O uso do computador como ferramenta pedagógica na escola Dr. Alexandre Vaz Tavares – Macapá-AP

O uso do computador como ferramenta pedagógica na escola Dr. Alexandre Vaz Tavares – Macapá-Ap

 

Hosana Oliveira de Andrade[1]

Resumo

Hosana Oliveira de Andrade – Aluna do Curso de Especialização em Mídias na Educação na Universidade Federal do Estado do Amapá – UNIFAP – hosanafilosofa@gmail.com

Este artigo aborda a formação docente para a utilização da Tecnologia Computacional na Escola Estadual Dr. Alexandre Vaz Tavares no município de Macapá-Ap. O trabalho é quali-quantitativa com o intuito de salientar a importância da formação do educador para a utilização dos recursos tecnológicos visando o alcance dos objetivos no processo ensino-aprendizagem como uma ferramenta pedagógica e facilitadora no desenvolvimento das atividades.

Palavras-Chave: Tecnologia, Formação do educador, Ensino, Recursos.

Introdução

Transformações decorrentes das últimas décadas bem como o constante avanço tecnológico impulsionaram uma série de mudanças em todos os setores da sociedade. Além disso, o processo de globalização promoveu, por meio da revolução tecnológica, profundas transformações não só na sociedade como no indivíduo, comportamentos, formas de comunicação, meios de ensino-aprendizagem, entre outros. A escola tem sido um campo de grandes transformações tecnológicas que possibilitam um novo aprendizado.

Neste âmbito se percebe a necessidade de relacionar obrigatoriamente o uso da tecnologia computacional à prática do professor, uma vez que “[…] a relação entre a nova mídia e educação está entre as aproximações mais ambíguas de nosso tempo […]” (Demo, 2005, p.52-63).

 Dessa forma, a prática do professor pressupõe uma atitude atenta e responsável; a prerrogativa é que analise todas as possibilidades que o meio a seu redor lhe proporciona, para poder tornar a aula mais atrativa, adequada e produtiva ao processo de aprendizagem dos alunos com os quais trabalha; desenvolva uma atitude constante de revisão e de formação na prática, de forma que possa ajudar seus alunos a aprender a aprender, numa sociedade em constante evolução. E isso, se espera que aconteça em todos os níveis de ensino, desde a educação básica até o ensino superior.

Fundamentação teórica

O uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC’s), além de permitir maior capacidade de compreensão e interpretação do pensamento, possibilita o acesso às informações e discussões de temas atuais e representativos, além de tornar o processo de ensinar e aprender, mais dinâmico e atrativo.

Neste aspecto Piaget (1972, p.4) destaca que “[…] Conhecer é modificar, transformar o objeto, e compreender o processo dessa transformação e, consequentemente, compreender o modo como o objeto é construído”. Assim, a proposta de ação pedagógica deve ser fundamentada na concepção de educação como processo construtivo, evolutivo e permanente, num ciclo constante que agrupa o contexto do aluno, do professor e da escola. Essa trilogia mesclada à integração e associação dos recursos midiáticos na prática docente, possibilita o desenvolvimento da construção do conhecimento, do aprendizado e da cidadania, como afirma Carmem Neves (2005, p.67):

[…] as tecnologias da informação e da comunicação deixam de ser encaradas como um mero recurso instrucional moderno e adquirem o status de fato gerador/provocador de uma nova pedagogia: centrada num aluno, orquestrada por docentes e gestores competentes capazes de promover uma interatividade que derruba os limites físicos da sala de aula e contribui para formar o cidadão crítico, participativo, solidário e responsável.

Pensando por esse viés, requer do professor um novo perfil, que resulte em tarefas e atribuições inovadoras, redefinida na postura de orientador, avaliador da contribuição da tecnologia para a aprendizagem, mediadora. Cabe ao docente apresentar condições de criar, estruturar, selecionar, analisar e disseminar informações combinando-as para utilização na melhoria do processo educacional. Isto é, existe uma nova demanda que pressupõe reconfiguração do papel do professor, como afirma Prado (2003, p.68):

Surge uma nova demanda para o professor: saber como usar pedagogicamente as mídias. Com isso, o professor que, confortavelmente, desenvolvia sua ação pedagógica tal como havia sido preparado durante a sua vida acadêmica e em sua experiência em sala de aula, se vê frente a uma situação que implica novas aprendizagens e mudanças na prática pedagógica.

Apesar de saber que o uso do computador é um recurso fomentador de novas perspectivas e possibilidades para o processo de ensino e aprendizagem dos novos paradigmas educacionais e da concepção pedagógica de caráter construtivista vê-se que a realidade da prática docente não contempla a utilização desse recurso em sala de aula, muitos concebem essa ferramenta como instrumento para facilitar o processo de ensino e, como resultado, o conhecimento torna-se fragmentado. “[…] as tecnologias são utilizadas mais para ilustrar o conteúdo do professor do que para criar novos desafios didáticos” (MORAN, 2004, p.245).

Partindo dessa questão, deseja-se verificar a prática dos professores com o uso da tecnologia computacional no contexto educacional.

Aspectos metodológicos

Após análise dos dados coletados a partir dos questionários aplicados aos docentes da Escola Estadual Dr. Alexandre Vaz Tavares, no município de Macapá, observou-se a seguinte problemática quanto ao uso do computador na prática docente: existe pouca fundamentação teórica bem como a resistência ao reconhecimento do uso da tecnologia como ferramenta pedagógica pode ser reflexo da deficiência do processo de formação continuada. Este distanciamento das teorias leva-os a verem o computador como mero recurso pedagógico e não como possibilidade de mudança educacional mais significativa na vida dos educandos.

Após análise dos dados coletados a partir dos questionários aplicados aos docentes da Escola Campo, observou-se a seguinte problemática quanto ao uso do computador na prática docente: a pouca fundamentação teórica bem como a resistência ao reconhecimento do uso da tecnologia como ferramenta pedagógica pode ser reflexo da deficiência do processo de formação continuada. Este distanciamento das teorias leva-os a verem o computador como mero recurso pedagógico e não como possibilidade de mudança educacional mais significativa na vida dos educandos.

 Esta resistência ao reconhecimento do uso da tecnologia como ferramenta pedagógica pode ser reflexo da deficiência do processo de formação continuada.

Diante da problemática identificada foram elencadas as hipóteses com as ações para amenizar os obstáculos encontrados para o uso da tecnologia computacional na prática docente tais como:

  • A oferta de formação continuada aos docentes contribui significativamente para a ruptura da resistência na inclusão do computador em sua prática educativa;
  • Acredita-se que o processo de formação continuada contribui para inclusão da tecnologia computacional na prática docente, de forma crítica e reflexiva.

Nessa perspectiva, abordaram-se aspectos quanto à formação continuada do professor para o desenvolvimento das possibilidades de utilização da tecnologia computacional na prática docente, enfocando a práxis pedagógica para atender os novos perfis advindos deste novo paradigma.

Utilizou-se como metodologia do trabalho a abordagem quali-quantitativa de natureza interpretativa por possibilitar a investigação do objeto de modo abrangente e ao mesmo tempo permitir a “[..]observação participante que é obtida através do contato direto do pesquisador com o fenômeno observado [..]” (OLIVEIRA, 2002, p.19).

Para a investigação da pesquisa foi utilizado como instrumento para coleta de dados, um formulário contendo 10 questões na escala likert[2], com afirmações que requeriam a análise em cinco níveis variando “do concordo totalmente ao discordo totalmente” sobre a integração do computador no processo de ensino-aprendizagem.

Os dados coletados indicaram informações quanto à utilização pedagógica da tecnologia computacional, que somados à pesquisa bibliográfica, constituem o marco referencial que subsidiaram a análise crítico-reflexiva-comparativa sobre as reais possibilidades do ensino e aprendizagem oferecidas pelo computador através da prática docente.

 

Análise dos dados da concepção dos docentes sobre o uso do computador como ferramenta educacional 

O trabalho foi enfatizado aspectos fenomenológicos constituintes dos elementos socioculturais que sofrem mudanças com o paradigma da tecnologia inseridas no contexto social, onde as transformações do aprender e as reconfigurações do conhecimento ensejadas pelas novas formas da informação e da comunicação resultam na aculturação de padrões pré-estabelecidos e aquisição de novas formas de agir e pensar. Faz-se também um breve relato da inserção do computador na escola e também, os tipos de abordagem teórica que facilitam a utilização da informática como recurso pedagógico, possibilitando a geração e troca de saberes entre os sujeitos envolvidos na aprendizagem (professor e aluno).

Desta forma, a análise das questões respondidas pelos docentes da Escola Estadual Dr. Alexandre Vaz Tavares acerca do posicionamento dos mesmos em relação ao uso do computador como ferramenta em sua prática educacional.

Acredita-se, portanto, que é fundamental promover a integração das tecnologias nas escolas, pois é perceptível que os professores ainda não se sentem motivados para incorporar os conhecimentos midiáticos na relação com sua prática pedagógica. Portanto, pretende-se ao fim desta pesquisa apontar, a partir dos estudos realizados, os principais aspectos que impedem ou dificultam o uso do computador como ferramenta pedagógica.

Ao afirmar que o computador está sendo integrado à sua ação pedagógica, 25% dos entrevistados assinalaram que já realizam ações integradoras, concordam totalmente que utilizam recursos tecnológicos disponíveis no espaço escolar, tornando assim sua práxis pedagógica dinâmica e contextualizada.

Entretanto 35% marcaram que não o utilizam em sua ação pedagógica, outros 25% dos professores se posicionaram neutros acerca da afirmação. Segundo Moran (2000, p.49) “O conhecimento que é elaborado a partir da própria experiência, torna-se muito mais forte e definitivo em nós”. Já 15% dos docentes ficaram neutro em relação à afirmação, ou seja, se somar os que discordam, discordam totalmente e os neutros temos 75% o que explicita a dificuldade no uso do computador como ferramenta pedagógica.

Quanto a motivação 65% dos profissionais concordaram totalmente que surge através de capacitações que preparem para o uso do computador, outros 25% concordaram parcialmente, então a maioria coaduna com a afirmação. Apenas 10% ficaram neutro quanto a afirmativa.

Considerações finais

Ao analisar a prática dos professores em relação ao uso da tecnologia computacional no contexto educacional observou-se que é imprescindível o desenvolvimento de projetos que visem à utilização deste de forma responsável, dinâmica e inovadora com potencialidades pedagógicas efetivas.

Para tal, o professor deve estar engajado em programas de formação continuada, na busca de mecanismos que possibilite prepará-lo para o uso pedagógico das tecnologias instigando-os a uma reflexão crítica sobre sua prática, com o objetivo de tornar os novos profissionais preparados para vivenciar e superar os desafios do mundo que se está construindo e assim, expandir o seu olhar para novos horizontes na perspectiva de uma aprendizagem significativa e verdadeira.

Referências:

NEVES, Carmem Moreira de Castro. A Pedagogia da Autoria. In:  Boletim Técnico do Senac,v.31,n.3.set./dez.2005.

DEMO, Pedro. Nova Mídia e Educação: Incluir na Sociedade do Conhecimento. UNB, 2005.

MORAN, José Manuel. MASETTO, Marcos T. BEHRENS, Marilda Aparecida. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica. Papirus. Campinas-SP. 2000.

________, José Manuel. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica. José Manuel Moran, Marcos T. Masetto, Maria Aparecida Behrens. – Campinas, SP: Papirus, 2000.

________, Gestão inovadora com tecnologias. Formação de Gestores Escolares para utilização de Tecnologias de Informação e Comunicação. Ministério da Educação Secretaria da Educação à Distância, Brasília, 2004.

OLIVEIRA, I. C. A. de Metodologia Científica. Cadernos do curso de Pós-Graduação. Org. Faculdade de Macapá. Macapá, 2002.

PRADO, M. E. B. B. Pedagogia de Projetos: Fundamentos e implicações. Boletim do salto para o Futuro. Série Pedagogia de Projetos e Integração  de Mídias, TV – ESCOLA – SEED – MEC, 2003.

_________Salto para o Futuro: Tecnologia e Currículo, PGM 4 -Formação de Professores para o uso da Informática na Educação. Texto: Formação de Professores para Informática na Educação. Disponível no site: http://www.tvebrasil.com.br/ salto 2004.

__________.O computador na sociedade do conhecimento./ José Armando Valente, organizador – Campinas, SP: UNICAMP/NIED, 1999.

__________.José Armando; ALMEIDA, Fernando José. Visão analítica da informática na educação no Brasil: a questão da formação do professor. Revista Brasileira de Informática na Educação. Florianópolis, n. 1, set. 1997. Disponível em: <http://www.inf.ufsc.br/sbc-ie/revista/nr1/valentealmeida.html>. Acesso em: 4 de março. 2010.

[1]Aluna do Curso de Especialização em Mídias na Educação na Universidade Federal do Estado do Amapá – UNIFAP –  hosanafilosofa@gmail.com

[2] escala likert (A escala Likert ou escala de Likert é um tipo de escala de resposta psicométrica usada habitualmente em questionários, e é a escala mais usada em pesquisas de opinião. Ao responderem a um questionário baseado nesta escala, os perguntados especificam seu nível de concordância com uma afirmação. )

Post Author: partes