Cultura

Um amor suspenso

O quadro é idílico, uma imagem quase lírica de um amor casto entre dois jovens inexperientes. Seria assim se essa imagem não fosse retirada do livro “Na praia” (em inglês, On Chesil Beach), do escritor inglês Ian McEwan – também conhecido nos meios literários como “Ian Macabro”. Se alguém já teve a oportunidade de ler algum de seus livros a essa altura deve estar suspeitando de que existe algo mais por debaixo dessa cena aparentemente romântica, quase poética. E a suspeita, é claro, acaba se confirmando....
Continue a Leitura »
Crônicas

Eletricidade e solidão

Margarete Hülsendeger É impossível ser feliz sozinho. Tom Jobim Ontem, se alguém me perguntasse, “Você tem medo da solidão?”, eu responderia sem pestanejar, “Não!”. Hoje, já não sei se a minha resposta seria a mesma. Motivo? O resultado de uma pesquisa realizada na Universidade da Virginia nos Estados Unidos. Pesquisadores colocaram voluntários sozinhos em salas completamente isoladas. Nenhum tipo de aparelho (celular, tablet ou notebook) foi permitido. As pessoas deveriam permanecer 15 minutos tendo como única companhia os seus pensamentos. Apenas um estímulo foi autorizado: apertar um botão que produziria um choque elétrico. A essa altura você deve estar pensando, “Que experiência boba! O quão difícil pode ser ficar 15 minutos completamente sozinho? Eu, com certeza, conseguiria”. Bem, informo...
Continue a Leitura »
Crônicas

Os excessos do amor

Margarete Hülsendeger Todos vós, que amais o trabalho desenfreado (…), o vosso labor é maldição e desejo de esquecerdes quem sois. Friedrich Nietzsche Já dizia o poeta, “Tão bom morrer de amor! e continuar vivendo…”. Como tema de um poema essa ideia parece perfeita, mas amar com loucura não é uma prática das mais saudáveis. E não importa qual o objeto desse amor. Se não se consegue estabelecer alguns limites corre-se o risco de esquecer ou deixar de lado outras partes, igualmente importantes, da vida. Logo, em termos românticos, esse ideal de dedicar-se 24 horas do dia ao que se ama parece maravilhoso; no entanto, em geral, sentimentos desse tipo, independente do que os poetas possam dizer, acabam se...
Continue a Leitura »
Crônicas

Bonitinho, mas…

Margarete Hülsendeger A beleza interessa nos primeiros quinze dias; e morre, em seguida, num insuportável tédio visual. Nelson Rodrigues Há algum tempo um amigo me encaminhou uma notícia – publicada no jornal espanhol El País – acreditando que ela talvez pudesse me interessar. A matéria, mesmo curta, tratava de um assunto que, na minha opinião, era um pouco assustador. Estou me referindo a uma nova “moda” chamada Bikini Bridge. Se você ainda não sabe o que essa expressão significa aqui vai um breve esclarecimento. Bikini Bridge (em português “ponte de biquíni”) iniciou como uma brincadeira quando entusiastas dessa “nova moda” começaram a compartilhar fotos nas redes sociais. Essa expressão se refere a como o biquíni fica apoiado apenas nos...
Continue a Leitura »
Crônicas

Guerra dos Sexos

Margarete Hülsendeger Talvez os sexos tenham mais afinidades do que se considera, e a grande renovação do mundo talvez venha a consistir no fato de que o homem e a mulher, libertados de todos os sentimentos equivocados e de todas as contrariedades, não se procurarão mais como adversários, mas como irmãos e vizinhos, unindo-se como seres humanos, para simplesmente suportar juntos, com seriedade e paciência, a difícil sexualidade que foi atribuída a eles. Rainer Maria Rilke (Cartas a um jovem poeta) O título, mesmo lembrando nome de novela, expressa um fato conhecido: homens e mulheres são diferentes. E quando digo diferentes estou me referindo a cérebros. Homens e mulheres são diferentes porque têm cérebros diferentes. E se alguém está...
Continue a Leitura »
Crônicas

Encruzilhadas

Margarete Hülsendeger Nas decisões importantes da vida pessoal, devemos ser governados, penso eu, pelas profundas necessidades íntimas da nossa natureza. Sigmund Freud Ninguém pode dizer que nunca enfrentou pelo menos uma. Até hoje não sei se a vida está cheia delas ou se elas estão cheias de vida. O que sei é simples: elas existem e estão sempre nos colocando a prova. Sim, senhores e senhoras, as encruzilhadas são espaços pelos quais todos nós um dia teremos de passar. E quando me refiro a encruzilhadas, estou falando daqueles momentos de grandes decisões, nos quais temos de escolher, por exemplo, entre ficar ou partir. Momentos de transformação e até de reinvenção que podem nos fazer mergulhar em um mar de...
Continue a Leitura »
Crônicas

O caso das estátuas

O CASO DAS ESTÁTUAS Margarete Hülsendeger Há esperanças, só não para nós. Franz Kafka Morro, mas não vejo tudo! Têm coisas que parecem ter saído diretamente de um conto do Kafka. Um belo dia, funcionários da prefeitura de uma cidade do interior – me reservo o direito de preservar o nome do local – receberam uma encomenda inusitada. Tratava-se de três estátuas: uma zebra, um elefante e a imagem, em tamanho natural, do deus do vinho. Esses “monumentos”, quando chegaram na tal cidade, foram descarregadas no pátio da Secretaria de Viação e Obras Públicas e, como mais tarde foi averiguado, custaram aos cofres públicos a bagatela de 24 mil reais. Segundo o que se pôde até o momento apurar,...
Continue a Leitura »
Crônicas

Lembrar? Para quê?

    Margarete Hülsendeger     Fisicamente, habitamos um espaço, mas, sentimentalmente, somos habitados por uma memória. Jose Saramago         Nos anos 60 havia um seriado de ficção científica (Star Trek) que costumava iniciar com a seguinte frase: “Espaço, a fronteira final…”. O objetivo era mostrar que apenas fora do nosso planeta encontraríamos aventuras e desafios dignos de serem vividos. Hoje, 50 anos depois, sabemos que ainda há muito a ser explorado e descoberto aqui mesmo no “nosso quintal”. E uma dessas regiões inexploradas encontra-se bem perto de nós; mais especificamente, dentro da nossa cabeça. Estou me referindo ao cérebro. Ele já foi pesado, medido e suas diferentes regiões mapeadas, mas saber, realmente, como é o...
Continue a Leitura »

Looping

Margarete Hülsendeger   Se eu fosse acreditar mesmo em tudo o que penso, ficaria louco. Mario Quintana  estão ocorrendo com uma frequência fora do normal e eles não têm um motivo racional para existir é preciso procurar ajuda. Se ela virá de um comprimido ou do treinamento em alguma técnica de meditação, não interessa. O importante, o necessário, é interromper a trajetória ascendente que leva ao medo e a ansiedade, procurando buscar o equilíbrio emocional perdido. Afinal, como diz Lady Macbeth, no fim desse terceiro ato, “Coisas pérfidas, depois de paridas, só fazem crescer, cada vez mais fortes, alimentadas pelo mal”. E quem vai discordar de Shakespeare? Eu não! Looping (ação de fazer loops) corresponde aos pontos mais...
Continue a Leitura »

Mix de sentimentos

MIX DE SENTIMENTOS Margarete Hülsendeger A violência destrói o que ela pretende defender: a dignidade da vida, a liberdade do ser humano. João Paulo II Quando o telefone tocou, levei poucos segundos para reconhecer a voz. Era uma amiga muita querida que é, como eu, professora. Estava ligando para contar que tinha sido assaltada na frente da casa da mãe, quando eram apenas 12 horas da manhã. O bandido levou o carro, o notebook, provas corrigidas e os cadernos da escola. No primeiro momento não disse nada. Quando, finalmente, superei o susto, minha principal preocupação foi saber se ela estava bem, se o assaltante não a tinha ferido. Graças a Deus, não houve qualquer tipo de agressão física, no...
Continue a Leitura »
Crônicas

Síndrome do coração partido

SÍNDROME DO CORAÇÃO PARTIDO Margarete Hülsendeger Se tens um coração de ferro, bom proveito. O meu, fizeram-no de carne, e sangra todo dia. José Saramago   Quem acha que sofrer por ter perdido um amor é coisa dos românticos do século XIX está muito enganado. Uma pesquisa americana revelou que o fim de um romance ou a morte de alguém que amamos pode desencadear os sintomas de um ataque cardíaco. Esse estudo também indicou que as mulheres são as mais afetadas por esse tipo de trauma, em média nove vezes mais que os homens. Os pesquisadores não sabem explicar por que o organismo feminino é mais vulnerável. Especula-se, no entanto, que pode ser algo relacionado com os hormônios do...
Continue a Leitura »