Mediação de conflitos na prevenção do bullying dentro da comunidade escolar

Marco Aurélio da Silva, Aristéia Mariane Kayser, Evandra Oliveira Cardoso Rech

publicado em 02/05/2011 como www.partes.com.br/educacao/mediacaodeconflitos.asp

 

RESUMO

O termo Bullyng é de origem inglesa e foi caracteriza-se; como um fenômeno que abrange toda uma variedade de comportamentos de maus-tratos entre os pares podendo essas ações ser de caráter físico ou psicológico. Bullying na escola caracteriza-se; como uma forma de violência, de submissão da vítima corroborando traumas, de auto exclusão, por acreditar que é diferente; o agressor usa de seu poder de hierarquia para promover a violência, contudo, alguns estudos apontam prováveis ligações no comportamento do indivíduo quando na vida adulta.

ABSTRACT

Bullyng The term is of English origin and was characterized, as a phenomenon that encompasses a whole variety of maltreatment behaviors among peers can these actions be of physical or psychological. Bullying in school is characterized, as a form of violence and submission of the victim’s corroborating trauma, self-exclusion, believing that it was different, the perpetrator uses his power of hierarchy to promote violence, however, some studies suggest probable links when the individual’s behavior in adulthood.

Palavra Chave: Bullying, Educação, Violência no Âmbito Escolar

INTRODUÇÃO

É na escola que podemos reconhecer muitas vezes como uma criança ou um adolescente convive na sua vida familiar, sua forma de agir, e de compreender o mundo. E é nela que devemos buscar alternativas através da educação não só de jovens, mas também da integração entre pais, educadores e toda a comunidade escolar.

Sabe-se, que o Bullying é uma forma de violência contra a criança e adolescência é um dos problemas que preocupam todos os setores do sistema educacional. Assim procura conhecer dentro do sistema educacional quais são os tipos de violências mais comuns dentro do mundo acadêmico para desta forma buscar um cuidado mais elaborado e fazer a prevenção juntamente com os profissionais da área multiprofissional de educação, integrando apartir desses problemas identificados, os educadores e educandos. Uma alternativa estudada seria em promover encontros e palestras para tentar amenizar o problema frente aos maus tratos e tentar um diálogo com os educandos agressores. Para diagnosticar o porquê do surgimento do bullying naquele momento desta forma busca-se aprimorar ações de promoções mais humanizadas com a finalidade de extinguir o bullyng.

O Bullying caracteriza-se; como um fenômeno que abrange toda uma variedade de comportamentos de maus-tratos entre os pares podendo essas ações ser de caráter físico ou psicológico. No geral, as vítimas são mais novas ou mais fracas que os

agressores. Qualquer comportamento de bullying é manifestado por alguém, no entanto pode ser individual ou em grupo. Contudo, o alvo é outro indivíduo dentro de um sistema social. (Fante, 2005). Assim sendo, encontra-se sempre subjacente o envolvimento ativo de pelo menos, dois sujeitos, aquele que agride (o agressor) e aquele que é vitimizado (a vítima).

Nessa perspectiva a presente investigação vincula-se ao sistema educacional que é a base formativa do sujeito. Com base teórica é fundamentada no curso a distância de Direitos Humanos e Mediação de Conflitos. Contudo, enfocando a educação libertadora e mediação de conflitos como forma de concretizar a resolução pacifica dos conflitos sociais no ambiente escolar como forma de inserção do sujeito na sociedade.

De acordo com o material de estudo do curso “Direitos Humanos e Mediação de Conflitos” “É preciso que essas relações tenham a qualidade necessária para que todos os sujeitos envolvidos nos ambientes educacionais possam se desenvolverem, crescerem em um ambiente saudável como sujeitos socializados que sabem viver com o diferente.

Aprender a socializa-se saberes forma dialogada e construtiva, é metodologia educacional visada por toda a comunidade escolar. Já que, esta metodologia de ensino estabelece relações concretas de ensino e aprendizagem.

Bullying na escola caracteriza-se; como uma forma de violência, de submissão da vítima corroborando traumas, de auto exclusão, por acreditar que é diferente; o agressor usa de seu poder de hierarquia para promover a violência, contudo, alguns estudos apontam prováveis ligações no comportamento do indivíduo quando na vida adulta. Contudo, o Bullying é um promotor da exclusão social. Percebe-se, uma preocupação no ambiente escolar em desecadear ações educacionais de promoção a não violência.

Entretanto, o que presente projeto visa Investigar o bullying nas escolas, bem como os processos que acontecem na esfera interpessoal: vitimização e agressividade e diferentes formas de mediação de conflito.

Justifica-se, a relevância de desencadear o presente projeto, visto que, observa-se, a violação dos direitos humanos, por exemplo, a não aceitação do diferente. Desta forma corrabora para a exclusao social. Logo, o bullying é uma das principais causa do baixo rendimento escolar por contribuir com a fragilização psicológica da vítima “educando” , portanto, trabalhar no sentido de minorar os danos psíquicos destes jovens.

Utiliza-se, como investigação relatos e livros que abordam a referida temática “Bullying” tendo como uma das fontes: FANTE, cleo. Fenômeno: Bullying nas escolas. Ed. Artemed, 2005 . Curso de Direitos Humanos e Mediação de Conflitos 2010 http://cursos.educacaoadistancia.org.br

Convocar toda a sociedade a olhar com um olhar diferente, para tal problema, bullying, pois, acarreta em problema social e afeta toda a sociedade. E principalmente a vitima é criança e encontra-se em transformação contínua, acima de tudo, ser indefeso, incapaz, etc.

A instituição escola permanece atenta as situações de risco que a criança e adolescente conforme o (ECA). Assistência social deve permanecer alerta a acompanhar a família em seu ambiente de inserção, ou seja, sua casa, sua comunidade.

A instituição igreja deve promover formas de alertar pais e membro da comunidade quanto à importância de respeita a criança e adolescente.

As políticas publicas devem disponibilizar meios de capacitações aos profissionais que atuam diretamente com criança e adolescentes.

Enfim, convoca toda a comunidade, a estarem unidos luta pela sociedade mais justa, fraterna.

O presente projeto pretende relacionar teoria e prática utilizando-se a Mediação de Conflitos com uma metodologia dinâmica e objetiva. Será desenvolvido na E.E. 1ª Almirante Tamandaré pertencente a 21ª Coordenadoria de Educação. A escola localiza-se no Distrito do Alto Uruguai, interior do Município de Tiradentes do Sul. População total sete mil habitantes. Logo, o Distrito de Alto Uruguai, possui em sua abrangência aproximadamente 700 pessoas, destaque ao rio Uruguai. A economia local esta baseada na pequena agricultura cultivo de soja, milho e pesca.

O conteúdo programático objetivará refletir as diferentes formas de resolução de conflitos. Neste sentido, buscando modificar a forma de pensar, agir, no educando e educador. Já que a mediação de forma pacífica é possível de conscientizar a comunidade escolar bem como, e sua comunidade. Ora, permitirá ampliar conceitos e valores culturais promovendo maior compreensão da dimensão do problema, de forma mais humanizada, já que, a mediação propõe soluções a todo e qualquer problema independente de seu contexto, sua complexidade. Assim, permite a promoção de um trabalho gerencial dialético, baseado no diálogo, no respeito ao singular ou as singularidades

CONCLUSÃO

Pretende-se com os resultados da pesquisa, oportunizar a compreensão e reflexão sobre a qualidade das interações de comportamentos e características sociais visando a promoção da resiliência e prevenção ao bullyng na comunidade escolar gerando subsídios para programas de intervenção psicológica nas mesmas.

Como resultados parciais até o momento identificou-se que as vítimas de bullying não estão restringidas a comunidade escolar, percebe-se uma relação indiretamente entre o bullying e sujeitos adultos não analfabetos, isto, caracteriza-se necessidade de ampliar os estudos do pesquisador, já que, são várias hipótese a serem observada como: cultura local influencia dos meios de comunicação, círculo de amizade, já que se observa verossimilhança entre: patologia apresentada, raça, estatura física, filiação, personagens artístico, alguns exemplos: tesouro; papa tudo, xuxa, tatuzinho, lagartinho verde, murisco, javali, garça, papagaio, carrapato.

Logo, é interessante observar a dinamicidade e a criatividade de alguns sujeitos ou da própria comunidade, em utilizar esse tipo de violência, porém preconceituosa.

Ademais alguns cidadãos compactuam e passam a utilizar tal denominação. Ora, deparamos com muitos educadores os quais ficam contagiados com tal criatividade e reação passando a sentir a necessidade de aprimorar o estudo, até por que, precisa estudar uma estratégia de ferramenta do trabalho. Tal metodologia forma precisa e dinâmica, uma vez que, o bullying poderá trazer de forma benéfica contribuições a esta comunidade, como a inclusão do adulto não alfabetizado ao ambiente alfabetizador.

Contudo, o bullying esta presente nos mais variados segmentos da sociedade, ele contribui diretamente ou indiretamente para o processo de exclusão social. Portanto, o mesmo acarreta prejuízos às suas vítimas, ferem também nossos princípios democráticos e os direitos humanos visto que toda pessoa tem direito de ser livre de opressão e de humilhação.

Portanto; com os resultados da pesquisa, oportunizar a compreensão e reflexão sobre a qualidade das interações de comportamentos e características sociais visando à promoção da resiliência e prevenção ao bullyng na rede pública e municipal de ensino da cidade de Tiradentes do Sul-RS gerando subsídios para programas de intervenção psicológica nas mesmas. Neste sentido se faz necessário que os educadores estejam atentos a este vilão bullying que permeia a educação do século XXI.

REFERÊNCIAS:

BRASIL, Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH). Curso de Direitos Humanos e Mediação de Conflitos, disponível em: http://cursos.educacaoadistancia.org.br/ acesso/ Mar 2001.

CARVALHOSA, Susana, LIMA, Luís, MATOS, Margarida (2001). Bullying – a provocação/vitimação entre pares no contexto escolar português Disponível:http://www.scielo.oces.mtces.pt/pdf/asp/v19n4/
v19n4a04.pdf
2011, Março 08

FANTE, Cleo. Fenômeno Bullying nas escolas. Ed. Artemed, 2005.

PERREIRA, Oliveira Beatriz; Para uma Escola sem Violência- Estudo e Prevenção das Práticas Agressivas entre Crianças, Fundação Caloute Gulbenkian e Fundação para a Ciência e a Tecnologia, Lisboa Março 2002.

Stella R. Taquette. Violência contra a mulher adolescente e jovem. Rio de Janeiro: EDUERJ. 2007.

Kaplan, Sheila; Corrêa, Beatriz. Conversando sobre saúde com adolescentes. Rio de Janeiro: Instituto Ciência Hoje, 2007.

1 Marco Aurélio da Silva : Graduado em Filosofia (UNIFRA), Especialização em Educação Ambiental (UFSM) /Gestão Municipal (UFRGS)/Gestão Educacional (UNICID)

Aristéia Mariane Kayser: Graduada em Enfermagem (FISMA), Especialização em Educação Ambiental (UFSM) /Urgência Emergência e Trauma/Gestão Educacional (FACISA)

Evandra Oliveira Cardoso Rech: Mestre em Psicologia Clínica (UNISINOS), Doutoranda em Medicina e Ciências da Saúde (PUCRS)

Post Author: partes