Educação

A sala de aula 2.0

Por Ewerson Matos, Diretor de Negócios, Epson do Brasil   Para a geração millenial, as telas são as interfaces do dia a dia. Eles estão acostumados desde muito cedo com a interatividade. É a forma como se engajam com novas informações: seguindo links, avaliando informações complementares, conhecendo através de imagens, gráficos, mapas. No entanto, para essa geração conectada, o quadro negro continua a ocupar uma posição central na sala de aula. Sem interação, essa forma de exposição de conteúdo dispersa a atenção dos estudantes. Com tecnologia e acessibilidade, a informação circula com grande agilidade e chama mais atenção de crianças e adolescentes quando apresentada de formas que comunicam na mesma linguagem de sua geração. O quadro negro foi uma inovação...
Continue a Leitura »

Os desafios da educação do século XXI

Spencer Kagan (*) A educação tem tentado resolver os problemas do século XXI utilizando conceitos do século XX. E isso simplesmente não funciona nem vai funcionar. O problema: o planejamento da aula. Como Einstein sugere, a solução é adotar uma nova consciência. A educação precisa de uma nova perspectiva, de um novo olhar,  de uma mudança de paradigma. À medida que entramos no novo milênio, uma série de fatores está convergindo para fazer o atual trabalho dos professores parecer impossível. Estamos preocupados somente com resultados. Um exemplo é a prova do IDEB.  Obter notas mais altas é uma visão estreita do processo educacional. Nós precisamos desenvolver os alunos em diferentes aspectos. Nossa força de trabalho tornou-se mais global e...
Continue a Leitura »
Educação

A sala de aula como espaço sócio histórico de aprendizagem: reflexões sobre o contexto escolar

Por Roberta Poltronieri Sociedade pós-moderna ou Sociedade contemporânea? Razão e capitalismo de mãos dadas, na história após a Revolução Francesa, assim a contemporaneidade iniciada no mundo ocidental e a consolidação do capitalismo, trouxe muitas reflexões e modelos de cidadãos, moldados pelo sistema econômico. Ao mesmo tempo o conceito de pós modernidade adveio com o esgotamento da razão na modernidade e a queda do muro de Berlim, prosseguiram a passos rápidos para a industrialização em massa, novas formas de exploração da mão de obra, consumo e a propaganda do progresso, que muitas nações aderiram em busca de se consolidar na era pós moderna, cultura, tecnologia, estética e a relativização da razão, permeiam alguns discursos em curso quando se fala sobre...
Continue a Leitura »
Educação

Por uma infância que dure a vida inteira

Criança tem que brincar todo dia. Mas férias é tempo de brincar ainda mais! Nesta época do ano as crianças não tem horário certo para acordar, nem lição de casa para fazer. Ou seja, é tempo de usar todo o tempo livre para brincar e se divertir. Tá certo que nem sempre é possível conciliar férias escolares com férias do trabalho, e esse período acaba sendo um “problema” para muitas famílias. Mas o que devemos ter em mente é que as férias sempre são muito esperadas pelas crianças e mesmo não estando de férias do trabalho, este momento é uma ótima oportunidade para se conectar novamente com aquela criança que habita (ou deveria habitar) o seu corpo. Que delícia...
Continue a Leitura »
Educação

A importância do Planejamento Escolar no início do ano letivo

Por Roberta Poltronieri As instituições escolares movimentam-se na tarefa educativa por meio de algumas formas. Ao começar o ano, muitos desafios e caminhos estão postos para o profissional da educação traçar durante todo o ano, a duração dos trimestres, novos alunos, materiais escolares, organização das aulas, entre outros fatores relevantes ao processo educacional dentro e fora da sala de aula. O processo de ensino e aprendizagem é a força geradora motriz do trabalho do professor, e muitas são as questões a serem pensadas, quando o sujeito professor entra em ação na sala de aula. Vasconcellos nos orienta que “ Planejar é um processo contínuo e dinâmico, de reflexão, tomada de decisão, colocação em prática e acompanhamento” De forma que...
Continue a Leitura »
Educação

Adaptação e readaptação na volta às aulas

* Por Edivoneide Andrade Muitas crianças, sejam elas marinheiras de primeira viagem ou veteranas, apresentam resistência em retornar à rotina escolar. Diante desse comportamento, os pais devem ter uma postura precisa para evitar possíveis traumas e transtornos futuros. O segredo é dialogar, pois quando há uma conversa franca entre pais e filhos, esta atitude evita problemas com os pequenos, principalmente com aqueles que estão ingressando, pela primeira vez, na escola e requerem uma atenção especial por parte dos seus genitores. Para os estreantes, a atenção deve ser redobrada, afinal, o primeiro dia de aula, muitas vezes, pode trazer resistência se não tiverem sido preparados para encarar um novo ambiente com pessoas totalmente desconhecidas. A insegurança toma conta dos pequeninos,...
Continue a Leitura »

Professor, conheça a ‘Sala de Aula Invertida’

Luciana Campos (*) Você já parou para pensar quantas aulas um professor pode dar em uma semana? E quantos alunos esse professor precisa atingir? Será que todos os alunos conseguem compreender o conteúdo e tirar suas dúvidas? Você, que já pisou tantas vezes em uma sala de aula, sabe que ¼ do tempo da aula é dedicado à burocracia, como diário de classe, agendas, informativos. O outro ¼ da aula é para acalmar a bagunça, colocar a sala em ordem e chamar a atenção dos alunos. Assim, resta apenas metade do tempo para que o professor exponha os conteúdos didáticos. Mas quanto tempo é direcionado para a interação com os alunos? Parece não haver espaço para compartilhar ideias, debater temas...
Continue a Leitura »
Educação

O que não estamos vendo no debate sobre a Escola sem partido

O QUE NÃO ESTAMOS VENDO NO DEBATE SOBRE A ESCOLA SEM PARTIDO  Por rabino Samy Pinto Nos últimos meses, um forte e acalorado debate envolvendo o projeto Escola Sem Partido vem ganhando destaque no meio educacional brasileiro. Apoiadores e críticos estão apresentando seus pontos, sobre o polêmico assunto, em diversas discussões que, pouco a pouco, perderam seu foco. E se perdeu devido a forma que a questão é tratada atualmente, que considera toda a problematização com uma visão política, e não científica, como deveria ser. Então, a conversa se transforma em um impasse, em que dois polos defendem suas posições. Mas qual seria esse o cerne da questão, que é exatamente o que importa para desenvolver uma discussão saudável?...
Continue a Leitura »
Ciência e Tecnologia

Relações de trabalho no circuito espacial da produção de papel reciclado

RELAÇÕES DE TRABALHO NO CIRCUITO ESPACIAL DA PRODUÇÃO DE PAPEL RECICLADO   Taís de Oliveira* Luis Felipe Carvalho**   INTRODUÇÃO            O presente trabalho analisa o circuito espacial produtivo de uma fabrica que produz papel reciclado inserida na cidade de Irati – PR. O termo papel é dado a uma folha composta por fibras vegetais, as quais foram desintegradas, refinadas e depuradas e tiveram ou não a adição de outros ingredientes, para se obter o produto final. Com a produção de bens o homem passa de uma existência meramente biológica a uma existência social, ou seja, passa a ter um meio de gerar lucro para sua vida.  Para produzir os homens não podem permanecer isolados, é preciso a...
Continue a Leitura »
Educação

Boas práticas em educação inovam o aprendizado da língua portuguesa

No universo virtual, onde as mensagens são instantâneas, escrever cartas à mão parece ser um hábito tão remoto e ultrapassado, que fica impossível pensar que a prática pode se tornar uma ferramenta para o aprendizado e aprimoramento do uso da língua portuguesa no ambiente escolar. Tudo começou como uma brincadeira e hoje o projeto “De carta em carta…encontrando caminhos” tem sido aplicado como metodologia de ensino em escolas do interior paulista. A iniciativa tem a assinatura de Meire Cristina Fiuza Canal, educadora e professora de português do Ensino Fundamental. A iniciativa foi reconhecida nacionalmente e apresentada no 4º Seminário Nacional Investigando Práticas em Sala de Aula, promovido pela Editora Positivo, em parceria com a Universidade de Lisboa, em Curitiba...
Continue a Leitura »
Educação

Compartilhar, um verbo que o MEC não conjuga

Rubens F. Passos* Neste início de novo governo, além das reformas estruturais (tributária, trabalhista, previdenciária e fiscal), é necessário consertar de imediato algumas questões pontuais que vinham prejudicando setores prioritários. Uma delas refere-se à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), em fase de debate e consultas públicas, e à reforma da estrutura do ensino, em discussão no Ministério da Educação e no Congresso. O primeiro problema é a demora nesse processo, considerando que a precariedade da educação pública é antiga e recorrente. Portanto, estamos muito atrasados na busca das soluções.          Entretanto, o viés mais grave dessa situação diz respeito ao distanciamento dos professores, coordenadores e diretores de escolas. Por mais que se façam audiências públicas e consultas, o Magistério, que conhece...
Continue a Leitura »
Educação

Educação para o trânsito: o Código de Trânsito e a Educação

EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO: O CÓDIGO DE TRÂNSITO E A EDUCAÇÃO EDUCATION FOR TRANSIT TRANSIT CODE AND EDUCATION Juliano Carlos de Morais   RESUMO – O presente artigo aborda a temática educação para o transito na sala de aula como uma ferramenta importante de conscientização e mudança de cultura nas ruas brasileiras, um trabalho diferenciado realizado por meios de recursos diversos como o lúdico, as artes e outros. Metodologicamente, realizou-se um estudo bibliográfico, onde foram examinadas as literaturas pertinentes à temática em foco, um estudo é um processo sistemático de construção do conhecimento que tem como metas principais gerar novos conhecimentos, e/ou corroborar ou refutar algum conhecimento pré-existente. É basicamente um processo de aprendizagem tanto do indivíduo que a...
Continue a Leitura »
Educação

Sem partido?

por Eduardo Paulo Berardi Junior   Escolas sem partido é um movimento que pretende que as escolas “ensinem com neutralidade”. Nos anos 60 o movimento hippie tinha como bandeira viver outsider, ou seja, fora da sociedade! A sociologia através de seus próceres, ensinou que não havia essa opção para humanos… uma vez que onde quer que o homem esteja, ali estará a sociedade. Logo, viver fora da sociedade é uma ilusão. Do mesmo modo negar-se a viver segundo as balizas da sociedade de consumo estando no Ocidente! Ainda que possa assumir uma posição crítica, tudo ao meu redor respira consumo. Querendo ou não, gostando ou não, participo dela. Quando alguém diz que é apolítico também se engana. Omitir-se em...
Continue a Leitura »
Educação

Homeschooling

Audry Lara Science Castello Branco* Que tal propiciar ao seu filho uma alternativa de ensino diferenciada, que privilegia a mobilidade geográfica dos pais; que flexibiliza os horários e rotina da criança; cujo o ensino é adaptado ao desenvolvimento particular da criança; que preserva os valores morais, culturais, religiosos e ideológicos da família e inibe o contato das crianças com alguns elementos do ambiente escolar, evitando diversas situações impróprias, como o bullying? Essas são algumas das motivações comuns que caracterizam a escolha do homeschooling. O conceito de homeschooling é caracterizado pela proposta de ensino doméstico ou domiciliar. Sua proposta vem de encontro à frequência das crianças numa instituição, seja ela escola pública, privada ou cooperativa. A modalidade é legalizada em vários países, como Estados Unidos,...
Continue a Leitura »
Educação

Facetas do Livro Didático

Eugenio Maria de França Ramos e Bernadete Benetti  Alguns objetos parecem presença óbvia na sala de aula: lousa, carteiras, lápis e … livros. Essas obviedades não precisariam estar ali, uma vez que o ensino e a aprendizagem acontecem sem essas facilidades. Ocasionalmente o Livro Didático vira protagonista, como no mundo mágico de Harry Potter, onde J. K. Rowling cria um livro sobre “monstros” que é um monstro em si, capaz de atacar o protagonista … Rowling valoriza livros, colocando-os em diversas ocasiões como fonte de mistérios ou de desvendá-los. Diferentes “magias” do livro didático são exploradas em análises acadêmicas, como ser uma mercadoria (interesse monetário de editoras), ser objeto pesado (quando carregamos vários), ser registro de práticas escolares passadas...
Continue a Leitura »
Cidadania

Redução da maioridade penal e psicologia: reflexões iniciais

REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL E PSICOLOGIA: REFLEXÕES INICIAIS   Alessia Rodrigues Moura Ana Paula Farias Ferreira Anatália Daiane de Oliveira Resumo: Este artigo tem como objetivo refletir sobre a redução da maioridade penal a partir da Psicologia. Trata-se de uma revisão bibliográfica, utilizando como procedimento metodológico uma busca no SCIELO e no Google acadêmico, tendo como indexador a expressão “crianças e adolescente em conflito com a lei”. O interesse pela temática surgiu a partir das discussões ocorridas no âmbito da disciplina de Didática no curso de Psicologia da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR), ocorrida no primeiro semestre de 2015. A questão da redução da maioridade penal está fomentando uma polêmica discussão sobre a situação do adolescente, seus direitos,...
Continue a Leitura »
Educação

Base Nacional Comum: o caso da História

Daniel Medeiros* A consciência histórica, segundo o filósofo Jorn Rusen, articula, fundamentalmente, dois elementos: o passado, como experiência, e o presente e o futuro, como campos de ação orientados por este passado. O aprendizado da História tem como função ajudar a compreender a realidade passada para agir na realidade do presente. Por isso, a aprendizagem da História é um processo de digestão de experiências do tempo em forma de competências narrativas, entendendo-se “competência narrativa” como a habilidade para narrar uma história através da qual a vida prática recebe uma orientação no tempo. O que me parece importante ressaltar é que a consciência histórica não se resume a conhecer o passado. Ela oferece estruturas para que, por meio delas, o...
Continue a Leitura »
Educação

A Universidade Pública em Tempos de Crise

É preciso revalorizar o humanismo. É preciso revalorizar a Universidade. É preciso revalorizar a cultura! Sem organização, disciplina e determinação não se conquista uma consciência superior. Estas posturas vão em sentido oposto ao neoliberalismo, marcado pelo individualismo, superficialidade, imbecilidade e artificialidade, tal como vemos em nosso meio acadêmico...
Continue a Leitura »
Educação

Os primeiros dias da criança na escola: dicas de adaptação

Natália Cardenuto (*) Fevereiro já está quase chegando e, com ele, o inicio do ano letivo escolar. Alguns pais, por diversos motivos, precisam colocar os filhos em creches logo nos primeiros meses de idade. Outros optam por deixá-los com familiares ou babás. Certo é que, mais cedo ou mais tarde, chega o dia em que ingressam na escola. Quanto mais nova a criança, mais fácil e rápida será sua adaptação, pois os bebês menores não têm perfeita noção daquilo que os rodeia e conseguem se acostumar com mais facilidade a outras pessoas que não são de seu convívio. Ao contrário dos pais que, ao separarem-se dos filhos ainda bebês, passam por um processo doloroso de adaptação. Quando as crianças vão...
Continue a Leitura »
Educação

As diretrizes curriculares nacionais utilizadas como forma de fetiche da igualdade social

AS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS UTILIZADAS COMO FORMA DE FETICHE DA IGUALDADE SOCIAL. Vitória Duarte Wingert RESUMO O presente texto objetiva lançar algumas reflexões, sucintas sobre às questões referentes: Políticas de Ações Afirmativas, Democracia Racial e Fetichismo. Busca-se com isso, socializar esta questão cara aos diferentes segmentos sociais brasileiros que estão em voga em nossa atual situação social. Para tal, traz-se à Lei 10. 639/2003 como foco de discussão, buscando aproximar das discussões, historiográficas, realizadas desde meados de 1993 e que, desembocam hoje, nas discussões sobre os movimentos de Igualdade Racial por meio de Políticas Afirmativas. Por fim, levanta-se um questionamento reflexivo e crítico sobre esta questão e suas “raízes brasileiras” de outrora. PALAVRAS-CHAVES: Igualdade Racial, cultura afro, fetiche. ABSTRACT...
Continue a Leitura »