Turismo, meio ambiente e sustentabilidade

Antonia Luciana de Sousa Severo, Edbertho Campos, Jaciara Karolyne B.da Costa, Paloma da Silva Marques

publicado em 19/10/2009 como www.partes.com.br/turismoemeioambiente03.asp

 

A atividade turística quando realizada através de um planejamento adequado gera uma série de benefícios para a localidade onde está inserida e consequentemente a desenvolver economicamente, socialmente e culturalmente.

O conceito de turismo pode ser entendido como um conjunto de ações que envolve a comunidade local, setor privado e órgãos públicos em atividades voltadas para atender os turistas, através dos recursos naturais e culturais, segmentos de lazer, alimentação, entretenimento, hospedagem, entre outros.

O turismo tem particularidades diferentes de fazer com que o visitante se dirija até o destino onde se encontram esses atrativos e ainda seus produtos possuírem o caráter intangível, ou seja, não podem ser tocados, apenas usufruídos. Existem diversas formas de usufruto desses produtos turísticos, o que se traduz na segmentação do setor: turismo de sol e praia, segmento cultural, religioso, ecoturismo, turismo rural, eventos, etc.

É óbvio que qualquer e toda produção humana implica na utilização do meio ambiente para sobreviver e não poderia se diferente com o turismo, pois ele tem um contato direto entre o ser humano e a natureza, principalmente no segmento natural, as práticas de ecoturismo e turismo de aventura e turismo rural.

Para que o turismo não se aproprie do meio ambiente de forma massiva e destrutiva é preciso que ele seja pautado nos princípios da sustentabilidade e envolva basicamente três aspectos principais: aliar desenvolvimento econômico, proteger o meio ambiente e ainda integrar a comunidade autóctone em todo o processo de sua produção. Ainda é importante que se adotem certas medidas específicas para atingir tal objetivo como: plano de manejo bem elaborado, capacidade de carga, educação ambiental, etc.

Consequentemente ao se apropriar de uma localidade a atividade turística, irá provocar alguns tipos de impactos, positivos, como por exemplo, geração de emprego e renda, troca de valores culturais, proteção de áreas naturais. Em contrapartida, também se pode exemplificar os impactos negativos da atividade, que devem ser evitados através de um bom planejamento, entre eles alguns: degradação ambiental, má distribuição de renda, não-interação dos autóctones e turistas, etc.

Nota-se que as duas áreas (turismo e meio ambiente) são interdependentes, mas ao mesmo tempo os agentes do turismo não são os mesmos que os envolvidos com a proteção ambiental. É preciso também deixar de lado o preconceito que existe em relação aos profissionais do turismo como destruidores da natureza.

Não existe um turismo totalmente bom ou mal, é preciso ter cautela com afirmações generalizadas. É importante incentivar o relacionamento entre turismo e meio ambiente, de modo que gere benefícios para ambos.

Ainda é importante observar que inicialmente o turismo não se relacionou muito bem com meio ambiente, e isso pode ser melhor demonstrado através de 4 fases distintas:

1º fase: “descoberta da natureza e das comunidades receptoras”, Os turistas eram muito curiosos e ávidos a conhecer novos destinos onde o homem ainda não havia feito grandes modificações.

2º fase: “turismo dirigido” e elitista, caracterizada pelo “boom” imobiliário turístico onde ninguém se preocupava com a proteção da natureza.

3º fase: expansão do turismo de massa, fase mais descaracterizadora e destruidora das comunidades autóctones e do meio ambiente, grande crescimento urbano e populacional.

4º fase: predominou o turismo de natureza ou ecoturismo, onde se observou uma maior preocupação com a natureza e surgiram as várias modalidades como mountain bike, rafting, caminhada entre outros. Essa relação turismo e natureza se dá através de três formas: conflito (conservação x turismo), coexistência ( indústria turística e os conservadores da natureza estabelecem um contato entre si), e simbiose ( turismo e conservacionistas se beneficiam com essa relação).

Através do processo evolutivo da atividade turística é importante destacar algumas tendências e investimentos que ocorrerão nos próximos anos, as principais são:

– aumento da demanda e do número de viagens para destinações que valorizem os aspectos naturais e se baseie nos princípios da sustentabilidade;

– utilização massiva da imagem virtual como principal meio de comunicação para o turismo;

– aumento do mercado de cruzeiros marítimos; maior segmentação do mercado turístico;

– aumento da competitividade e da qualidade entre bens e serviços;

– proliferação das mega-agências de viagens.

Com relação às UCs (Unidades de Conservação) em suma podem ser definidas como espaço territorial e seus recursos ambientais com objetivos de conservação e limites definidos por meio de uma administração que aplica garantias adequadas de proteção. Podem ser: Unidades de Uso Sustentável e Unidades de Proteção Integral.

1 Curso de Bacharelado em Turismo. Disciplina Turismo e Meio ambiente II-6° bloco

Antonia Luciana de Sousa Severo

Edbertho Campos

Jaciara Karolyne B.da Costa

Paloma da Silva Marques

 

Post Author: partes