio....
Continue a Leitura »
Cultura

O amor de Hannah e Martin

  Um vinho seco posto à mesa, sinais trocados para comemorar enlaces, oportunidade de realçar vínculos. Flores e amor no campo. Primaveras,  outonos, qualquer estação está aberta à experiência. Aquela paixão estancada, o beijo furtado. Amou, amastes, amamos. Destinos em contraposição. Manhãs, acordares em fantasia, correspondências, frases, filosofias e admiração. Mergulho no Eu, divisões, biografias cruzadas. Ser, tempo, encontro, despedidas. Vazios, olhares, magia: amar não pede atestado, amar não esvazia a alma. O que importou? Qual estética, qual metafísica? Expressões de duas mentes inquietas. Saibamos: “nenhuma palavra irrompe na escuridão.”   Por Gilberto da Silva – 2015...
Continue a Leitura »
Cultura

A beleza salvará o mundo

A BELEZA SALVARÁ O MUNDO Nair Lúcia de Britto A arte é a expressão da beleza. E “A beleza salvará o mundo”, disse Lev Nikolácvitch Mickin, cientista e pensador russo; relembrado pelo filósofo búlgaro, Tznetan Todov, em uma palestra transmitida, tempos atrás, pela Tevê Cultura. Sendo a arte a pura expressão do belo e um dom divino dado ao homem como instrumento para educar  e fazer a humanidade evoluir; a fim de fazer despertar os sentimentos e as emoções mais puras (que fazem ponderar e refletir) é responsabilida do artista jamais se esquivar do seu verdadeiro sentido. Os artistas recuperaram o Ministério da Cultura através de uma reivindicação popular ao Governo Federal. Por sua vez, o governo federal atendeu a...
Continue a Leitura »
Cinema

Hipócrates

HIPÓCRATES (Hippocrate: Diary of a French Doctor – França -2015) Nair Lúcia de Britto   Mesmo nas comédias, o cinema francês tem sempre a preocupação de abordar um tema sério que leve o espectador à reflexão. Este filme dirigido por Thomas Liltes tem cenas dramáticas comuns de acontecerem  num hospital; eu não o caracterizaria, portanto, como comédia. A história começa com a chegada de Benjamin (Vicent Lacoste) a um Hospital onde ele estréia como médico; por influência do pai dele (Jacques Gamblin), que é médico e diretor da ala onde o estagiário vai trabalhar. Sua primeira experiência na profissão o deixa abalado e sua autoconfiança comprometida. Mas ao conhecer Abdel (Reda Kaleb), médico residente, mais experiente, sente-se mais confortável....
Continue a Leitura »
Cinema

I can’t get no satisfaction

I  CAN´T  GET NO  SATISFACTION Nair Lúcia de Britto “I Cant’t Get No Satisfaction”, interpretada pelos The Rolling Stones, é a música que caracteriza o foco preponderante do filme; que,  além de ser uma deliciosa comédia romântica, tem um cunho filosófico e social. “Life or Something Like It” (Uma Vida em Sete Dias – EUA- 2002). O filme conta a história de Lanie, uma jornalista lindíssima (Angelina Jolie) muito bem-sucedida profissionalmente, mas leva uma vida muito superficial;  sempre preocupada em manter sua bela imagem e um tanto quanto presunçosa e convencida. O noivo dela é um esportista famoso e bonitão; mas que não lhe dá muita atenção. Ela está sempre entrando em atrito com seu colega de trabalho: um repórter fotográfico,  competente; cuja postura simples é o...
Continue a Leitura »
Cultura

Resenha do livro de Leandro Konder: O que é dialética

RESENHA DO LIVRO DE LEANDRO KONDER: O QUE É DIALÉTICA. SÃO PAULO: BRASILIENSE, 2008. Guilherme Leonardo Freitas Silva*   O livro inicialmente traz a origem da dialética com berço na Grécia antiga, onde era considerada a arte do diálogo. Mais tarde, ela passou a ser considerada na arte do diálogo como um meio de argumentação por meio de uma tese. Para Aristóteles, Zênon de Eleia (490-430 a.C.) foi o criador da dialética. Porém outros consideram que foi Sócrates (469-399 a.C) o primeiro fundador. Durante uma discussão sobre a filosofia, que na época estava sendo considerada inculta como atividade, Sócrates desafiou os generais Lachés e Nícias para definirem o que era bravura. Também desafiou o político Calichés para que definisse...
Continue a Leitura »