Reflexão Introdutória sobre a Segmentação Turística

Reflexão Introdutória sobre a Segmentação Turística

Introductory reflection on Tourist Segmentation

10/12/2011 como:  www.partes.com.br/turismo/segmentcao.asp

Andréia Magalhães da Rocha[1]

Andréia Magalhães da Rocha é Bacharel em Turismo pela Universidade Estadual do Piuaí- UESPI

Resumo- O presente artigo propõe uma análise introdutória da segmentação turística que se constitui como uma ferramenta de marketing de grande relevância no contexto de desenvolvimento turístico local. A metodologia da pesquisa em questão deteu-se ao levantamento bibliográfico em livros e publicações (disponíveis no site do Ministério do Turismo-MTUR) analisando-os criticamente.

Palavras-chave: Segmentação Turística. Marketing. Mercado

Abstract– This article proposes an introductory analysis of segmentation that is as a tourist marketing tool of great relevance in the context of local tourism development. The survey methodology concerned Turks to bibliographical in books and publications (available on the site of the Ministry of tourism-MTUR) analyzing them critically.

 Keywords: Tourist Segmentation, Marketing, Market

 

1-Introdução

A presente pesquisa tem o intuito de fazer uma análise introdutória/conceitual sobre a temática da segmentação turística e sua relação com o marketing, tendo em vista que esta ferramenta contribui significativamente para com a operacionalização de tal atividade econômica.

Este trabalho está divido em duas partes teóricas denominadas respectivamente de: aspectos introdutórios da segmentação turística; a segmentação turística como estratégia de marketing, seguidos pelos aspectos metodológicos, considerações finais e referências.

O objetivo dessa pesquisa é listar os principais conceitos da segmentação turística analisando-os de forma sistemática, objetiva e coesa. A metodologia da referida análise foi desenvolvida a partir do levantamento bibliográfico onde buscou-se desenvolver a criticidade através do conhecimento científico adquirido.

2-Aspectos introdutórios da segmentação turística

 A atividade turística como toda e qualquer atividade econômica precisa se posicionar de forma estratégica no mercado para atrair um número significativo de demanda se consolidando, portanto como uma atividade que gera emprego e renda para a localidade ao qual se insere.

Para Kotler; Keller, mercado é o lugar onde pessoas trocam produtos e serviços com outras, considerando sempre a disponibilidade da oferta existente e a procura pelo bem ou serviço oferecido. Esse processo de troca e a existência do mercado estão associados a cinco condições essenciais elencadas pelo autor em questão, ele considera como imprescindível: que todas as partes possuam algo que possa ter valor para as outras partes; que todas as partes tenham condição de comunicação e entrega; que todas as partes estejam livres para aceitar ou recusar a troca; que todas as partes acreditem ser proveitoso participar desta negociação. (KOTLER; KELLER, 2006).

Dias elenca três características indispensáveis à existência do mercado, em sua concepção o mesmo deve apresentar: uma necessidade (a busca por determinado tipo de produto ou serviço); um desejo de satisfazê-la (por meio da oferta de produtos ou serviços); e capacidade de compra (por meio da disponibilidade de moeda de troca ou crédito para processar a transação). (DIAS 2005). Neste contexto, é importante frisar que o mercado está sujeito a mudanças estruturais, ou seja, depende do perfil da demanda/consumidor para formatar seu produto ou serviço.

De acordo com Ministério do turismo- MTUR[2] (2007), o mercado turístico pode ser entendido como o encontro e a relação entre a oferta de produtos e serviços turísticos e a demanda, individual ou coletiva, interessada e motivada pelo consumo e uso destes produtos e serviços.

Existem quatro elementos básicos que compõem o mercado Turístico[3]:

Demanda: formada por um conjunto de consumidores, ou potenciais consumidores, de bens e serviços turísticos; Oferta: composta pelo conjunto de produtos, serviços e organizações envolvidas ativamente na experiência turística; Espaço geográfico: base física na qual tem lugar a conjunção ou o encontro entre a oferta e a demanda, e em que se situa a população residente (que se não é em si mesma um elemento turístico, é considerada um importante fator de coesão ou desagregação no planejamento turístico); Operadores de mercado: empresas e instituições cuja principal função é facilitar a inter-relação entre a demanda e a oferta. São as operadoras de turismo e agências de viagens, empresas de transporte regular, órgãos públicos e privados que organizam ou promovem o turismo. (MTUR, 2007).

De acordo com autor a análise do mercado turístico não deve se basear apenas na oferta existente e na demanda, mas também no conjunto de atores que compõem a totalidade do mercado, visto que são essenciais à prática da atividade turística.

 Para o MTUR (2010), a segmentação é entendida como uma forma de organizar o turismo para fins de planejamento, gestão e mercado. Do ponto de vista da demanda, a segmentação pode ser entendida como um grupo de clientes atuais e potenciais que compartilham as mesmas características, necessidades, comportamento de compra ou padrões de consumo[4].

O ato de segmentar a atividade turística pode ser compreendido como uma forma de otimizar a oferta turística agregando valor a este produto formatado. É uma tática utilizada para satisfazer as necessidades dos variados tipos de turistas.

A segmentação deve ser vista como uma necessidade de sobrevivência de qualquer organização, empresa e também de um destino turístico. Segmentar é separar os turistas em grupos, a fim de que a necessidade geral atenda seus diversos aspectos de forma específica.

Em sinopse, entende-se que a segmentação turística, é uma ferramenta capaz de contribuir significativamente com a qualidade do serviço ou produto ofertado diversificando e classificando o perfil da demanda que se propõe a trabalhar.

3-A segmentação Turística como estratégia de Marketing

“O turismo vem se consolidando como uma atividade econômica relevante com rentabilidade garantida e fator de crescimento” (ANDRADE DIVINO; MOLLO;TAKASAGO, 2008). Entende-se que além de ser considerada uma atividade que propicia o lazer a mesma é responsável por gerar dividendos significativos através do incremento econômico que promove o crescimento do setor por agregar valor a oferta existente.

Neste contexto, o crescimento da atividade em questão necessita de uma ferramenta que possibilite a promoção de seus produtos ou serviços, esta ferramenta, portanto é chamada de marketing. Existem vários conceitos/definições sobre esse instrumento de promoção, porém vamos considerar a visão de Kotler: “conjunto de técnicas utilizadas para identificar e satisfazer as necessidades e desejos do consumidor através de um processo comercial de compra e venda (TROCA)” (KOTLER, 2006). Em outras palavras o marketing pode ser considerado um conjunto de procedimentos que são utilizados para classificar e satisfazer aos anseios e desejos de compra e venda de um determinado grupo.

É importante destacar que a segmentação turística é uma ferramenta de marketing utilizada na estrutura de planejamento da atividade turística, assim sendo, observa-se que nessa relação o posicionamento de mercado se constitui como fator decisivo na operacionalização de tal atividade socioeconômica.

Segundo Chias o posicionamento se constitui como um fator de desenvolvimento estratégico para adquirir uma estrutura competitiva, em sua visão:

o posicionamento é, ao lado da segmentação, a ferramenta técnica mais importante na qual se baseia a estratégia e a ação de marketing, principalmente por duas razoes. Por um lado, por seu valor, reconhecido internacionalmente, de formulação da imagem comparativa e, portanto, competitiva da oferta ao mercado. Por outro, embora às vezes se esqueça, por seu valor de expressão dos elementos-chave que definem a análise que o público faz do conjunto de ofertas recebidas de um setor. (CHIAS, 2007).

Portanto, a forma como o produto ou serviço está sendo ofertado no mercado é o que vai determinar a imagem do destino turístico e a partir daí fidelizar seus clientes, por meio de seu público alvo definido.

 

4-Aspectos Metodológicos

A pesquisa deu-se a partir do levantamento bibliográfico que foi de fundamental importância para listar os principais conceitos em relação a temática abordada, detendo-se apenas à livros de autores da área do turismo bem como de áreas afins e publicações disponíveis para download no site do Ministério do Turismo-MTUR.

O trabalho obedeceu à ordem lógica de criticidade apresentando respectivamente as partes: resumo (apresentação da proposta/temática estudada); introdução (exposição sistemática da estrutura da pesquisa); desenvolvimento: (síntese crítica que contém as várias abordagens dos autores selecionados para dar embasamento e confiabilidade à pesquisa); aspectos metodológicos (constitui no detalhamento de ações desenvolvidas para a formação do trabalho); considerações finais (observações apreendidas a partir da análise realizada) e referências (endereço das citações utilizadas).

5-Considerações Finais

Diante das considerações acima apresentadas, percebe-se que a atividade turística é detentora de uma logística estrutural considerável, se observada pela ótica da fidelização, promoção e distribuição de seus produtos ou serviços.

Por ser uma atividade que está em expansão, a mesma necessita agregar valor aos seus diversos produtos existentes, assim sendo vê-se que essa atividade tem conseguido qualificar a oferta, bem como gerar emprego e renda para os indivíduos da localidade a qual está inserida por apresentar vários segmentos de mercado que identifica e satisfaz as necessidades de seu público alvo de forma organizada a partir da gestão/logística desenvolvida.

Entende-se que o marketing é visto como uma tática de posicionamento que tende a contribuir significativamente na obtenção de lucratividade para o setor e maior conhecimento do fenômeno turístico. Neste contexto, a segmentação turística nada mais é do que uma ferramenta desenvolvida para otimizar operacionalização do produto turístico.

6-Referências

ANDRADE, Joaquim Pinto de. DIVINO, José Angelo. MOLLO, Maria de Lourdes R.. TAKASAGO, Milene. A economia do turismo no Brasil. Editora Senac, 2008 (222 p.)

BRASIL, Ministério do Turismo. Programa de Regionalização do Turismo – Roteiros do Brasil: Módulo Operacional 8 – Promoção e Apoio à Comercialização. Brasília: Ministério do Turismo, 2007:15.

CHIAS, Josep. Turismo, O negócio da Felicidade: Desenvolvimento e Marketing Turístico de países, Regiões, lugares e cidades. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2007.

DIAS, Reinaldo. Introdução ao Turismo. São Paulo: Atlas, 2005.

KOTLER, Philip; KELLER, Kevin Lane. Administração de Marketing. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006.

LOVELOCK, Christopher; WRIGHT, Lauren. Serviços: Marketing e Gestão. São Paulo: Saraiva, 2001.

[1] Bacharel em Turismo pela Universidade Estadual do Piuaí- UESPI.

[2] BRASIL, Ministério do Turismo. Programa de Regionalização do Turismo – Roteiros do Brasil: Módulo Operacional 8 – Promoção e Apoio à Comercialização. Brasília: Ministério do Turismo, 2007:15.

[3] Idem

[4] LOVELOCK; WRIGHT, 2001

Post Author: partes