Novas Tecnologias como Ferramenta Pedagógica Aplicadas na EJA

Novas Tecnologias como Ferramenta Pedagógica Aplicadas na EJA

Adailes Aguiar Lima*

 

Adailes Aguiar Lima – Bacharela em Direito pelo Centro de Ensino Superior do Amapá – CEAP. Graduada em Licenciatura Plena em Historia pela Universidade Vale do Acaraú – UVA. Pós-Graduanda no Curso de especialização em Mídias na Educação pela Universidade Federal do Amapá – UNIFAP. E-mail: adaileslima@gmail.com

RESUMO: O referido trabalho procura discutir como as novas tecnologias da informação, ao serem utilizadas como ferramenta pedagógica, contribuem no processo de ensino e aprendizagem, especialmente, na Educação de Jovens e Adultos, haja vista, que oportunizam um ambiente diversificado e incentivador na produção do conhecimento, considerando o desafio de levar e manter as TIC dentro da sala de aula diante das inúmeras dificuldades operacionais enfrentadas pelas escolas.

Palavras-chave: Tecnologia, Ferramenta Pedagógica, EJA, Aprendizagem.

ABSTRACT: This work discusses how new information technologies, when used as a pedagogical tool, contributing in the process of teaching and learning, especially in the Youth and Adult Education, given that nurture a diverse and supportive environment in the production of knowledge considering the challenge of getting and maintaining ICT in the classroom in front of the numerous operational difficulties faced by schools.
Keywords: Technology – Pedagogical Tool – EJA – Learning.

INTRODUÇÃO

A utilização das mídias na educação objetiva a facilitação da construção do conhecimento no processo de ensino e aprendizagem. Desta feita, utilizadas como recurso pedagógico, devem atuar gerando mudança significativa no padrão educacional que promove aprendizagem.

O presente estudo será desenvolvido por meio de informações bibliográficas que investigará a utilização das novas tecnologias na educação, procurando fazer inquisições sobre as formas de planejamento, acesso, experiências pedagógicas quanto o uso do computador, das diferentes mídias, de outros recursos tecnológicos disponíveis na escola, no espaço da sala de aula na Educação de Jovens e Adultos.

Muito embora seja do conhecimento de todos que a escola pública no Brasil passa por inúmeras dificuldades quanto ao acesso às novas tecnologias em sala de aula, é possível afirmar que vale o sacrifício de oferecer ambientes de aprendizagem inovadores contribuindo positivamente no processo de ensino e aprendizagem.

A pesquisa objetiva fazer investigações, referentes à utilização das novas tecnologias, como ferramenta pedagógica, no processo de ensino e aprendizagem, especialmente, nas salas de aula da Educação de Jovens e Adultos – EJA, nas turmas de 1ª e 2ª Etapa, na Escola Estadual Fonte Nova, localizada na Avenida D. Pedro I, s/n, bairro Fonte Nova, município de Santana, no Estado do Amapá.

 

1 A INSERÇÃO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO AMBIENTE ESCOLAR

A gama de estudos teóricos sobre a utilização das novas tecnologias como ferramentas pedagógicas no processo de ensino e aprendizagem é um indício de que existe uma positiva contribuição advinda dessa prática nos diversos níveis de ensino.

A presença das mídias no ambiente escolar, com suas múltiplas possibilidades de utilização, estimula os alunos no processo de aprendizagem em face das inúmeras atividades que podem ser desenvolvidas. Isso acabou desencadeando, nas últimas décadas, a modernização das escolas com a inserção dos computadores e demais aparelhos audiovisuais no ambiente escolar, passando a fazer parte do rol de ferramentas pedagógicas. Desde então o professor passou a fazer uso do computador, internet, projetor de imagens, TV, DVD, como forma de estimular o aluno facilitando, assim, o aprendizado.

Nesse contexto, as escolas públicas do Brasil foram sendo equipadas com as mais variadas tecnologias, visando contribuir para o aprimoramento da prática pedagógica, já que tais recursos podem e estão sendo utilizados por todos os seguimentos da educação. Os diversos recursos tecnológicos estão presentes no cotidiano dos alunos, razão pela qual são bem recepcionados no ambiente escolar como ferramenta pedagógica. Todavia é importante ressaltar que essa utilização deve estar precedida de uma formação dos professores para que eles possam fazer uso correto e adequado das novas tecnologias de forma que as mesmas contribuam positivamente no aprendizado e não sirvam de um mero passa-tempo nas mãos dos alunos dentro da sala de aula. A formação serve, ainda, como ênfase no fortalecimento da necessidade de mudança na atual concepção de aprendizagem com a inserção das novas tecnologias no ambiente escolar, haja vista, a necessidade de adaptação tanto do currículo escolar quanto das práticas docentes; é o professor se apropriando das novas tecnologias.

É importante ressaltar que as tecnologias de comunicação inseridas no ambiente escolar não substituem o professor, segundo Moran “elas atuam de modo que modificam algumas das suas funções, transformando informação em conhecimento e conhecimento em saber”, para o Moran (1995, p. 06):

A tarefa de passar informações pode ser deixada aos bancos de dados, livros, vídeos, programas em CD. O professor se transforma agora no estimulador da curiosidade do aluno por querer conhecer, por pesquisar, por buscar a informação mais relevante. Num segundo momento, coordena o processo de apresentação dos resultados pelos alunos. Depois, questiona alguns dos dados apresentados, contextualiza os resultados, os adapta à realidade dos alunos, questiona os dados apresentados, em vida, em sabedoria o conhecimento com ética (MORAN, 1995, p. 06).

Nesse contexto surge a necessidade de adaptar a informática ao currículo escolar e o computador aparece como a grande ferramenta de apoio ao professor ao ministrar os conteúdos em sala de aula. Essa utilização do computador como instrumento pedagógico tem sido amplamente recomendado, todavia, ainda é reduzido o número de professores que atuam na Educação de Jovens e Adultos que já se apropriaram das tecnologias e fazem uso na prática docente. Mas, esse restringido número de professores é, também, observado nas demais modalidades de ensino, razão pela qual o governo federal vem buscando a qualificação e formação dos professores. É possível perceber essa intervenção do governo federal através dos programas de capacitação disponíveis aos entes da federação para a qualificação de seus professores.

Atualmente se destaca no âmbito federal o ProInfo que, criado pelo Ministério da Educação através da Portaria nº 522 em 09/04/1997, foi, inicialmente, denominado de Programa Nacional de Informática na Educação, cuja finalidade era promover o uso da tecnologia como ferramenta de enriquecimento pedagógico no ensino público fundamental e médio. Seu funcionamento ocorre de forma descentralizada, existindo em cada unidade da Federação uma Coordenação Estadual e os Núcleos de Tecnologia Educacional (NTE), dotados de infraestrutura de informática e comunicação que reúnem educadores e especialistas em tecnologia de hardware e software. Com o Decreto nº 6.300, de 12/12/2007, o ProInfo passou a ser denominado Programa Nacional de Tecnologia Educacional, cujo principal objetivo é promover o uso pedagógico das tecnologias de informação e comunicação nas redes públicas de educação básica.

Segundo o site oficial do Ministério da Educação o Programa Nacional de Tecnologia Educacional – ProInfo é um programa educacional com o objetivo de promover o uso pedagógico da informática na rede pública de educação básica. A formação promovida pelo ProInfo, presencial ou à distância, além de qualificar o professor o ajuda a enfrentar o desafio de se apropriar das novas tecnologias que adentraram o ambiente escolar e chegaram para ficar, razão pela qual a necessidade de qualificação no uso dessas novas ferramentas de aprendizagem. Para Almeida (2001, p. 1-2):

O programa atual do MEC, ProInfo, que se desenvolve por meio de parceria com as Secretarias Estaduais de Educação, começa a concretizar nosso sonho de introduzir o computador na escola para ser incorporado à prática pedagógica de diferentes áreas de conhecimento, favorecendo a aprendizagem do aluno. Esse programa prioriza a formação de professores e educadores em um processo que integra o domínio da tecnologia, teorias educacionais e prática pedagógica como uso dessa tecnologia. Daí, decorre o grande impacto não só no sistema educacional, mas também no desenvolvimento humano e na cultura brasileira, de tradição essencialmente oral (ALMEIDA, 2001, p. 1-2).

Com a apropriação das tecnologias tem-se um profissional diferenciado e capacitado a fazer uso das mídias de modo a explorar o grande potencial pedagógico que elas oferecem. Percebe-se que deve haver uma sincronia entre o docente e a utilização da mídia para que o objetivo almejado seja alcançado.

 

2 O USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO

A prática docente deixou de fazer uso tão somente do quadro, giz ou pincel. Atualmente as atividades pedagógicas podem e estão sendo desenvolvidas com a utilização das diferentes mídias disponíveis. Todavia, se faz necessário que a escola e o corpo docente se aproprie de ambiente adequado, conhecimento e procedimentos metodológicos capazes de potencializar a aprendizagem. E, ao ministrar sua aula, fazendo uso das tecnologias, o professor terá um amplo campo de opções capazes de contribuir na produção do conhecimento, além de oportunizar aos alunos um ambiente diferenciado e motivador.

Nesse contexto, o uso das mídias em todos os níveis de ensino, é uma inovação necessária no ambiente escolar. Não se concebe, atualmente, uma escola, uma sala de aula sem o uso de TV, DVD, projetor de imagens e, principalmente, sem o computador que é a mídia das mídias na modernização do ensino. Isso se dá porque a internet está presente no cotidiano dos alunos e professores, dentro e fora da escola, logo não se imagina uma escola sem o uso das tecnologias.

Na Educação de Jovens e Adultos não poderia ser diferente. Mesmo sabendo que a realidade difere do ensino regular não seria aceitável que a escola privasse essa modalidade de ensino da utilização das tecnologias como ferramentas pedagógicas de grande relevância na prática docente, capazes de contribuir significativamente na construção do conhecimento.

Neste segmento as mídias atuam, ainda, como recurso incentivador, pois por se tratar de uma clientela diferenciada a prática docente deve chamar a atenção do aluno para que o mesmo não deixe que as intempéries da vida cotidiana sejam capazes de desmotivar a permanência na escola, influenciando, assim, na permanência do aluno em sala de aula. Ressalta-se que o professor é o maestro no processo de ensino e aprendizagem, como afirma Moran (2007, p. 164):

A transmissão de informação é a tarefa mais fácil e onde as tecnologias podem ajudar o professor a facilitar o seu trabalho. Um simples CD-ROM contém toda a Enciclopédia Britânica, que também pode ser acessada on line pela Internet. O aluno nem precisa ir a escola para buscar as informações. Mas para interpretá-las, relacioná-las, hierarquizá-las, contextualizá-las, só as tecnologias não serão suficientes. O professor o ajudará a questionar, a procurar novos ângulos, a relativizar dados, a tirar conclusões (MORAN, 2007, p. 164).

Tem-se que a presença das TIC além de contribuir na formação dos alunos para uma sociedade, hoje, informatizada, possibilitando o acesso aos meios modernos de comunicação, também oportuniza um ambiente diferenciado que incentiva a construção do conhecimento.

 

2.1 O COMPUTADOR COMO FERRAMENTA DE CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO

Segundo Papert (apud VALENTE, 2008, p. 143), construcionista é “a abordagem pela qual o aprendiz constrói, através do computador, o seu próprio conhecimento”. Ou seja, nessa visão a construção do conhecimento ocorre quando o aluno constrói algo do seu interesse com o auxílio do computador.

Valente (2008) afirma que o computador ao ser usado como ferramenta pedagógica na construção do conhecimento “deve ser utilizado como um catalisador de uma mudança no paradigma educacional”. Segundo o autor o uso do computador promove a aprendizagem e não apenas o ensino, pois coloca o processo de aprendizagem nas mãos do aprendiz. Para Valente (2008, p. 148) o computador:

Auxilia o professor a entender que a educação não é somente a transferência de conhecimento pelo aluno, mas um processo de construção do conhecimento pelo aluno, como produto do seu próprio engajamento intelectual ou do aluno como um todo (VALENTE, 2008, p. 148).

Portanto, muita embora ainda haja resistência no sistema educacional quanto a utilização das mídias, em particular, o computador como ferramenta pedagógica, importa ressaltar que para que o computador seja efetivo no processo de ensino e aprendizagem ele não pode ser considerado uma máquina de ensinar.

 

3 AS TIC NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Não seria concebível a modernização do ambiente escolar, com a inserção das mídias, sem que tais ferramentas pedagógicas não fossem acessadas pelos alunos da Educação de Jovens e Adultos. O mundo globalizado exige a atuação de um profissional preparado para as mudanças que o avanço tecnológico trouxe para dentro da sala de aula e o professor deve estar atento para acompanhar essa evolução.

A EJA atende uma clientela diferenciada, pois, são jovens e adultos que se ausentaram da sala de aula na idade escolar e, por diversas razões, voltam para a escola na busca de recuperar o tempo decorrido. Retornam trazendo na bagagem conhecimentos de vida importantes no processo de ensino e aprendizagem. Em sua maioria já estão inseridos no mercado de trabalho, o que pode ser um grande incentivador na apropriação das novas tecnologias em sala de aula, cabendo à escola, através do seu currículo, promover um elo entre os conhecimentos já adquiridos pelos alunos e a produção que o uso das novas tecnologias da informação oportuniza nessa modalidade de ensino.

Considerando que o aluno da EJA, também, já exerce algum tipo de contato fora da escola com as diferentes mídias disponíveis na sociedade, deve-se buscar práticas pedagógicas em sala de aula capazes de desenvolver nos alunos habilidades e competências já vivenciadas no seu cotidiano. Todavia, importa ressaltar que na Educação de Jovens e Adultos, a necessidade de inserção das tecnologias ocorre em nível mais elevado, levando em consideração que os alunos, em grande parte, já fazem parte do mercado de trabalho e necessitam aprender e dominar as técnicas exigidas pelas ferramentas que compõem a tecnologia da informação. E, principalmente, considerando que muitos alunos da EJA, por serem de famílias menos favorecidas financeiramente, não têm contato direto com os recursos tecnológicos disponíveis, provocando certo receio no acesso às mídias utilizadas em sala de aula.

Considerando o entendimento pacificado que na escola, o uso do computador representa uma ferramenta pedagógica, capaz de desenvolver habilidades e competências tanto do professor quanto do aluno, contribuindo significativamente no processo de ensino e aprendizagem. É salutar ressaltar que o professor deve dispor de conhecimentos sistematizados, dominando o manuseio das novas tecnologias, haja vista, que os alunos, em especial os mais jovens do ensino regular já se apropriaram das mídias disponíveis na sociedade, não sendo possível constatar essa realidade na Educação de Jovens e Adultos que, na maioria deles, ainda não se apropriaram das novas tecnologias.

Verifica-se, portanto, que oportunizar o acesso às tecnologias no ambiente escolar é, também, para a Educação de Jovens e Adultos, um mecanismo de inclusão no mundo digital, razão pela qual a necessidade de mudança na postura do educador ao se deparar com as dificuldades enfrentadas pelos alunos, pois não há que se falar em construção do conhecimento no processo de ensino e aprendizagem sem levar em consideração o contexto social em que o aluno está inserido.

 

4 METODOLOGIA

  1. 1 SUJEITOS

A seleção dos alunos foi estabelecida pela análise do problema: Como se dá, atualmente, a prática docente com a utilização das novas tecnologias na Educação de Jovens e Adultos? A pesquisa foi feita em parceria com a Escola Estadual Fonte Nova, nas turmas de Primeira e Segunda Etapa da Educação de Jovens e Adultos.

4.2 INSTRUMENTOS

A coleta de dados foi a partir de três questionários submetidos à coordenação pedagógica, docentes e discentes, com o escopo de obter informações referente a visão dos mesmos, sobre como se dá, atualmente, a prática docente com a utilização das novas tecnologias como ferramenta pedagógica na facilitação do processo de ensino e aprendizagem na Educação de Jovens e Adultos.

4.3 MÉTODOS

Foi adotado o método de pesquisa de campo, através de questionários, para analisar as informações oriundas das indagações sobre a utilização dos recursos tecnológicos como ferramenta pedagógica na Educação de Jovens e Adultos.

4.4 PROCEDIMENTOS

O fato de trabalhar na escola, objeto da pesquisa, facilitou o contato com a gestora e com os professores das turmas envolvidas no projeto de pesquisa, sendo exposta, para os alunos, a importância do trabalho de modo que aceitassem participar da pesquisa.

4.5 RESULTADOS

Foi perguntado ao corpo técnico pedagógico se o currículo escolar é contemplado com projetos que visem o uso dos recursos tecnológicos, existentes na escola e quais são esses recursos; como é orientada a utilização das mídias no processo de ensino e aprendizagem e, quais as vantagens pedagógicas na utilização do computador como recurso pedagógico na EJA.

Às perguntas foi respondido que a escola incentiva o uso das novas tecnologias, todavia, muitos professores ainda têm dificuldades em manusear as mídias existentes no colégio, razão pela qual recomendam que os professores participem de cursos oferecidos pelo NTE – Núcleo Tecnológico Estadual – para que aprendam a manusear os recursos e possam construir junto com a coordenação pedagógica práticas docentes com a utilização das mídias. Dentre os recursos tecnológicos existentes a escola, objeto de estudo, possui TV, DVD, Projetor de Imagens, Lousa Digital e Computador. Por fim, foi respondido que o computador contribui muito para o ensino e aprendizagem dos alunos, porém a utilização desse recurso é limitada pela dificuldade de se acessar a internet o que prejudica consideravelmente o planejamento do professor para utilização desse recurso.

Aos docentes foi perguntado: se faz uso pedagógico das novas tecnologias em sua prática docente na mediação dos conteúdos; qual a receptividade dos alunos na utilização das novas tecnologias e, se o uso do computador como ferramenta pedagógica tem contribuído no processo de ensino e aprendizagem, na Educação de Jovens e Adultos.

Pelos docentes foi respondido que utilizam algumas das tecnologias existentes na escola, principalmente a TV e o DVD, pois desde que a internet parou de funcionar o uso do computador deixou de ser mais frequente. Quanto à receptividade dos alunos foi respondido que eles gostam das aulas com a utilização das mídias, pois tem aluno que não tem nem DVD em casa. E, quanto ao uso do computador como ferramenta pedagógica foi respondido que é uma mídia muito significante no processo de ensino e aprendizagem, que foi bastante relevante o período que se pode utilizar com frequência o computador na sala de aula, através do projeto do governo federal UCA – Um Computador por Aluno – pois a escola foi contemplada com o referido projeto e recebeu em torno de 390 laptops, as aulas eram dinâmicas e estimulavam os alunos pois tínhamos acesso à internet e se fazia uso da mesma para dinamizar os conteúdos, foi um período diferencial na escola, alunos que nunca tinham tido contato com um computador passaram a acessar a internet a se familiarizar com a mídia, além de fazermos uso dos programas, de diferentes disciplinas, instalados no laptop. O laboratório de informática também era bastante utilizado tanto para a aprendizagem no manuseio do computador, quanto para a solidificação dos conteúdos. Todavia, os docentes ressaltaram que todo esse trabalho foi interrompido pela falta de acesso à internet na escola.

Aos discentes foi perguntado: quais mídias têm acesso em sua residência; qual recurso tecnológico é mais utilizado pelo professor na sala de aula e, que benefício o computador traz para o entendimento dos conteúdos programáticos.

Às perguntas os alunos responderam que todos têm TV em casa, alguns não possuem DVD e nem um dos alunos possui computador nem acesso a internet em suas residências. Sobre o recurso tecnológico mais utilizado pelo professor os alunos responderam que é a TV com DVD, mas ressaltaram que antes era o laptop. Ao último questionamento foi respondido, por unanimidade, que gostavam das aulas com computador sendo que no início deu até medo porque não sabiam manusear a mídia, mas depois foram, lentamente e com a ajuda do professor, se adaptando. Ressaltaram que após a explicação dos conteúdos eles acessavam a internet para descobrir mais informações sobre o tema ministrado pelo professor e isso ajudava a entender melhor o assunto, além de fazerem pesquisas pela internet na sala de aula, entretanto, lamentaram que a falta de internet na escola impossibilita o uso do computador na sala de aula e, por fim frisaram que como os computadores do laboratório de informática estão, a maioria, com problemas e a central de ar está com defeito eles não têm mais qualquer acesso ao computador.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O estudo realizado deu-se em função de investigar a prática docente com a utilização das novas tecnologias como ferramenta pedagógica aplicadas na Educação de Jovens e Adultos.

O resultado do processo investigativo revelou que a utilização das mídias na prática docente é uma realidade, mas que precisa ser amadurecida. Observou-se que a escola está equipada com diversas tecnologias disponíveis para a prática docente em todos os níveis de ensino. Todavia, não se pode deixar de considerar que muitos professores ainda não estão familiarizados com o manuseio desses recursos o que impossibilita o uso docente. Esse fato acaba obstando o planejamento pedagógico, pois impossibilita a elaboração de projetos que visem à utilização das mídias disponíveis na escola. Sendo que foi detectado que a escola possui consideráveis recursos tecnológicos capazes de promover um diferencial na prática docente na Educação de Jovens e Adultos, caso sejam utilizadas com frequência e fazendo uso correto do potencial pedagógico existente em cada uma.

No que tange a prática docente a pesquisa demonstrou que embora os professores relacionados façam uso de alguns dos recursos tecnológicos existentes na escola ainda existem grandes desafios a serem ultrapassados, tanto dos professores quanto da maioria dos alunos que pouco acesso têm às novas tecnologias disponíveis no mundo moderno, especialmente o computador.

Ressaltaram os docentes que a presença do computador na sala de aula como recurso pedagógico facilita o processo de ensino e aprendizagem, pois proporcionam um ambiente incentivador e inovador para os alunos jovens e adultos. O período em que foi possível fazer uso dos laptops em sala de aula para acessar a internet e solidificar os conteúdos trabalhados foi um diferencial na vida escolar dos alunos. Todavia, percebeu-se que falta investimento por parte da Administração Pública para suprir as dificuldades operacionais de modo a oferecer um ambiente em que o professor tenha condições de desenvolver as habilidades dos alunos, sendo que a falta de internet na escola impossibilita o uso do computador em seu potencial pedagógico, ou seja, como facilitador na construção do conhecimento no processo de ensino e aprendizagem, promovendo mudanças no padrão educacional. Assim, tem-se que o uso do computador como ferramenta pedagógica é um grande exemplo de mudança no processo de ensino e aprendizagem, pois facilita a construção do conhecimento.

Superando as dificuldades operacionais para o uso das diferentes mídias, em especial o computador, como recurso pedagógico tem-se que a utilização das novas tecnologias como ferramenta pedagógica na Educação de Jovens e Adultos dinamizam as aulas e incentivam a produção do conhecimento, oportunizando um ambiente diferenciado no processo de ensino e aprendizagem.

É importante destacar que cabe a nós, educadores estudiosos, contribuirmos na discussão e pesquisa de temas relevantes que visam o aprimoramento da prática pedagógica nas salas de aula da Educação de Jovens e Adultos, com o fito de colaborar, significativamente, no processo de ensino e aprendizagem, assim como na construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

 

Referência bibliográfica:

ALMEIDA, M. E de. Informática e formação de professores. Brasília. Ministério da Educação.

BRASIL. Secretaria de Educação a Distancia TV e Informática na Educação. Brasília: MEC/SEF, 1998.

________. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n° 9.394 de 20 de Dezembro de 1996.

http://www.fnde.gov.br/programas/programa-nacional-de-tecnologia-educacional-proinfo

http://portal.mec.gov.br/index.php?Itemid=462

MORAN, José Manuel. Desafios na Comunicação Pessoal. 3ª Ed. São Paulo: Paulinas, 2007.

REVISTA NOVA ESCOLA, Edição 233, Junho/Julho 2010. Título original: A tecnologia precisa estar na sala de aula.

Revista Tecnologia Educacional. Rio de Janeiro, vol. 23, n.126, setembro-outubro 1995.

SALGADO, Maria Umbelina Caiafa; AMARAL, Ana Lúcia. Tecnologia na Educação: Ensinando e aprendendo com as TIC. Brasília: Ministério da Educação, 2008.

 

Post Author: partes