água

Dia da Água: como lidar com a falta do saneamento básico no Brasil?

    *Por Elias Oliveira   Avançamos muito pouco no quesito de saneamento e isso é grave, pois são inúmeros os danos que esse cenário pode trazer à população. De acordo com uma pesquisa realizada em 2015 pelo Instituto Trata Brasil, em parceria com a consultoria GO Associados, 50,3% dos brasileiros têm acesso à coleta de esgotos e, desse resultado, somente 42% dos esgotos são tratados. Diante desses números, é importante aproveitar o Dia Mundial da Água, celebrado em 22 de março, para debater a questão do saneamento básico. É que outro dado significativo apresentado nesse estudo também chama a atenção: em 24 capitais brasileiras, menos de 80% dos esgotos são tratados. Basta olhar para um dos grandes problemas...
Continue a Leitura »
debate ambeintal

Arquitetura sustentável: mais do que uma opção inteligente

por Fátima Souza “Se você tivesse um espaço para viver onde a água fosse captada da chuva, a energia viesse do sol e dos ventos e o alimento pudesse ser produzido dentro da própria casa, o que você faria com seu tempo?”, ​Michael Reynolds, arquiteto. ​ De tudo o que já ouvi Mike Reynolds dizer, talvez, a frase acima, seja a que produz um impacto mais profundo na minha maneira de pensar arquitetura e no modo como vivemos dentro do sistema capitalista. Acredito que nessa simples pergunta ele abordou tantas coisas que nos prendem e até nos escravizam, sem ao menos nos darmos conta. Dos boletos que se avolumam em nossa caixa de Correios, à obrigatoriedade do trabalho, do ganho de capital e a...
Continue a Leitura »
debate ambeintal

Resgatando o Cerrado da extinção

Rafael Loyola* O Brasil e o mundo se preocupam com o desmatamento da Amazônia e o país se comprometeu no Acordo de Paris sobre o clima em zerar o desmatamento ilegal até 2030. Mas, o Cerrado tem taxa de desmatamento 2,5 vezes maior que a Amazônia e pouco se fala sobre isso. Agora, o Governo começa a dar sinais de preocupação com a morte do Cerrado. O Cerrado alimenta grandes rios como o São Francisco, o Amazonas, o Paranaíba e o Araguaia e é conhecido como a caixa d’água do Brasil. A vegetação nativa que se forma ao longo dos rios cumpre papel fundamental na manutenção da qualidade da água, por evitar a erosão e a entrada de terra...
Continue a Leitura »
debate ambeintal

O civismo na lata do lixo

Ariovaldo Caodaglio* É preocupante e lamentável observar o resultado de levantamento realizado pelo Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana no Estado de São Paulo (Selur): em 2015, foram depredadas, quebradas ou queimadas mais de 36 mil lixeiras na capital paulista. O número representa 25% das 145 mil unidades instaladas na cidade no ano passado. As lixeiras, construídas e estrategicamente distribuídas pelos bairros para propiciar o descarte racional do lixo, são consumidas pelo vandalismo, mas também por bizarra diversão de algumas pessoas e em manifestações, que deveriam ser pacíficas nas democracias. E depredar o patrimônio público, principalmente equipamentos importantes para a qualidade da vida, é um típico ato de violência contra a sociedade. Aliás, é um crime previsto em lei,...
Continue a Leitura »
debate ambeintal

Projeto isenta de IPI equipamentos para indústria da reciclagem

Arquivo/ Renato Araújo Para Marco Tebaldi, a alíquota zero vai gerar emprego e renda no setor, além de contribuir para a educação ambiental. A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 5353/13, do deputado Marco Tebaldi (PSDB-SC), que isenta do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) os equipamentos e máquinas que otimizam o reaproveitamento e a reciclagem de madeiras, compensados, plásticos, papéis, metais, pneus, tambores, embalagens, materiais orgânicos, tecidos, CDs, automóveis e baterias, entre outros recursos que necessitam de tratamento final. “O objetivo é massificar a oferta desses equipamentos e máquinas, concedendo alíquota zero do IPI, para incentivar a indústria da reciclagem”, explica o autor. De acordo com a proposta, a isenção será reconhecida pelo Ministério da Fazenda aos...
Continue a Leitura »
Ciência e Tecnologia

Pesquisa da USP desenvolve material para substituir amianto

  Bruno Bocchini Repórter da Agência Brasil São Paulo – Pesquisadores da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) desenvolveram um novo material com as mesmas qualidades e o mesmo desempenho do amianto para a fabricação de telhas. O composto reúne quantidade reduzida de fibras sintéticas – que têm preço elevado no mercado – e foi baseado na estrutura de materiais naturais como o bambu. “Faz tempo que a indústria brasileira procura uma telha para substituir a de amianto. Fibras vegetais foram testadas, mas elas não têm durabilidade muito boa. As fibras sintéticas foram empregadas, mas com desempenho inferior às de amianto. Desenvolvemos algo que reduz o emprego de fibras sintéticas sem alterar o desempenho da telha”, disse...
Continue a Leitura »
administração municipal

Abertas as inscrições para a primeira Conferência de Meio Ambiente do Rio

Ampliação da coleta seletiva de lixo será o tema central do encontro, aberto a toda a sociedade civil A Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura do Rio de Janeiro abriu as inscrições para a I Conferência de Meio Ambiente da Cidade do Rio de Janeiro, através do site http://conferenciameioambienterio.com.br/site/ . Com foco voltado para a ampliação da coleta seletiva de lixo, com a inclusão social de catadores de materiais recicláveis, a Conferência tem por objetivo contribuir para a implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, debatendo prioritariamente a política de redução dos impactos das mudanças climáticas e o incentivo à produção e ao consumo sustentáveis. A primeira reunião do Comitê Organizador da Conferência, que reúne representantes do Poder Público,...
Continue a Leitura »

Meio ambiente: a história ambiental paulista

Debate Meio ambiente: a história ambiental paulista O Centro de Documentação e Memória (Cedem) da Unesp promove no dia 10 de junho, terça-feira às 18h, o debate sobre o livro: História ambiental paulista: temas, fontes, métodos (editora Senac, 304 páginas, 2007). O livro contém artigos de pesquisadores e ajuda a conhecer o passado para entender melhor as relações atuais de uso dos recursos naturais. Um conjunto de especialistas, análises técnicas sobre uma variedade de temas e os resultados de alguns dos mais recentes estudos das universidades paulistas sobre meio ambiente formam o seu conteúdo. Organizado por Paulo Henrique Martinez, coordenador do Laboratório de História e Meio Ambiente da Unesp em Assis (SP), o livro reúne doutores e doutorandos das...
Continue a Leitura »

Meio ambiente: a história ambiental paulista

Debate Meio ambiente: a história ambiental paulista O Centro de Documentação e Memória (Cedem) da Unesp promove no dia 10 de junho, terça-feira às 18h, o debate sobre o livro: História ambiental paulista: temas, fontes, métodos (editora Senac, 304 páginas, 2007). O livro contém artigos de pesquisadores e ajuda a conhecer o passado para entender melhor as relações atuais de uso dos recursos naturais. Um conjunto de especialistas, análises técnicas sobre uma variedade de temas e os resultados de alguns dos mais recentes estudos das universidades paulistas sobre meio ambiente formam o seu conteúdo. Organizado por Paulo Henrique Martinez, coordenador do Laboratório de História e Meio Ambiente da Unesp em Assis (SP), o livro reúne doutores e doutorandos das...
Continue a Leitura »