A INFLUÊNCIA DE CRISTO

LANÇAMENTO MOSTRA A INFLUÊNCIA DE CRISTO NA FILOSOFIA DO SÉCULO PASSADO

Não é necessário afirmar o que todos já sabem: Jesus Cristo, ao dividir a história e marcar profundamente os passos da humanidade, influenciou a história da Filosofia e de vários pensadores posteriores a ele. Cristo na Filosofia Contemporânea – Vol. II: O Séc. XX é a continuação do valioso estudo organizado pelo professor italiano Silvano Zucal e chega às livrarias de todo Brasil.
No primeiro livro Cristo na Filosofia Contemporânea – Vol. I: de Kant a Nietzsche, o organizador reuniu, como o próprio título afirma, ensaios a respeito dos protagonistas do pensamento humano do século XIX e a influência da menagem cristã na filosofia de cada autor.
Nesse segundo volume é traçada, ao longo dos trinta e sete capítulos, uma topografia exata e completa, a qual, graças aos ensaios e ao precioso complemento antológico, introduz o leitor na galáxia cristológica do século passado.
Tem-se, assim, a cristologia fenomenológica (Husserl, Scheler e, em parte, Edith Stein), a cristologia dialógica (Buber, Ebner, Guardini, Rosenzweig, Marcel, Mounier, Levinas), a cristologia vitalista (Bergson, Blondel, Henry), a cristologia existencial (Unamuno, Haecker, Jaspers, Sartre), a cristologia lingüístico-hermenêutica (Wiener Kreis – “Círculo de Viena” -, Gadamer, Ricoeur), a cristologia neomarxista (Garaudy, Bloch, Sölle, Machovec, Lochmann) e a de Frankfurt (Horkheimer, Adorno), a neotomista (Jacques Maritain)… a cristologia dos grandes clássicos do século XX, como Martin Heidegger e Ludwig Wittgenstein. Enfim, a cristologia que abrange e intermedeia orientações religiosas diferentes: cristã, hebraica, agnóstica ou atéia.
Ao contrário do primeiro volume, este traz os pensadores em seqüência cronológica e não colocou subtítulo melhor do que aquele, aparentemente banal e meramente indicativo, que alude ao próprio século como protagonista. Porém, segundo Silvano Zucal, quem lê sua obra pode encontrar uma bússula, ao menos parcial, mas não um pensador que marcasse a decolagem da problemática cristológica, influenciando todo arco de tempo do século XX e outro que o encerrasse.
Essa bússula é, segundo ele, o paradoxal silêncio cristológico de Martin Heidegger e de Emmanuel Levinas. “Não são dois silêncios totais, porque de suas filosofias emerge algum fragmento cristológico,mas são silêncios surpreendentes”, afirma Zucal no prefácio.
Cristo na Filosofia Contemporânea – Vol. II: O Séc. XX pode parecer, a princípio, uma obra apenas para docentes ou para estudiosos mais familiarizados ao assunto. Além do uso didático, o livro facilita a reflexão de quem deseja investigar em profundidade as relações entre o pensamento filosófico dos últimos tempos e o mistério que sempre rondou a figura de Cristo, que não cessa de surpreender até mesmo a quem se declara ateu.

Silvano Zucal nasceu em Romeno (Trento), Itália, em 1956. Atualmente, ensina Filosofia Moral na Universidade de Trento.

Serviço
Cristo na filosofia contemporânea – Vol. II: O Séc. XX

Autor: Silvano Zucal
Formato: 16 x 23 cm; 928 páginas; R$ 139,00
Áreas de interesse: Filosofia, Cristologia, Teologia.
Público-alvo: professores, estudantes e interessados no assunto.
À venda nas principais livrarias do país ou pelo site www.paulus.com.br

Informações
Ricardo Aretini (11) 5087-3742 – assessor.imprensa@paulus.com.br

Post Author: revistapartes