Trabalho

Judas, 30 moedas e a febre amarela

Por João Guilherme Vargas Netto Não me decidi nunca sobre o que achava pior, se a traição de Judas ou a baixa remuneração recebida por ele. Esta cogitação me vem à mente com o estardalhaço criado, no sábado passado, pela manchete principal da Folha. Segundo ela, um conjunto restrito de dirigentes sindicais e parlamentares negociava com o Governo o afrouxamento da luta sindical contra suas “deformas” em troca de beneplácitos inalcançáveis sobre os recursos à disposição dos sindicatos. Como acontece nestes casos, depois da denúncia e do escândalo, choveram explicações e desmentidos. Alguns mais inábeis do que espertos, procuraram explicar o inexplicável dizendo aos quatro ventos das redes sociais que negociaram sim, mas não a troca dos direitos dos trabalhadores...
Continue a Leitura »
Ciência e Tecnologia

Relações de trabalho no circuito espacial da produção de papel reciclado

RELAÇÕES DE TRABALHO NO CIRCUITO ESPACIAL DA PRODUÇÃO DE PAPEL RECICLADO   Taís de Oliveira* Luis Felipe Carvalho**   INTRODUÇÃO            O presente trabalho analisa o circuito espacial produtivo de uma fabrica que produz papel reciclado inserida na cidade de Irati – PR. O termo papel é dado a uma folha composta por fibras vegetais, as quais foram desintegradas, refinadas e depuradas e tiveram ou não a adição de outros ingredientes, para se obter o produto final. Com a produção de bens o homem passa de uma existência meramente biológica a uma existência social, ou seja, passa a ter um meio de gerar lucro para sua vida.  Para produzir os homens não podem permanecer isolados, é preciso a...
Continue a Leitura »
Trabalho

Acumulação de forças sem desperdício

João Guilherme Vargas Netto Todos devemos nos empenhar, com espírito unitário, para o sucesso da jornada de manifestações do dia 25 de novembro. Com a ênfase na resistência à quebra de direitos, a mobilização deve servir para a acumulação de forças, tão necessárias nas futuras batalhas. A jornada do dia 25 encerra um ciclo de iniciativas das cúpulas sindicais em que o estímulo predominante foi a busca da unidade de ação das centrais sindicais e do movimento dos trabalhadores. Essas iniciativas resultaram em uma sucessão de atos, paralisações, greves, assembleias e passeatas em que predominaram a preocupação unitária e o esforço de resistência, mas que acolheram também as manifestações político-sindicais dos setores que não aceitaram a legitimidade do novo...
Continue a Leitura »
Trabalho

A quinta coluna

João Guilherme Vargas Netto A expressão vem da Guerra Civil Espanhola quando quatro colunas em armas cercaram os republicanos em Madri e o general franquista que as comandava disse que contava também com uma quinta coluna, dentro de Madri. Era a coluna dos traidores. O movimento sindical dos trabalhadores sofre hoje, como Madri na Guerra Civil, o assédio de quatro poderosas colunas que o atacam. A primeira coluna é o patronato que, amparado na recessão, demite e corta salários. A segunda coluna é o poder executivo que pretende impor limites aos gastos públicos e sociais (incluindo a limitação do salário mínimo) e prepara uma feroz reforma da Previdência Pública. A terceira coluna se agrupa no Congresso Nacional onde proliferam...
Continue a Leitura »
Trabalho

Nem capitulação, nem aventura!

Um dos resultados da derrota sofrida pelos trabalhadores que amargam a recessão e uma investida sem precedentes contra seus direitos e conquistas, é o aparecimento e circulação de ideias e de práticas de resistência (mais ideias que práticas) que não contribuem para o esforço comum e que, pelo contrário, o desorientam. Refiro-me especialmente às comparações indevidas entre a dinâmica do movimento sindical e as dinâmicas de outros movimentos sociais, como o dos estudantes secundaristas em muitas escolas públicas. Como forma de protesto contra a PEC 241 (agora PEC 55 no Senado) e contra a medida provisória sobre o ensino médio, acontecem de maneira espontânea ocupações de escolas públicas, com grande concentração dos eventos no Paraná. Depois do êxito da...
Continue a Leitura »
Cidadania

Desaposentação, leis e a Torre de Babel

Desaposentação, leis e a Torre de Babel   Johnny Notariano notarian@usp.br A Torre de Babel foi uma tentativa de o homem descobrir os segredos de DEUS. Projetaram-na tão alta e depois sucumbiram aos infelizes propósitos. Após muitas tentativas tiveram a resposta que não esperavam. Céticos ou não DEUS existe, provou e prova a todo instante SUA existência. Confundiu o idioma de todos de maneira a não se entenderem e, com isso a TORRE DE BABEL foi simplesmente destruída. Entenda o Livre Arbítrio e nunca mais questionará a existência de DEUS. O que estamos vivendo hoje com tantas Leis; Advogados; Juízes e sentenças tem alguma diferença ou semelhança com a TORRE DE BABEL? A conclusão a que cheguei sobre as...
Continue a Leitura »
Em questão

Sai Avenida Paulista, entra Largo do Sapo

A poderosa manifestação unitária dos metalúrgicos prevista para a quinta-feira, 29 de setembro, tem uma característica comum com as manifestações do movimento sindical já realizadas recentemente e duas características próprias, diferentes delas. Em comum, a manifestação dos metalúrgicos carrega a marca forte da unidade de ação, já que foi convocada e está sendo organizada por todas as correntes sindicais do campo metalúrgico (feito inédito em toda a história sindical brasileira), unificadas na defesa dos direitos ameaçados e pela retomada do desenvolvimento. Embora seja unitária, a manifestação do dia 29 contemplará as posições político-sindicais de seus participantes e levará em conta, como é óbvio, a situação específica em cada base sindical: greve onde for possível, paralisações parciais e manifestações conjuntas...
Continue a Leitura »
Trabalho

O fundo do quadro

João Guilherme Vargas Netto Não se levando em conta os mirabolantes episódios da vida política e muito menos as desenxabidas campanhas eleitorais municipais, devemos concentrar nossa atenção no fundo do quadro, ou seja, na recessão e seus efeitos contra os trabalhadores e na resistência que eles, por meio do seu movimento sindical, oferecem a ela. Os dados são impressionantes. Com a retração da economia o desemprego se avoluma; a ele se associa o alto número de acordos salariais com resultados inferiores à inflação ou parcelados. Contaminando ainda mais o ambiente sofre-se um repique inflacionário. Nestas condições, o colchão social que vinha sendo o amortecedor da crise para os trabalhadores e suas famílias, se esgarça. As condições de sobrevivência à...
Continue a Leitura »
Trabalho

Amizade são gestos

João Guilherme Vargas Netto Considero que a grande tarefa estratégica atual do movimento dos trabalhadores é reconstruir passo a passo a unidade de ação das centrais sindicais com uma pauta de resistência e sem extravagâncias. Isso tem sido difícil devido à instabilidade do quadro político e aos ressentimentos e desconfianças que se exacerbaram com o impedimento presidencial. Mas, a forte recessão que agride os trabalhadores no emprego e nos salários e as propostas do governo interino que, obedecendo à sua equipe econômica, são também recessivas, vão fazendo que a unidade de ação que é necessária, seja também possível. E, como amizade são gestos, o caminho da unidade vem sendo trilhado por meio de gestos muitos significativos. Assinalo três deles,...
Continue a Leitura »
Trabalho

A unidade de ação deve ser reconstruída

João Guilherme Vargas Netto Enquanto perdurar o caráter transitório da atual cena política brasileira, com uma presidente afastada e um vice-presidente em exercício e a sucessão escandalosa de delações que tem sido para os brasileiros bestializados a oração cotidiana, reconheço ser muito difícil a expressão concreta e imediata da unidade de ação sindical. Por desconfiança, por ressentimento, por incompreensão e por oportunismo as direções sindicais resistem a adotar posicionamentos comuns, embora ocorram reuniões e conversas qualificadas que apontam a possibilidade e a necessidade de tal comportamento e balizam sua reconstrução gradativa. A unidade de ação deve ser reconstruída, mesmo neste período transitório e isto por duas razões principais. A primeira delas é a experiência unitária recente que produziu vitórias...
Continue a Leitura »
Trabalho

As lutas sindicais em 1983

João Guilherme Vargas Netto Em meu último artigo chamei a atenção dos dirigentes sindicais para a nossa experiência de luta no ano de 1983. Ainda inteirava a ditadura militar, mas o governo Figueiredo já dava mostras de esgotamento. Os trabalhadores, submetidos a uma severa recessão, sofriam também com a divisão das direções sindicais que se prolongava desde que a nova Conclat (prevista pela Conclat da Praia Grande de 1981) não pôde ser realizada em 1982. Em 25 de janeiro de 1983, o governo enviou ao Congresso Nacional (durante o recesso) o decreto-lei 2012 que arrochava ainda mais os salários, já arrochados pela lei salarial então vigente. Quando o Congresso retomou os trabalhos legislativos, o PMDB (maior partido da oposição)...
Continue a Leitura »
Coaching

Como o trabalho voluntário pode influenciar na carreira?

Por Daniela do Lago Muito úteis especialmente para quem está em início de carreira, os trabalhos voluntários têm se tornado cada vez mais valorizados dentro das empresas. Ao inclui-los no currículo, o profissional mostra que investe parte do seu tempo em outras pessoas e possui algumas qualidades fundamentais em qualquer ambiente corporativo, como facilidade de relacionamento interpessoal, iniciativa, capacidade de trabalho em grupo e uma visão holística dos problemas da sociedade. Que companhia não gostaria de contar com alguém assim? Utilizado como critério de seleção, o voluntariado expõe ao recrutador que o candidato consegue lidar com realidades diferentes da sua, como reage e o que consegue aprender em diversas situações. Já no que se refere à tão requisitada proatividade,...
Continue a Leitura »
economia

Possível, necessária e permanente

João Guilherme Vargas Netto Os trabalhadores brasileiros continuam apreensivos sobre a situação nacional. Apreensivos, mas não passivos. Em inúmeras campanhas salariais têm conseguido reajustes que garantem o poder de compra dos salários e em algumas delas conquistaram aumentos reais. Vários sindicatos têm enfrentado a onda de demissões e resistem ao desemprego com mobilizações e greves.   Os trabalhadores brasileiros continuam apreensivos sobre a situação nacional. Apreensivos, mas não passivos. Em inúmeras campanhas salariais têm conseguido reajustes que garantem o poder de compra dos salários e em algumas delas conquistaram aumentos reais. Vários sindicatos têm enfrentado a onda de demissões e resistem ao desemprego com mobilizações e greves. As direções sindicais têm se manifestado contra as pretendidas reformas previdenciária e...
Continue a Leitura »
Sindical

O colchão social

Por João Guilherme Vargas Netto Alguns otimistas mal intencionados garantem que a recessão ficou para trás e que de agora em diante a economia vai melhorar. Fiapos de dados estatísticos são convocados para sustentar tal tese, mas ela não deixa de ser o que é, uma piedosa, hipócrita e confusa intenção. Os tempos serão duros e a realidade do desemprego dramática. Na sexta-feira, dia 27, o jornal O Globo publicou o mapa do desemprego, produzido por seu Núcleo de Dados, em matéria assinada por Fábio Vasconcelos e ilustrada com mapa do Brasil sarapintado com o retrato dos municípios conforme criavam vagas em 2014 e passaram a perdê-las em 2015, perderam vagas em 2014 e 2015, perderam vagas em 2015 e...
Continue a Leitura »
Trabalho

Economias de aglomeração podem ampliar desigualdade espacial

Letícia Paiva, da Assessoria de Comunicação da FEA Um dos principais fatores que determinam como a renda se altera é o mercado de trabalho. Partindo desse pressuposto, a pesquisadora do programa de pós-graduação em economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP, Ana Barufi, procurou entender, em sua tese de doutorado, como o mercado de trabalho se relaciona com o desenvolvimento local. Barufi estudou de que maneira o tamanho da cidade afeta a produtividade local, e a relação do mercado de trabalho nos municípios, considerando as dinâmicas entre cidades maiores e menores. O estudo apontou que as economias de aglomeração geram incentivos para ampliar a desigualdade espacial. Na primeira parte da pesquisa, foram analisados quais setores...
Continue a Leitura »

UFSCar recebe inscrições para o ingresso nos cursos de graduação presenciais em 2014

Os interessados devem acessar o site do Sistema de Seleção Unificada entre os dias 6 e 10 de janeiro   Entre os dias 6 e 10 de janeiro, a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) recebe inscrições para o preenchimento de 2.703 vagas nos cursos de graduação presenciais para ingresso em 2014. Os interessados devem acessar o site do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), http://sisu.mec.gov.br, coordenado pelo Ministério da Educação (MEC). Ao se inscrever no SiSU, o estudante pode escolher duas opções de vaga – 1ª e 2ª opção – que podem ser, inclusive, para a mesma Universidade. Para cada uma das opções, o estudante deverá indicar a modalidade de concorrência, de acordo com o estabelecido pela Lei 12.711/2012,...
Continue a Leitura »

CNI lança projeto para melhorar qualificação de trabalhadores

Yara Aquino Repórter da Agência Brasil Brasília –  A falta de qualificação no mercado de trabalho é uma preocupação do setor industrial. Entre os trabalhadores que estão empregados na indústria, 5,6 milhões não têm o ensino médio, de acordo com dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Na busca de ampliar a capacitação, a CNI lançou, no dia 30/10, o projeto Educação para o Mundo de Trabalho. O projeto tem a meta de qualificar quem está prestes a ingressar no mercado de trabalho, como os jovens do ensino médio, os trabalhadores da indústria e também pessoas entre 18 e 24 anos que não estudam e não trabalham. Entre as ações estão a de disseminar informações para a orientação profissional...
Continue a Leitura »
Cidadania

Vale espiona líderes e se infiltra em movimentos sociais, diz ex-funcionário

Elina Rodrigues Pozzebom Vale espionou funcionários e líderes sindiciais, denunciou André Almeida Espionagem de jornalistas, funcionários e lideranças de organizações sociais; infiltração de pessoas em movimentos sociais e sindicais para obter informações privilegiadas e que contaram até mesmo com o auxílio de agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para treinamento;  e pagamento de propina a agentes públicos. Estas foram algumas das acusações feitas pelo ex-funcionário André Almeida à mineradora Vale S.A, durante audiência pública da Comissão de Direitos Humanos (CDH) realizada nesta quinta-feira (24). Para André, que afirma ter trabalhado na área de segurança da empresa e vivenciado as práticas citadas, mesmo antes de ser privatizada a Vale já monitorava quem a interessasse, mas o método foi intensificado...
Continue a Leitura »
Cidadania

Brasil recebe prêmio internacional por Bolsa Família

O governo brasileiro recebeu prêmio internacional por causa do programa Bolsa Família. A Associação Internacional de Seguridade Social (ISSA) anunciou ontem, 15 de outubro, na Suíça, o país como vencedor do I Prêmio Award for Outstanding Achievement in Social Security em reconhecimento ao sucesso do Bolsa Família no combate à pobreza e na promoção dos direitos sociais da população mais vulnerável do Brasil.   A ISSA é a principal organização internacional voltada à promoção e ao desenvolvimento da seguridade social no mundo, atuando na produção de conhecimento sobre o tema e no apoio aos países para a constituição e aprimoramento de seus sistemas de proteção social. Fundada em 1927, a organização tem filiadas 330 organizações em 157 países.  ...
Continue a Leitura »

Roseli Figaro, pesquisadora da USP, discute situação do jornalismo atual

Ciclo de Debates em Comunicação, promovido pela Câmara Municipal de São Paulo traz Roseli Fígaro; professora da ECA-USP apresentará nesta quinta (17/10), às 15h, estudo feito com mais de 500 jornalistas A professora Roseli Fígaro, do Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação da ECA-USP, é a convidada do Ciclo de Debates em Comunicação. A iniciativa, que é promovida mensalmente pela Câmara Municipal de São Paulo, ocorre nesta quinta-feira (17/10), às 15 horas. Doutora em Ciências da Comunicação, com pós-doutorado na Universidade de Provence (França), ela é fundadora do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho da ECA, onde coordena grupos de trabalhos nessa área. Fígaro é organizadora do livro “As Mudanças no Mundo do Trabalho do Jornalista”.  A...
Continue a Leitura »
12