A aplicação do método hermenêutico em conjunto ao qualitativo no caso do Arranjo Produtivo Local do Tricot de Imbituva – PR

Zaqueu Luiz Bobato1

publicado em 05/09/2011 como www.partes.com.br/reflexao/aplimbituva.asp

Zaqueu Luiz Bobato é professor do Departamento de Geografia da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) campus de Irati-Pr. Doutorando em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre em Geografia Gestão do Território pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Licenciado em Geografia pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro). E-mail: zaqueudegeo@gmail.com

Resumo

O presente artigo objetiva apresentar como será aplicado o método hermenêutico de pesquisa associado ao qualitativo no bojo das relações que permeiam o Arranjo Produtivo Local (APL) do Método hermenéutic, cualitativo, Arreglo Productivo Local, Imbituva. Para tanto, far-se-á uma apresentação buscando evidenciar as características, peculiaridades de tais métodos.

Palavras-chave: Método hermenêutico, qualitativo, Arranjo Produtivo Local, Imbituva.

Resumen

Este artículo tiene como objetivo presentar la aplicabilidad del método hermenéutic de investigación asociado con lo cualitativo en médio de las relaciones que permean el Arreglo Productivo Local (APL) del tricot del Imbituva-PR. Para dicha presentación se busca resaltar las características y peculiaridades de estos métodos.

Palavras-clave: Método hermenéutic, cualitativo, Arreglo Productivo Local, Imbituva.

Introdução

É sabido que em uma pesquisa científica, o pesquisador necessita definir seu objeto de estudo, para a partir daí, elaborar, construir um processo de investigação, objetivando delimitar o universo que será estudado. Portanto, torna-se necessário discutir em um primeiro momento o foco da pesquisa, o objeto de estudo. Neste sentido, traz-se à baila o caso do Arranjo Produtivo Local (APL) do tricot de Imbituva, localizado em uma pequena cidade do Estado do Paraná que há mais de 28 anos vem se especializando na confecção de roupas de tricot. Portanto, o objetivo central do projeto de pesquisa realizado é compreender o processo histórico e geográfico de implantação das políticas públicas na perspectiva de Arranjos Produtivos Locais, considerando a concentração territorial das empresas do segmento do tricot de Imbituva-PR.

Já os objetivos específicos traçados foram estes:

  • Refletir sobre a adoção do conceito de APLs na sustentação das políticas públicas de desenvolvimento regional e local.

  • Compreender de forma aprofundada as relações de cooperação existentes no setor do tricot, rotuladas na literatura da Geografia Econômica pelo termo Linkages.

  • Identificar os elementos fundamentais do processo de formação da concentração de empresas do tricot de Imbituva-PR.

Ressalta-se que na busca de efetivar as propostas do projeto, a pesquisa utilizará de critérios metodológicos, que permitam uma aproximação do pesquisador junto ao objeto de estudo. Portanto, o pesquisador mergulhará no foco da pesquisa, evitando se deixar levar por simplismos “achismos”, mas sim, por processos que o permitam revelar a essência dos fenômenos, que se dão no bojo das relações, ocorridas dentro da complexidade do APL imbituvense.

O método hermenêutico e qualitativo

Tendo por base Oliveira (1997), compreende-se que método é um conjunto de processos pelos quais se torna possível conhecer uma determinada realidade, produzir determinado objeto ou desenvolver certos procedimentos ou comportamentos. Entretanto, Lakatos e Marconi (2001) abordam o método como um conjunto das atividades sistemáticas e racionais que, com maior segurança e economia, admite conseguir chegar ao objetivo. Enfim, pode-se dizer que um método é um caminho traçado racionalmente e cientificamente, visando chegar a um fim. Desta forma, primeiramente destacar-se-á o método hermenêutico de pesquisa. A origem da palavra hermenêutica surge no mito grego do deus Hermes.

Ao pensar este método, sua origem, explicita-se os escritos de Santos Lopes (2009, p. 116) em que:

Hermes era um deus que transmitia as mensagens dos deuses para os mortais; dessa forma ele exercia dois papéis muito importantes, a saber: primeiro servia de intérprete dos deuses para os mortais e nessa interpretação ele assume o segundo aspecto importante, a inteligibilidade do que estava falando. A volta etimológica para compreender o conceito de Hermenêutica não é apenas um exercício de curiosidade, mas, sobretudo, serve para aumentar o entendimento sobre ela.

Segundo Santos Lopes (2009), o método hermenêutico em todos os seus estágios históricos indo até os dias atuais paulatinamente vai sendo aprimorado recebendo contribuições de diversos pensadores. Já para Domingues (2004, p. 345), no processo de pensar e sistematizar o método, a hermenêutica assume um caráter de “(…) “reflexão teórico-metodológica” acerca da prática de interpretação dos textos sagrados, clássicos (literários) e jurídicos (leis)”. De acordo com Weller (2007, p. 03) “Na busca de cientificidade para as ciências interpretativas o filósofo Wilhelm Dilthey, publica no ano de 1900 um texto sobre o “Surgimento da Hermenêutica” no qual o autor estabelece uma distinção entre “explicar” (Erklären) e “compreender” (Verstehen) para as ciências humanas.”.

Na verdade, tendo por base os escritos dessa pesquisadora Weller (2007) acerca do método hermenêutico, compreende-se que Dilthey passava a defender a necessidade de pensar e estabelecer um método de pesquisa que se diferisse aos comumente utilizados nas ciências naturais, no contexto histórico e geográfico por ele vivido. Ainda tendo por base Weller (2007, p. 04), a:

(…) distinção realizada por Dilthey é retomada e aprimorada por Mannheim na elaboração de seu método documentário de interpretação como uma forma de análise das visões de mundo de uma determinada época e como uma metodologia centrada na análise dos fenômenos “culturais” e não dos fenômenos “naturais”.

Ou seja, o método hermenêutico de pesquisa não se caracteriza por ser apenas uma forma de interpretação de um texto bíblico, muito pelo contrário, a hermenêutica se apresenta como uma possibilidade de filosofia aplicada às ciências humanas e possibilita o pesquisador mergulhar no universo de análise, procurando interpretar as teorias e os processos que se manifestam em um determinado objeto de pesquisa.

Muitas vezes, o pesquisador cai em erros e acaba reproduzindo fatos, processos, sem de fato ter buscado a real interpretação, compreensão. No entanto, pautando-se na hermenêutica e apoiada em outras metodologias de pesquisas, o pesquisador pode ser encaminhado a trilhar um bom trabalho de pesquisa, resultando em contribuições para a comunidade em geral, revelando e compreendendo as reais faces de um processo.

Entretanto, é Valido ressaltar que no atual momento histórico e geográfico muitos pesquisadores vêm rompendo com a visão de desenvolverem pesquisas pautadas em apenas um único método científico, mas sim, delineiam estudos combinando métodos, sendo que tal combinação resulta em um bom trabalho de pesquisa. Neste sentido, o projeto desenvolvido também terá o suporte do método qualitativo. Portanto, a pesquisa será desenvolvida levando em consideração a soma de metodologias características do método hermenêutico e qualitativo. Sendo assim, ao pensar o método qualitativo torna-se importante citar os escritos de Leite (2008, p. 100), pois para ele:

(…) os métodos qualitativos são representados por trabalhos que não necessitam de ferramentas estatísticas. Os tipos de pesquisas qualitativas mais comuns são decorrentes de pesquisas teóricas, pesquisas exploratórias documentais e outras que possuam caráter de investigação lógica ou histórica.

Já para Liebscher (1998, apud DIAS 2000) o mesmo ressalta que:

Os métodos qualitativos são apropriados quando o fenômeno em estudo é complexo, de natureza social e não tende à quantificação. Normalmente, são usados quando o entendimento do contexto social e cultural é um elemento importante para a pesquisa. Para aprender métodos qualitativos é preciso aprender a observar, registrar e analisar interações reais entre pessoas, e entre pessoas e sistemas.

Ao optar-se também pela escolha do método qualitativo remeteu-se a Strauss e Corbin (1998), pois segundo as análises desses autores, é pertinente dizer que os métodos qualitativos são usados quando há necessidade de observar com o intuito de compreender detalhes intrincados sobre fenômenos como: sentimentos, processos de pensamento, e, emoções.

Considerações finais

Objetivando realizar a pesquisa projetada, planejou-se a seguinte metodologia: a pesquisa será de cunho hermenêutico e qualitativo. Hermenêutica tendo em vista que será feita uma análise minuciosa, procurando compreender como o conceito de APL foi transposto ao Brasil, já que a ideia de APLs, Cluster são característicos de um modelo europeu que foi adotado no Brasil sob a forma de uma política de desenvolvimento regional e local. No entanto, muitas experiências não têm corroborado ao sucesso que se tem nos países europeus.

Portanto, propõe-se desvendar a transposição de conceitos para identificar se houve ou não distorções ao ser trazido para o Brasil tais ideias. Ressalta-se que a pesquisa terá também um cunho qualitativo, pois de acordo com Silva; Menezes (2001, p. 20), este tipo de pesquisa qualitativa:

(…) considera que há uma relação dinâmica entre o mundo real e o sujeito, isto é, um vínculo indissociável entre o mundo objetivo e a subjetividade do sujeito que não pode ser traduzido em números. A interpretação dos fenômenos e a atribuição de significados são básicas no processo de pesquisa qualitativa.

No caso da pesquisa projetada, procurar-se-á compreender as opiniões dos empresários do ramo do tricot acerca do projeto APL implantado em Imbituva, se o mesmo está satisfazendo as necessidades do setor, ou não, assim como, identificar as relações de cooperação estabelecidas entre eles. Também este tipo de pesquisa de cunho qualitativo permitirá compreender se o projeto APL implantado levou em consideração as especificidades culturais, os processos históricos e geográficos do local onde se delineia o cotidiano do empresariado.

REFERÊNCIAS

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina Andrade. Fundamentos de metodologia científica. 4ª ed. São Paulo: Atlas, 2001.
LEITE, Francisco Tarciso. Metodologia Científica: Métodos e técnicas de pesquisa: monografias, dissertações, teses e livros. Aparecida, SP: Idéias e Letras, 2008.

OLIVEIRA, Silvio Luiz de. Tratado de metodologia científica. São Paulo: Pioneira. 1997.

SANTOS, David Ferreira Lopes. Possibilidades da Hermenêutica na Administração. Revista de Ciências da Administração. v. 11, n. 23, p. 113-133, jan/abr 2009. 

Silva, Edna Lúcia da; Menezes, Estera Muszkat. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 3. ed. rev. atual. Florianópolis: Laboratório de Ensino a Distância da UFSC, 2001.

STRAUSS, Anselm; CORBIN, Juliet. Pesquisa Qualitativa: Técnicas e procedimentos para o desenvolvimento de teoria fundamentada. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 1998.

WELLER, Wivian. A hermenêutica como método empírico de investigação. In: 30ª Reunião Anual da ANPEd, 2007, Caxambu. 30ª Reunião Anual da ANPED, 2007. p. 1-16.

1 Mestrando em Gestão do Território no Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual de Ponta Grossa – PR, Licenciado em Geografia pela Universidade Estadual do Centro-Oeste, UNICENTRO/Irati – PR. E-mail: zaqueudegeo@yahoo.com.br

Post Author: partes