A importância dos Alcoólicos Anônimos na reconstrução social do indivíduo

Adalberto Romualdo Pereira Henrique *

publicado em 01/07/2010 como <http://www.partes.com.br/emquestao/alcoolicosanonimos.asp>

 

Resumo

Adalberto Romualdo Pereira Henrique é acadêmico do 7º período do curso de Terapia Ocupacional pela FAMINAS – Faculdade de Minas / Minas Gerais.

Temos observado um grande número de pessoas que a cada dia têm aumentado o consumo da substância alcoólica. O presente estudo pretende abordar a importância do grupo de Alcoólicos Anônimos na reconstrução social do indivíduo acometido pelo alcoolismo.

Palavras-chave: Alcoólicos anônimos, reconstrução, social

Resumen

Se observó un gran número de personas que cada día se han incrementado el consumo de sustancias alcohólicas. Este estudio tiene como objetivo abordar la importancia del grupo de Alcohólicos Anónimos en la reconstrucción social de la persona afectada por el alcoholismo.

Palabras claves: Alcohólicos Anónimos, la reconstrucción, social

Introdução

Ao entrarmos em contato com o outro, compartilhando propósitos, costumes e crenças, nos interagindo, constituímos uma sociedade. Segundo o dicionário Aurélio da Língua Portuguesa a palavra sociedade é definida como sendo “grupo de pessoas que, submetidas a um regulamento, exercem atividades comuns ou defendem interesses comuns; meio humano em que o indivíduo está integrado”. A partir do momento em que estamos inseridos em sociedade, desempenhamos papéis, adquirindo assim uma identidade social.

Segundo Martins (2005) Identidade social é a posição da pessoa, em relação à posição dos demais dentro da sociedade. Ao escolher uma profissão, religião, estado civil, dentre outras, o individuo está definindo a sua identidade social. Valores diferentes são atribuídos a significações diferentes. Um grau se atribui à significação “médico” e outro à significação “barbeiro”. Assim, a identidade social é a posição que cada uma destas pessoas possui na sociedade. (MARTINS 2009)

O tema proposto pretende abordar a possibilidade de reconstruir a identidade social de indivíduos alcoolistas através do grupo de Alcoólicos Anônimos, pesquisando o alcoolismo como um fator que acarreta perdas em todas as áreas. O indivíduo segundo a Secretaria de Estado da Saúde começa a ter problemas nos relacionamentos familiares e profissionais, tem o desempenho sexual e profissional afetados negativamente, o organismo debilitado, atingindo órgãos vitais como o cérebro e o fígado. Estes conjuntos de situações tornam-no alvo de discriminação e preconceitos que apenas agravam seu isolamento e o vinculam ainda mais à droga. (Secretaria da Saúde, 2007) A analisarmos os diversos problemas decorrentes do consumo excessivo da bebida alcoólica, observa-se a necessidade de desenvolvimento de práticas de saúde para a prevenção ou diminuição do consumo excessivo da substância.

Álcool: droga psicotrópica

O álcool é considerado pela Secretaria do Estado de Saúde como sendo “uma droga psicotrópica, que atua no sistema nervoso central e provoca mudanças no comportamento de quem o consome. Trata-se das chamadas drogas lícitas (permitidas legalmente), que nem por isso são mais leves, encerram menos perigos ou acarretam problemas menores. O fato de uma droga como o álcool ser comercializada e consumida em larga escala deve-se a diferentes fatores, principalmente aos de origem cultural e histórica. Nos países ocidentais o uso do álcool está presente em quase todas as culturas, tendo sido, em muitos casos, considerado “bebida divina” e medicamento. Nos países muçulmanos, ao contrário, o consumo de álcool é reprimido e o comércio é considerado crime”.

Segundo o Observatório Brasileiro de Informações Sobre Drogas – OBID, a pessoa que consome bebidas alcoólicas de forma excessiva, ao longo do tempo, pode desenvolver dependência, condição conhecida como alcoolismo. Os fatores que podem levar ao alcoolismo são variados, envolvendo aspectos de origem biológica, psicológica e sociocultural. A dependência do álcool é condição frequente, atingindo cerca de 10% da população adulta brasileira. A transição do beber moderado ao beber problemático ocorre de forma lenta, tendo uma interface que, em geral, leva vários anos. Alguns sinais da dependência do álcool são: desenvolvimento da tolerância, ou seja, a necessidade de beber maiores quantidades de álcool para obter os mesmos efeitos; aumento da importância do álcool na vida da pessoa; percepção do “grande desejo” de beber e da falta de controle em relação a quando parar; síndrome de abstinência (aparecimento de sintomas desagradáveis após ter ficado algumas horas sem beber) e aumento da ingestão de álcool para aliviar essa síndrome.

A Revista Brasileira de Alcoólicos Anônimos, define o referido grupo como sendo “uma irmandade que congrega portadores de alcoolismo. Sua proposta é ajudar o alcoólico a parar de beber. Para ser admitido no A.A. não existem taxas e nem mensalidades. A única exigência é o desejo de abandonar a bebida. Ninguém declara endereço ou profissão, classe social ou poder econômico, ideologia política ou crença religiosa (…). Os membros do A.A. são protegidos pelo mais absoluto anonimato que, além de preservar a identidade dos alcoólicos, afasta qualquer idéia de projeção pessoal ou de terceiros que possa contaminar a estrutura da Irmandade, regulamentada pelas Tradições (normas condensadas pelos pioneiros e aprovadas democraticamente que asseguram a unidade da Instituição). Apesar de não se vincular a nenhuma religião ou seita, Alcoólicos Anônimos prega ser impossível vencer o alcoolismo sem a proteção de um Ser Superior, de um Ente Supremo que ajude o alcoólico a manter a sobriedade”.

A presente pesquisa é de suma importância para a população no sentido da divulgação do grupo de auto ajuda Alcoólicos Anônimos, visto que o indivíduo que possui problemas com o consumo excessivo de substância alcoólica enfrenta discriminação e conseqüente invisibilidade social , porque muitas vezes é visto como o “bêbado” ou o “caído pelas ruas”. Este estudo ressalta a importância do grupo de Alcoólicos Anônimos como sendo um instrumento de recuperação e reconstrução da identidade social de indivíduos alcoolistas, visto que ao enfrentar um quadro de dependência alcoólica, os mesmos sofrem sérios impactos nos níveis biopsicossocial, comprometendo suas práxis cotidianas como o lazer, atividades laborais e suas relações com o outro.

Considerando a visão acadêmica, o estudo contribuirá para futuras pesquisas na presente área, visto que o alcoolismo de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde é um problema de saúde pública e que requer atenção da sociedade e do estado.

METODOLOGIA

A presente pesquisa possui caráter exploratório, que segundo Gil, pesquisas exploratórias têm como principal finalidade desenvolver, esclarecer e modificar conceitos e idéias, tendo em vista, a formulação de problemas mais preciosos ou hipóteses pesquisáveis para estudos posteriores. De todos os tipos de pesquisa, estas são as que apresentam menor rigidez no planejamento. Habitualmente envolvem levantamento bibliográfico e documental, entrevistas não padronizadas e estudos de caso. Procedimentos de amostragem e técnicas quantitativas de coleta de dados não são costumeiramente aplicado nestas pesquisas (GIL 1999, p. 43) e qualitativo segundo os pressupostos de Figueiredo este tipo de pesquisa está direcionada para a investigação dos significados das relações humanas, em que suas ações são influenciadas pelas emoções e/ou sentimentos aflorados diante das situações vivenciadas no dia-a-dia (FIGUEIREDO 2007, p 84). Segundo a Revista Brasileira de Alcoólicos Anônimos – Vivência, o alcoolismo é “uma doença caracterizada por problemas recorrentes associados ao fato de tomar bebida alcoólica”, ao entrar em contato com o consumo excessivo da bebida alcoólica, construindo um quadro de dependência.

Foram entrevistados 10 indivíduos que participam ativamente do grupo de A.A na cidade de Muriaé – Minas Gerais, onde todos os participantes declararam que através do grupo de auto ajuda Alcoólicos Anônimos eles conseguiram se reerguer perante a sociedade, reconstruíram suas famílias, empregos e hoje se encontram como homens de bem perante os outros. Através do que os participantes vivenciaram é possível observar que através do grupo de Alcoólicos Anônimos é possível ocorrer a reconstrução da identidade social de indivíduos acometidos pelo alcoolismo.

Conclusão

O tema alcoolismo requer um aprofundamento de estudo, visto o grande impacto biopsicossocial que poderá causar na vida dos indivíduos, futuros estudos poderão abordar pesquisas em relação ao impacto do alcoolismo nas práxis laborais, nas relações familiares, entre outros.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

MARTINS, Mário Ribeiro. A IDENTIDADE SOCIAL. Disponível em <http://www.usinadeletras.com.br/exibelotexto.php?cod=36665&cat
=Artigos&vinda=S>. Acesso em 13 de Novembro de 2009.

BATISTA, Cid Martins. DROGAS: ilusão transitória, desgraça permanente. O que você precisa saber para ajudar um dependente.Viçosa, Minas Gerais, 1999.

Secretaria de Estado de Saúde. Alcoolismo: problema de saúde pública no Brasil. disponível em <http://www.saude.df.gov.br/003/00301009.asp?ttCD_CHAVE=48583>. Acesso em 12 de Novembro de 2007.

A SAÍDA DO ISOLAMENTO ( 5º PASSO) PROFISSIONAIS E AMIGOS DE A.A.. Vivência. Revista Brasileira de Alcoólicos Anônimos. Nº 115, SET/OUT de 2008.

FIQUEIREDO, Nébia Maria Almeida de. Métodos e Metodologia na pesquisa científica. 2ª Ed. São Caetano do Sul, São Paulo, 2007.

VIETTA, Edna Paciência. Configuração Triádica, Humanista-existencial-personalista: uma abordagem teórica – metodológica de aplicação nas pesquisas de enfermagem psiquiátrica e saúde mental. Disponível em <http://www.scielo.br/pdf/rlae/v3n1/v3n1a04.pdf.>. Acesso em 12 de Novembro de 2009.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 5ª edição. Editora ATLAS S.A., São Paulo, 1999.

Observatório Brasileiro de Informações Sobre Drogas – OBID. Presidência da República. Álcool. Disponível em <http://www.obid.senad.gov.br/portais/OBID/conteudo/index.php?id_conteudo =11288&rastro=INFORMA%C3%87%C3%95ES+SOBRE+DROGAS%2F
Tipos+de+drogas/%C3%81lcool#Consumo>. Acesso em 13 de Novembro de 2009.

*HENRIQUE, Adalberto Romualdo Pereira Henrique. É acadêmico do 7º período do curso de Terapia Ocupacional pela FAMINAS – Faculdade de Minas / Minas Gerais.

Como citar:

HENRIQUE, Adalberto Romualdo Pereira. A importância dos Alcoólicos Anônimos na reconstrução social do indivíduo. Revista P@rtes (São Paulo). ISSN 1678-8419 V.00. P.eletrônica.Julho de 2010. Disponível em <>

Post Author: partes