spacer

ISSN 1678-8419         última atualização em: quinta-feira, 06 de setembro de 2012 19:54:52                                               
Ambientais Agenda Colunistas Reportagens Terceiro Setor blog principal Normas Cultura Crônicas Poesias e Contos Sócio Ambiental Turismo Terceira Idade Educação
 
  Principal
 Cultura
 Crônicas
 Editorial
 Educação
 Em Questão
 Em Rhede
 Entrevistas
 Política e Cidadania
 Reportagens
 Notícias
 Outras edições
 Poesia e Contos
 Reflexão
 Expediente
 Sócio Ambiental
 Terceira Idade
 Terceiro Setor
 Turismo
   Participe
 Cartas
 Blog
 Fale Conosco
 Institucional
   Especiais
 Igrejas
 Meio Ambiente
 SP 450 anos
   Blogs
 Artes e Artesanato
 Colunistas
 Econotas
 Humor
 Memória Sindical
 Mirim
 Assédio Moral
 Vitrine do Giba
 Nosso Dáimon
 O Grito do Ipiranga
 Mirim
 Feiras e Mercados
 Em RHede
 Econotas
 Ambientais
 Esportes
 Agenda
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
TERCEIRO SETOR

 

 

Terceiro setor: primordial para o País
Fabio Rocha doAmaral

DISSEMINANDO CONHECIMENTOS para a comunidade

Fundação Dorina Nowill para Cegos oferece cursos e palestras na área de deficiência visual

Uma das dificuldades da pessoa com deficiência visual é que as pessoas a sua volta não conhecem os recursos disponíveis para o aprendizado e as possibilidades de inclusão das pessoas cegas e com baixa visão.

Para aproximar o tema da deficiência visual dos mais diversos públicos da comunidade a Fundação Dorina Nowill para Cegos desenvolveu um calendário de cursos e palestras, que iniciam neste mês de julho, voltados a disseminação de conhecimentos para professores, profissionais e estudantes da área de educação e saúde, familiares e demais interessados. Serão abordados aspectos como inclusão, recursos pedagógicos, orientação e mobilidade, entre outros temas, criando assim uma ampla reflexão sobre a deficiência visual.

Entre as opções de cursos estão: de 18 a 22 de julho, “Braille para educadores - apoio essencial em sala de aula”; e de 25 a 29 de julho os cursos, “A inclusão da criança com baixa visão na escola”, e “Orientação e mobilidade: seu aluno mais independente na escola”.

O último Censo Escolar divulgado pelo Ministério da Educação aponta que de 2000 a 2009 dobrou o número de alunos com deficiência em salas de aula no ensino fundamental. No período citado, o número subiu de 221.652 para 463.856. A mesma estatística indica que a grande maioria é de estudantes com baixa visão, enquanto os alunos com cegueira total aparecem em quinto lugar, depois dos que têm deficiência auditiva e deficiência física.

Os dados mostram também o importante crescimento percentual dos estudantes deficientes que estão em salas de aulas regulares, que representam hoje 47% do total, enquanto no início do século apenas 30% dos estudantes com deficiência estudavam nas mesmas salas que as crianças não deficientes.

 

 

Serviço

Cursos sobre deficiência visual

Local: Auditório da Fundação Dorina Nowill para Cegos

Rua Dr. Diogo de Faria, 558 – Vila Clementino - São Paulo – SP

BRAILLE PARA EDUCADORES - APOIO ESSENCIAL EM SALA DE AULA

18 a 22 de julho de 2011 - das 9h às 13h

CARGA HORÁRIA: 20 HORAS

OBJETIVO GERAL

Oferecer noções básicas do Sistema Braille enquanto técnica de leitura e escrita para acompanhamento e apoio do aluno com deficiência visual na sala de aula.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Breve histórico do Sistema Braille

Grafia Braille

O Código Braille na matemática – sinais básicos

O uso da reglete, punção e máquina de datilografia Braille

Tecnologia e Braille

A INCLUSÃO DA CRIANÇA COM BAIXA VISÂO NA ESCOLA

De 25 a 29 de julho de 2011 das 9h às 13h

CARGA HORÁRIA: 20 HORAS

OBJETIVO GERAL

Proporcionar aos professores e profissionais da área, conhecimentos sobre a baixa visão e os recursos que possibilitam a inclusão da criança com deficiência visual no sistema educacional.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Anatomia e fisiologia ocular

Funções visuais / Desenvolvimento da visão

Conceito de Baixa Visão

Principais patologias e prevenção da deficiência visual

Adaptações ambientais e recursos ópticos

Estimulação da baixa visão: na família e na escola

Recursos pedagógicos / Adaptação e elaboração de materiais

Recursos tecnológicos para baixa visão

Aspectos Psicológicos da Baixa Visão

ORIENTAÇÃO E MOBILIDADE: SEU ALUNO MAIS INDEPENDENTE NA ESCOLA

De 25 a 29 de julho de 2011 das 14h às 18h

CARGA HORÁRIA: 20 HORAS

OBJETIVO GERAL

Oferecer conhecimentos básicos sobre os aspectos técnicos da orientação e mobilidade das pessoas com deficiência visual

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

- Histórico da orientação e mobilidade

- Conceitos básicos

- Especificidades da deficiência visual nas diferentes faixas etárias

- Noções básicas das técnicas específicas

- Vivências práticas

Investimento por curso: R$ 350,00

Os participantes receberão certificado e apostila exclusiva do curso.

Inscrições até 13/07/2011 pelo e-mail cursos@fundacaodorina.org.br

Forma de pagamento:

Depósito Identificado com CPF

Banco Bradesco

Ag. 0548-7

C/C 105.122-9

Fundação Dorina Nowill para Cegos

CNPJ: 60.507.100/0001-30

 

Maioria dos asilos do país é sustentada com recursos privados

24/05/2011 - 18h43

Flávia Villela
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro - Os asilos brasileiros, ou instituições de longa permanência para idosos (Ilpi), vivem principalmente de contribuições dos residentes ou dos parentes, mesmo as filantrópicas que recebem financiamento público.

De acordo com pesquisa divulgada hoje (24) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 65% dos asilos do país são filantrópicos e aproximadamente 57% de suas receitas são oriundas de contribuição particular. O financiamento público - federal, estadual ou municipal – é em torno de 20%. O custo médio de um idoso mensal num asilo, segundo o estudo é de cerca de R$ 750.

O governo federal administra apenas um asilo em todo país, localizado no Rio de Janeiro. A instituição Cristo Redentor atende 298 idosos.

Para a coordenadora da pesquisa, Ana Amélia Camarano, a presença do Estado é fundamental para atender aos mais de 3 milhões de idosos no país, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad).

“O governo precisa investir nessa área, não só em asilos, mas também em cuidado domiciliar formal, beneficio monetário para o cuidador familiar, inclusão do cuidador familiar no sistema de seguridade social, centros dias, hospitais dias, ou seja, uma rede de cuidados para a população idosa”, disse a pesquisadora.

 

Edição: Aécio Amado

 

Campanha Carinho de Verdade

A Campanha Carinho de Verdade - Um gesto contra a exploração sexual de crianças e adolescentes - Abrace essa causa, envia a você uma entrevista realizada com Joacy Pinheiro, Coordenador Nacional do Disque100

Na entrevista, o coordenador fala sobre este canal de comunicação que tem contribuído para o aumento de denúncias no Brasil.

Entrevista com Joacy Pinheiro – Coordenador Nacional do Disque100

 

Entrevista com Fátima Leal - Secretária geral do Violes, Grupo de Pesquisa sobre Tráfico de Pessoas, Violência e Exploração Sexual de Mulheres, Crianças e Adolescente da Universidade de Brasília

 

Entrevista com Leila Paiva - Coordenadora do Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

 

Entrevista com Karina Figueiredo, Secretária Executiva do Comitê Nacional de Enfrentamento contra a Violência Sexual de Crianças Adolescentes

Entrevista com Thaís Dumet Faria – Coordenadora Nacional do Projeto de Combate ao Tráfico de Pessoas da Organização Internacional do Trabalho.

 

 
  

spacer
::artigos::
::correspondências::

Fale com o editor clicando aqui.

::pautas: enviar e-mail para pauta@partes.com.br::
Fone 11 - 3455-9296
 
   ::participe::
 Cartas
 Blog
 Fale Conosco
 
 

::outros textos::

 

 

 

 

 

::apoiadores::






© copyright Revista P@rtes 2000-2011
Editor: Gilberto da Silva (Mtb 16.278)
São Paulo - Brasil
spacer