O Gênero Notícia: um olhar sobre a organização estrutural

O Gênero Notícia: um olhar sobre a organização estrutural

 

Silvio Profirio da Silva*

Silvio Profirio da Silva Graduando em Licenciatura em Letras Português/ Espanhol pela Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE. Interessa-se por estudos na área da Linguística e da Educação, focando, sobretudo, no campo da Linguística Aplicada, da Linguística de Texto e da Sociolinguística Variacionista. E-mail: silvio_profirio@yahoo.com.br

RESUMO: Neste trabalho, colocamos em discussão a estruturação organizacional do Gênero Notícia, primando pela abordagem do papel/ função que cada um dos seus componentes exerce na construção/ elaboração de efeitos de sentido. Para isso, recorremos, teoricamente, aos trabalhos de autores que advém do campo da Linguística de Texto, como, por exemplo, Bentes (2004) e Koch (2002). Recorremos, ainda, às contribuições teóricas de autores do campo da Linguística Aplicada, tais como: Benassi (2007), Cunha (2010), Fiorin (2004), Koche & Marinello (2012), Luna & Cunha (2009) etc.. Estes últimos debruçam-se sobre a constituição do Gênero Notícia, focando nas suas particularidades e nas suas especificidades. Com isso, eles trazem à tona o funcionamento desse gênero textual. Em virtude disso, tomamos tais autores como respaldo teórico.

PALAVRAS-CHAVE: Gênero notícia, componentes estruturais sentido.

RESUMEN: En este trabajo, ponemos en discusión la estructura organizativa del género noticia, tratando de abordar el papel / función que cada uno de sus componentes hace en la construcción / desarrollo de los efectos de sentido. Para eso, recurrimos, en teoría, a las obras de autores que viene del campo de la lingüística del texto, como, por ejemplo, Bentes (2004) y Koch (2002). Recurrimos, aún, a las aportaciones teóricas de autores del campo de la lingüística aplicada, tales como: Benassi (2007), Cunha (2010), Fiorin (2004), Koche & Marinello (2012), Luna & Cunha (2009) etc.. Estos últimos conceden primacia a la constitución del Género Noticia, centrándose en sus particularidades y sus especificidades. Con esto, ellos demuestran el funcionamiento de este género. Por lo tanto, tenemos a estos autores como soporte teórico.

PALABRAS CLAVE: Género noticia; componentes estructurales; sentido.

 

Neste trabalho, colocamos em discussão a estruturação organizacional do Gênero Notícia, primando pela abordagem do papel/ função que cada um dos seus componentes exerce na construção de efeitos de sentido. Acreditamos, assim, que cada componente estrutural – Título, Subtítulo, Lide e Corpo textual – desse gênero não aparece de forma neutra. Pelo contrário, cada um deles possui um papel, que age diretamente na forma como o leitor dá sentido às informações dispostas na estruturação de tal gênero.

Gostaríamos, inicialmente, de tecer alguns argumentos opinativos acerca da constituição do gênero notícia, tendo como foco suas particularidades e especificidades. Koch (2002) cita os fundamentos teóricos de Bakhtin, a fim de evidenciar que a caracterização dos gêneros textuais é marcada pelo plano temático, plano composicional e pelo plano estilístico. Na mesma direção Bentes (2004) e Luna & Cunha (2009), corroboram com essa caracterização, fazendo uma bem sucedida análise de cada um desses elementos. O Plano Temático e/ ou Conteúdo Temático diz respeito aos temas materializados por cada gênero textual. O Plano Composicional e/ ou Composição refere-se à organização e à sequenciação estrutural do texto. Já o Plano Estilístico e/ ou Estilo faz menção à materialização linguística dos gêneros, abarcando, dessa forma, uma ampla quantidade de recursos linguísticos utilizados não só para a elaboração, mas, sobretudo, para a materialização do dizer presentes nos gêneros textuais, como, por exemplo, aspectos/ fatores vocabulares, frasais, gramatiqueiros etc. (BENTES, 2004; LUNA & CUNHA, 2009).

  1. Conteúdo temático: são os conteúdos gerados numa esfera discursiva em dado momento histórico-social, que se tornam objeto de sentido do gênero. 2. Construção composicional: são os procedimentos de organização textual (sequência das unidades linguísticas) que se referem à estruturação e acabamento do gênero. A estrutura é o que lhe confere um formato reconhecível. 3. Estilo: são os modos de dizer de determinado gênero. O estilo se constrói na seleção dos recursos lexicográficos, fraseológicos e gramaticais, que veiculam a expressividade do gênero, tendo em vista as relações dialógicas que mantém com os outros enunciados e com o destinatário (LUNA & CUNHA, 2009, p. 5-6).

O Gênero Notícia não foge dessa caracterização. Pelo contrário, ele é marcado por aspectos/ fatores temáticos, composicionais e estilísticos. Nesta escrita, detemo-nos ao plano composicional, primando, nesse sentido, pela sua organização estrutural e discursiva. Apesar disso faremos uma incipiente explanação do que vem a ser o Conteúdo Temático e o Estilo Verbal, focando, é claro, no gênero notícia. Mas, afinal, o que é o Gênero Notícia? Essa indagação motivou o início dos estudos acerca dessa temática.

Nas suas postulações Benassi (2007), diz que o Gênero Notícia tem como foco o Novo, recorrendo, para tal, a acontecimentos e a fatos que abarcam diversas perspectivas temáticas – economia, educação, empregos, entretenimento, esportes, fofocas, informática, política, saúde, sociedade etc.. Tais temáticas trazem à tona os acontecimentos ocorridos nas práticas corriqueiras do dia a dia, tornando-se, assim, objeto de materialização das notícias. As notícias, desse modo, tomam como objeto os fatos ocorridos recentemente no campo social (BENASSIN, 2007). Essa primeira abordagem acerca do gênero notícia evidencia a dimensão conteudista da sua caracterização. Aludimos, nesse ponto, ao Conteúdo Temático. Todas essas temáticas que constituem a materialização do gênero notícia refletem seu plano temático.

Em face do seu propósito comunicativo de informar ao público dos acontecimentos e fatos ocorridos no âmbito social, o Gênero Notícia lança mão da narrativa. Diante disso, o autor da notícia faz uso de uma vasta quantidade de recursos linguísticos e discursivos, como é o caso do uso da linguagem formal, focando, sobretudo, no uso da 3ª pessoa. Isso erradica as marcas e os traços da sua inclusão no enfoque e no tratamento dado aos fatos. Além disso, na construção desse gênero, seu autor prima pela utilização de um recurso linguístico chamado Sumarização, concedendo primazia a aquilo que é essencial e primordial acerca do fato noticiado. Daí advém a linguagem clara e objetiva, que presenciamos na maior parte dos textos noticiosos.

Dizemos isso, pois há algumas modalidades do gênero notícia que possuem um enfoque mais amplo. Isso, em face do suporte textual. Neste texto, referimo-nos às notícias impressas. No entanto, a notícia na web, em decorrência da passagem do suporte impresso para a web, tem seu espaço ampliado, bem como seu enfoque dado aos fatos acrescido. Destacamos, ainda, o fato de o autor da notícia fazer uso da inclusão das falas e/ ou depoimentos dos sujeitos envolvidos nos acontecimentos noticiados. Tal inserção dos dizeres dos sujeitos imersos nos fatos retratados confere o texto noticioso uma maior credibilidade (BENASSI, 2007). Todos esses rituais discursivos materializados no texto noticioso são alusivos à linguagem e, como tal refletem o Plano Estilístico e/ ou Estilo Verbal. Porém, neste texto, detemo-nos ao Plano Composicional e/ ou Composição do texto noticioso, o que reflete sua organização estrutural.

Consoante Fiorin (2004, p. 108), “o texto é um todo organizado de sentido, o que significa que ele possui uma estrutura. Ou seja, o sentido organiza-se por meio de uma estruturação propriamente discursiva”. Nesse sentido, o Gênero Notícia, em sua constituição, é formado por componentes estruturais, que possuem uma função no que concerne à atribuição/ elaboração de sentido. Ora, tais componentes estruturais não estariam dispostos na organização estrutural do gênero notícia de maneira neutra. Mas, sim, cada um é possuidor de um papel, que está diretamente atrelado à produção de efeitos de sentido. Tais componentes estruturais que materializam a construção linguística do texto noticioso refletem a Dimensão Composicional [leia-se Plano Composicional e/ ou Composição].

No dizer de Benassi (2007) e Koche & Marinello (2012), o gênero notícia é construído linguisticamente, a partir dos seguintes componentes estruturais: Título, Subtítulo, Lide e Corpo textual. E, como dito antes, cada um deles possui uma função específica.

ESQUEMA DA ORGANIZAÇÃO ESTRUTURAL DO TEXTO NOTICIOSO

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX (TÍTULO)

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx (SUBTÍTULO)

 

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx (LIDE)

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx (CORPO TEXTUAL)

O esquema acima demonstra como se dá a materialização de cada um dos componentes estruturais do texto noticioso. O primeiro componente é o Título e/ ou Manchete. Gaydeczka (2007) postula que o título tem como função atrair o leitor. Como podemos observar, no esquema acima, os símbolos que representam o título possuem um tamanho maior e o destaque do negrito. O aumento da fonte e o destaque do negrito não se dão gratuitamente. Pelo contrário, eles se ocorrem justamente, pelo fato de o título possuir essa função atrativa. O tamanho da fonte e o destaque propiciado pelo negrito estão, então, diretamente atrelados à sua função na organização textual-discursiva do gênero textual em foco (GAYDECZKA, 2007).

O segundo componente é o Subtítulo e/ ou Título Auxiliar. Na ótica de Gaydeczka (2007), na estruturação organizacional do texto noticioso, ao subtítulo, será conferida a função de complementação informacional dos dizeres e das falas dispostas no título (GAYDECZKA, 2007). Como podemos observar, no esquema acima, os símbolos que representam o subtítulo possuem um tamanho menor. Essa diminuição da fonte ocorre pelo fato de esse componente estrutural exercer uma função “secundária”, em relação ao título.

O terceiro componente é o Lide. Na fala de Benassi (2007) e Koche & Marinello (2012), na estruturação organizacional do texto noticioso, ao lide, será atribuído o papel de fazer um resumo dos aspectos mais relevantes da notícia – Acontecimentos/ Fatos, Sujeitos envolvidos, Momento, Local/ Lugar. Ele aparece no primeiro parágrafo do texto noticioso, primando, acima de tudo, pela abordagem dos seguintes elementos: O quê aconteceu?, Com quem aconteceu?, Quando aconteceu? e Onde aconteceu? (BENASSI, 2007; KOCHE & MARINELLO, 2012).

Textos informativos [que pertencem ao] tipo textual narrativo, com verbos no passado e em terceira pessoa, e procuram responder às questões: o quê? quem? quando? onde? No caso das notícias mais desenvolvidas, como as das revistas semanais, as perguntas como? por quê? e daí? também são respondidas, devido ao caráter explicativo dos textos nesse suporte (CUNHA, 2010, p.170).

O quarto componente é Corpo Textual. Segundo Benassi (2007) e Koche & Marinello (2012), o corpo textual tem como função ampliar as informações sumarizadas pelo lide. Na visão dessas autoras, esse componente estrutural do texto noticioso traz à tona as informações sumarizadas pelo lide. Todavia, no corpo da notícia, essas informações recebem um novo tratamento. Aludimos, nesse ponto, ao fato de tais informações serem acrescidas e ampliadas (BENASSI, 2007; KOCHE & MARINELLO, 2012).

Como mencionado anteriormente, todos esses rituais discursivos traçados na organização estrutural do texto noticioso refletem a Dimensão Composicional [leia-se Plano Composicional e/ ou Composição] desse gênero textual. E, para concluir esta escrita, gostaríamos de evidenciar, mais uma vez, a dimensão do sentido materializado por cada um desses componentes estruturais do Gênero Notícia. Nesse sentido, cada um dos elementos dispostos na estruturação do texto noticioso possui um papel na construção do sentido global.

 

Referências

 

BENASSI, M. V. B. . O gênero “notícia”: uma proposta de análise e intervenção. In: Anais do CELLI – Colóquio de Estudos Linguísticos e Literários, 2007, Maringá, 2009.

BENTES, A. C.. Linguagem: práticas de leitura e escrita. São Paulo: Global – Ação Educativa Assessoria, Pesquisa e Informação, 2004.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1997.

_____. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa. Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1997.

CUNHA, D. A. . O funcionamento dialógico em notícias e artigos de opinião. In: DIONISIO, A. P. ; BEZERRA, M. A. ; MACHADO, A. R.  (Orgs.). Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2010.

FIORIN, J. L.. Linguística e pedagogia da leitura. Revista SCRIPTA, Belo Horizonte, v. 7, n. 14, p. 107-117, 1º sem. 2004.

GAYDECZKA, B. . A multimodalidade na reportagem impressa. Revista Estudos Linguísticos XXXVI (3), v. setembro-dezembro, p. 109 / 115, 2007.

KOCHE, V. S. ; MARINELLO, A. F. . O Gênero textual reportagem e sua aplicação no ensino da leitura e escrita. Revista Trama, v. 8, n.º 16 – 2º p. 139-152, 2012.

KOCH, I. G. V. . Desvendando os segredos do texto. São Paulo: Cortez, 2002.

LUNA, T. S. ; CUNHA, D. A. . O funcionamento do gênero guia eleitoral radiofônico. Eutomia (UFPE), Recife, v. 2, p. 1-24, 2009.

 

C O M O    C I T A R:

SILVA, Silvio Profirio da.. O Gênero Notícia: um olhar sobre a organização estrutural. Revista Virtual P@rtes, (São Paulo), Out, 2013. Disponível em: xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. Acesso em: xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx.

* Graduando em Licenciatura em Letras Português/ Espanhol pela Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE. Interessa-se por estudos na área da Linguística e da Educação, focando, sobretudo, no campo da Linguística Aplicada, da Linguística de Texto e da Sociolinguística Variacionista. E-mail: silvio_profirio@yahoo.com.br

Post Author: partes