Por José Pedreira da Cruz

 

“Já não vale mais a pena

Já não posso esconder

Já lutei tanto na vida

Já é hora de lhes dizer

Já cantei em serenatas

Já me banhei com o luar

Já andei de pés descalços

Já amei só por amar

Já tomei banhos de chuva

Já confundi sentimentos

Já ouvi vários conselhos

Já tive arrependimentos

Já chorei de solidão

Já jurei não mais chorar

Já voltei arrependido

Já jurei não mais jurar

Já senti frio nas noites

Já me vi só na multidão

Já perdi noites insone

Já chorei de emoção

Já tive medo do escuro

Já quase morri de dor

Já fiquei envergonhado

Já sofri por meu amor

Já chorei de alegria

Já roubei flores do jardim

Já acreditei nos outros

Já não acreditei em mim

Já desconfiei de todos

Já me senti um incapaz

Já chutei pedras na vida

Já consegui minha paz

Já dei bastante conselhos

Já, de outros, os recebi

Já embalei filhos ao colo

Já sei o quanto sofri

Já disse muito “te amo”

Já não soube desculpar

Já posso ver os meus erros

Já consigo me perdoar”

 

 

José Pedreira da Cruz (Tico). Nasceu dia 5 de janeiro de 1948 em Sátiro Dias- Bahia. Mora na cidade de São Paulo onde é atualmente Secretário de Escola da Secretaria de Estado da Educação.
Nas horas vagas dedica-se a ler e escrever Contos, Crônicas e Cordel.
Possui vários textos publicados em sites de literatura, onde alguns deles já foram expostos como Destaques Semanais nos seguintes portais: www.temploxv.pro.br, www.cronistasreunidos.com.br e ww.eptv.globo.com/caipira. É colaborar do jornal Gazeta Voz Ativa de Sátiro Dias-BA, e tem participação no livro “Arrail do Junco: crônica de sua existência” de Ronaldo Torres.
Casado com Marly Mendes há 33 anos. Tem quatro filhos e três netas – www.ticocruz.hpg.com.br
ticocruz@bol.com.br

Post Author: partes