O sonho não morreu

O sonho não morreu

EDUARDOCAMPOS1

O SONHO NÃO MORREU…

Nair Lucia de Britto

 

nairlucia

Nair Lúcia de Britto é poeta e jornalista

No dia 12 de agosto eu, propositalmente, mantive a televisão desligada o dia todo, em um protesto silencioso ao que anda acontecendo de errado no nosso País. Parece que a tevê está carente de notícias boas. Noticiários de bombardeios, no Exterior, vitimando milhares de inocentes. E, no Brasil, notícias como a de  torcedores de times de futebol se agredindo mutuamente com pedaços de pau e barras de ferro; alheios ao fato de que o futebol é apenas um entretenimento, um esporte que faz bem para o físico e a mente e que não justifica essa guerra ainda mais absurda do que a que acontece lá fora. Notícias de pessoas doentes sofrendo sem atendimento hospitalar, notícias e mais notícias tristes e revoltantes; além de, ao mudar de canal, me deparar com um programa pornô, se contrapondo aos bons princípios e à boa Educação.

— Chega por hoje!, foi o que pensei. E, assim foi o dia todo: minha casa sem o costumeiro barulho da televisão. Até que à noite resolvi quebrar esse silêncio,  na hora do Jornal Nacional, que eu gosto e assistir, e justamente no início da entrevista com Eduardo Campos, candidato à Presidência, nas próximas eleições. Por sorte não perdera a entrevista, por conta do meu desânimo; e fiquei prestando atenção a cada palavra desse candidato que passava otimismo, esperança e determinação. Seu sorriso e suas palavras deram-me um novo alento quando ele disse:

“Não vamos desistir do Brasil. É aqui que vamos criar nossos filhos, é aqui que nós temos   que criar uma sociedade mais justa. Para isso é preciso ter a coragem de mudar, de fazer diferente, de reunir uma agenda da escola de tempo integral para todos os brasileiros, a agenda do passe livre, a agenda de mais recursos para a saúde, a agenda do enfrentamento do crack, da violência. O Brasil tem jeito. Vamos juntos!”

Jamais poderia imaginar que, no dia seguinte, eu veria a trágica notícia do desaparecimento desse mesmo candidato num desastre de avião.  De novo o desalento que trazem as más notícias, e essa foi triste demais!

Por quê? –Fiquei me perguntando – Por que aconteceu essa tragédia com uma pessoa do Bem? Um estudante exemplar, um bom governador, reeleito no Estado de Pernambuco, com ótima margem de aprovação;  com boas ideias para um Brasil mais justo? Por quê?

Não sabemos, disse-me uma voz interior. Só sabemos que devemos confiar nos desígnios de Deus. Deus sempre sabe o que faz, nós já sabemos disso. Um dia, nós iremos compreender…

Guardemos sua imagem boa, suas palavras de Esperança no Brasil e que a continuidade dos seus projetos passem para as mãos de Marina Silva. Pois, como Eduardo disse na sua entrevista ao Jornal Nacional,  “O que a Marina defende eu defendo também, e a sociedade brasileira quer ver hoje, é que nós temos que ter desenvolvimento com respeito à Natureza e inclusão das pessoas mais pobres.” E completou: “Ao lado da Marina, eu quero representar seu sonho de um Brasil melhor.”

Que a Marina não tenha receio de assumir essa responsabilidade de competir nas próximas eleições presidenciais, porque Deus capacita os escolhidos e foi ela quem Eduardo Campos escolheu para competir na futura presidência. Além disso o vice é o vice; é para substituir o titular na sua impossibilidade.

Depois, que vença o melhor candidato,  porque o “Brasil tem jeito” e o sonho não morreu.

Post Author: partes